Mundo Animal

Pesquisadores desejam revelar como dinossauros faziam sexo

0

Um dos grandes mistérios que os cientistas pretendem solucionar é entender como os dinossauros faziam sexo.

O professor Jakob Vinther, professor de macroevolução da Universidade de Bristol, no Reino Unido, disse, em texto publicado na BBC, que dois tiranossauros, completos e com penas, foram encontrados, um ao lado do outro, em um antigo lago, dentro de um sítio arqueológico no nordeste da China.

Como os animais estavam próximos demais, ele deseja saber se eles estavam fazendo sexo.

Difícil de saber

Foto: Wikimedia Commons/Ghedoghedo

Com métodos científicos modernos, os cientistas estão revelando diversos detalhes sobre os dinossauros. Estudos já identificaram glóbulos vermelhos do sangue e colágeno de terópodes de 76 milhões de anos atrás, que o nodossauro (um herbívoro cheio de espinhos com fortes defesas) era ruivo e outras características.

Mas pesquisas sobre como eles acasalaram, ou interagiam no geral, não tiveram nenhuma conclusão. Além disso, os cientistas não conseguem diferenciar machos de fêmeas com precisão, sem isso, grande parte da sua biologia e comportamento se torna um mistério.  Mas é uma certeza que eles faziam sexo.


Em relação aos fósseis de tiranossauros encontrados na China, Vinther aponta que uma indicação sobre a sua posição pode vir do sítio de outro lago antigo, o Fosso de Messel, na Alemanha. O local é conhecido como paraíso de fósseis.

Vinther explica que algumas tartarugas encontradas nos locais ainda estão com as caudas se tocando, como ocorre durante a copulação. No entanto, elas não estão nas suas posições sexuais exatas em que estavam quando morreram. Em vez de estarem uma sobre a outra, como é habitual, elas estão de costas uma para a outra.

O pesquisador afirma que depois que as tartarugas morreram, elas teriam se separado, mas permanecido ligadas pelos seus genitais. Por causa da anatomia reprodutiva do parceiro macho, elas teriam ficado presas uma na outra.

Isso leva de volta aos tiranossauros fossilizados. “Eles estão de costas um para o outro, mas com suas caudas sobrepostas”, afirma Vinther. “Acredito que eles tenham sido pegos no ato.”

Como não tem outros exemplos disponíveis, Vinther reconhece que essa teoria é muito especulativa e por isso ainda não foi publicada.

Caso os dinossauros realmente estejam presos por determinado órgão, é possível descobrir que o Tyrannosaurus rex tivesse pênis.

Outro exemplo

Foto: Alamy

No entanto, Vinther informou que existe outra outra fonte, menos ambígua, de informações sobre o sexo dos dinossauros: um fóssil de psitacossauro,

O fóssil tem 91 cm de comprimento da cabeça até a cauda e é quase um adulto completo, mas ainda sem experiência. O animal estava com os membros abertos de forma que foi possível preservar suas genitais.

As partes íntimas do dinossauro estão logo abaixo da cauda. Infelizmente, o psitacossauro do escritório de Vinther não é o fóssil real, mas sim um modelo em escala de como teria sido a aparência do animal vivo, encomendado por ele próprio. O objeto foi elaborado para ser o mais parecido possível com o fóssil original.

O que o traseiro desse dinossauro nos ensina?

Dinossauro

Foto: Zaira Gorvett

Em primeiro lugar, como os parentes mais próximos dos dinossauros (as aves e os crocodilos), esse animal tem uma cloaca. Essas consistem em um único orifício para defecar, urinar, fazer sexo e dar à luz.

O especialista aponta que o lado de fora do traseiro do animal era pigmentado. “Mas aqui está o interessante, porque não era em volta da abertura, [como seria o lógico] para combater infecções microbianas. Era para chamar atenção.”

Caso isso seja confirmado, será algo sem precedentes. Anunciar as partes traseiras para possíveis parceiros de acasalamento, como fazem os babuínos, é incomum nos pássaros modernos, que são os descendentes das aves-dinossauros.

Infelizmente, não é possível informar se o psitacossauro em questão é macho ou fêmea, nem exatamente qual tipo de órgãos sexuais eles tinham. Isso porque essas partes do corpo estão ocultas no seu interior.

Para o pesquisador, existem duas possíveis estratégias de acasalamento para os dinossauros: o “beijo cloacal”, em que dois dinossauros alinhariam suas cloacas e o macho injetaria seu sêmen diretamente na cloaca da fêmea ou a versão mais familiar, que envolve um pênis.

Características sexuais dos dinossauros

Dinossauro

Foto: Getty Images

Rob Knell, ecologista evolutivo da Universidade Queen Mary, em Londres, aponta que , no passado, os paleontólogos relutavam em interpretar características peculiares dos dinossauros, como os braços pequenos do Tiranossauro Rex, como instrumentos para atrair ou competir por parceiros para acasalamento. 

Além disso, pesquisadores apontam que quando as características aparecem apenas em animais adultos e não em filhotes ou jovens, normalmente ela ocorre por razões sexuais.

Por exemplo, os adornos dos tricerátops, de acordo com investigações de Knell e seu grupo, poderiam ser utilizados para impressionar outros tricerátops ou afugentar outros machos, o que teria ajudado esses dinossauros a acasalar-se.

Rituais de acasalamento dos dinossauros

Foto: Alamy

Em 2016, cientistas descobriram cochos curiosos no leito rochoso, quase como poças antigas, no Colorado, nos Estados Unidos. Mas estudos mais cuidadosos revelaram detalhes, marcas raspadas e pegadas de três dedos, que são características de predadores como o Tiranossauro rex.

As marcas haviam sido feitas por dinossauros e parecem com a “cerimônia de raspagem”, uma demonstração dos seus conhecimentos de escavação, necessários para construir os ninhos no solo, que as fêmeas de avestruz exigem que o macho faça antes do acasalamento.

Os pesquisadores apontam que os autores dessas marcas podem ter feito o mesmo, 100 milhões de anos atrás.

No entanto, Knell afirma que podemos nunca saber muito sobre os detalhes curiosos da maioria dos rituais de acasalamento dos dinossauros.

Fonte: BBC

Caçador afirma ter fotografado ‘alienígena nu e cabeçudo’

Matéria anterior

Saiba como o ser humano aprendeu a comer plantas tóxicas sem a ajuda da ciência

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos