O universo é vasto e misterioso. Esse vácuo, conhecido como espaço, é ainda uma grande incógnita para os seres humanos e esconde segredos inimagináveis. Mesmo com todo o avanço tecnológico, a lista de planetas e exoplanetas conhecidos por nós não vai muito além de nossa galáxia, a Via Láctea. E sabemos, por exemplo. que o maior planeta em nosso sistema solar é Júpiter.

Mas a pesquisa de astrônomos no espaço não para. E um sistema planetário foi encontrado na ponta de Órion. Ele poderia deixar Tatooine, que é o planeta com dois sóis fictício de Star Wars, no chinelo se comparado com ele.

O raro sistema com três estrelas que foi descoberto é chamado de GW Orionis (GW Ori). Nesse sistema, duas das estrelas orbitam uma a outra no centro. E a terceira, a centenas de milhões de quilômetros de distância, orbita as suas outras duas irmãs.

A descoberta desse sistema foi feita por conta dos seus três anéis brilhantes de poeira e gás que formarão planetas. Tanto um estudo como uma análise mais detalhada que foram  publicados recentemente descobriram que pode existir um planeta jovem ou em formação nesses anéis de poeira.

A existência desse planeta explicaria a instabilidade no anel interno. E segundo os cientistas, ele também seria o primeiro planeta já encontrado em um sistema com três sóis.

Publicidade
continue a leitura

“Nossas simulações mostram que a atração gravitacional das estrelas triplas por si só não pode explicar o grande desalinhamento observado nos anéis. Achamos que a presença de um planeta provavelmente esculpiu uma lacuna de poeira e quebrou o disco onde os anéis interno e externo se encontram”, disse Nienke van der Marel, astrofísica da Universidade de Victoria no Canadá, e coautor da pesquisa.

Anel

A maioria dos sistemas planetários do universo são feitos de estrelas binárias, ou seja, duas estrelas que orbitam um baricentro comum de massa. E de acordo com um estudo recente, até o nosso sol pode ter tido um irmão perdido que foi ejetado para além de Netuno.

Publicidade
continue a leitura

Já os sistemas de estrelas tripas, como o GW Orionis, são menos comuns porque a atração gravitacional combinada de três sóis pode ser uma coisa difícil de se conciliar. Isso porque, se a massa da terceira estrela e a distância do outro par não estiverem corretas, a estrela pode facilmente ser expulsa do sistema e viajar pelo espaço interestelar. Tudo isso de acordo com as conclusões de um estudo de 1994.

Até mesmo quando as três estrelas estão alinhadas a combinação da sua gravidade pode levar a efeitos bizarros. Em nosso sistema solar, cada planeta fica dentro de um único disco de gás e poeira. E cada planeta orbita em  uma área relativamente plana alinhada com o sol.

Em GW Ori, são três anéis diferentes de poeira que orbitam em  torno do centro do sistema planetário. E nenhum deles está alinhado com a órbita das três estrelas. Além disso tudo, o anel mais interno do sistema é totalmente desalinhado com os dois anéis de fora. E ele se projeta na diagonal para fora do plano, parecido com um navio afundando.

Mistério

Publicidade
continue a leitura

De acordo com os cientistas, o mistério ao redor disso pode ter a solução em um planeta ainda não descoberto que estaria exatamente no local  onde os anéis interno e externo do disco rompem.

“O anel interno contém poeira suficiente para construir 30 Terras, o que é suficiente para um planeta se formar no anel”, afirmou o principal autor do estudo e professor de astrofísica Stefan Kraus, da University of Exeter na Inglaterra.

Esse planeta teria uma órbita ao redor das três estrelas que formam o núcleo do seu sistema planetário. Coisa que é diferente de tudo que já foi observado até o momento. Diferente de todos os exoplanetas esquisitos já encontrados. Mas até o momento não existem muitas evidências. Especialmente, de que o planeta exista além de uma sugestão.

Publicado em: 11/09/20 15h54