Os fósseis nos ajudam a dar asas à imaginação quando se fala do passado. Eles são recursos que podem transformar os pensamentos sobre como teria sido a vida, ou algum animal, em respostas científicas. Eles são encontrados e estudados há muito tempo. Podem ser encontradas partes do corpo, como ossos e dentes, e até pegadas que deixaram em diferentes lugares do mundo. E alguns fósseis parecem ter sido congelados no tempo de tão bem preservados.

E quando eles são encontrados por equipes especializadas que cruzam diferentes informações, podemos entender muito mais sobre criaturas e civilizações que caminharam sobre o nosso planeta há milhares ou milhões de anos.

O fóssil mais antigo de uma pena já encontrado tem aproximadamente 150 milhões de anos. Esse fóssil foi descoberto há mais de um século e meio. Contudo, desde a sua descoberta, quase tudo sobre ele permaneceu incerto.

Basicamente, os cientistas têm tentado colocar a pena em um dinossauro de período jurássico superior há anos. E em 2019, esse debate teve sua mais nova onda de turbulência. Uma equipe de pesquisadores disse que o fóssil não era do Archaeopteryx lithographica, que é famoso por ser o '"primeiro pássaro". Entretanto, era, na realidade, uma espécie completamente desconhecida e diferente.

Pena

Publicidade
continue a leitura

Entretanto, outros especialistas não têm tanta certeza. Tanto que, de acordo com o que afirma uma nova pesquisa, a pena isolada realmente tem o formato das penas primárias do Archaeopteryx lithographica. Além disso, a pena foi achada no mesmo lugar fóssil de quatro esqueletos do antigo pássaro.

Inegavelmente, a localização por si só é uma explicação melhor do que a de que a pena pertence a uma nova espécies. Afinal, como é dito, pássaros iguais voam juntos.

"A hipótese taxonômica alternativa do estudo de 2019 é um dinossauro hipotético não descrito, uma posição que contorna o ônus da prova e não pode ser falsificada", explicam os pesquisadores.

Em suma, o novo artigo combinou a pena com vários espécimes de Archaeopteryx, alguns que vem do mesmo lugar fóssil. Além disso, ele agurmenta que a pena poderia realmente caber em uma asa do antigo pássaro.

Publicidade
continue a leitura

Assim sendo, os pesquisadores disseram que a pena se encaixaria tanto em tamanho como na forma. Além do que, o alcance dela se parece com as principais penas ocultas primárias de outros Archaeopteryx que foram achadas com marcas de penas em outros lugares.

"Há um debate nos últimos 159 anos se esta pena pertence ou não à mesma espécie dos esqueletos do Archaeopteryx. Bem como de onde ela veio e sua cor original no corpo. Através de um trabalho de detetive científico, que combinou novas técnicas com fósseis e literatura antigos, fomos capazes de finalmente resolver esses mistérios centenários", disse Ryan Carney da University of South Flórida.

Anteriormente, pesquisas previram que a pena provavelmente era preta. Logo, uma reanálise do padrão de corpos de pigmento capturados pelo fóssil reforçou essa interpretação. Em síntese, ela observou que era improvável que a tonalidade da pena fosse muito brilhante.

Discussão

Publicidade
continue a leitura

E uma das partes mais controversas do fóssil é a perda da sua pena, ou linha central, que se dissolveu desde que ela foi descoberta. Posteriormente, no estudo que foi publicado ano passado, é argumentado pelos pesquisadores que a curvatura da pena era muito severa para ser de um Archaeopteryx.

Entretanto, o novo artigo diz que a curva das penas é bastante variável entre as espécies. Principalmente na asa superior. Além disso, eles também dizem que a curva em "C" que a equipe anterior elaborou está incorreta.

Então eles corrigiram essa linha central a partir do fóssil tirando uma imagem de fluorescência estimulada por laser. “Esta nova linha central é substancialmente diferente da apresentada originalmente. Em suma, correção desse erro elimina completamente o suposto grande afastamento da linha central da pena fóssil, que agora está dentro da faixa das espécies modernas selecionadas", explicaram os autores.

É claro que esse debate não acabará por aqui. Embora a maior parte das pesquisas a respeito da pena dizem que a questão foi resolvida. Porém, ao longo de 150 anos, os pesquisadores ainda continuam aprendendo mais sobre os fósseis de Archaeopteryx. Incluindo suas formas, cores e funções das suas penas.

Publicado em: 06/10/20 15h22