O suco de laranja já poderia ser enquadrado como patrimônio cultural do Brasil pela frequência em que aparece na culinária nacional. Ele está em praticamente tudo, servindo como ingrediente em receitas gourmet ou simplesmente em seu formato tradicional: bebida saudável e saborosa. No entanto, por que não encontramos sorvete e picolé de laranja? As laranjas são baixas em calorias e cheias de nutrientes, promovem uma pele mais saudável e podem ajudar a diminuir o risco de muitas doenças. Laranjeiras são as árvores frutíferas mais comumente cultivadas no mundo, incluindo aqui em nosso país. A sua doçura natural, mesclada à grande variedade de tipos e diversidade de usos, remodelam qualquer prato culinário em direção ao nosso bem-estar. Por que, então, não aproveitá-la como uma sobremesa doce, congelada e saborosa? Por que não encontramos sorvete e picolé de laranja com facilidade? Já parou para pensar nisso?

Alimentos congelados de limão são fáceis de serem comprados, mas produtos que contenham o sabor de laranja são praticamente impossíveis de se ver por aí. A cientista de alimentos Lúcia Peret garante uma explicação técnica para o fenômenos e nos mostra o motivo da fruta não ser bem aceita no mercado, especialmente quando o assunto é sorvete ou picolé.

Conservação

Publicidade
continue a leitura

Segundo a American Heart Association (AHA), comer quantidades mais elevadas de um composto encontrado em frutas cítricas, como laranjas e toranja, pode reduzir o risco de derrame isquêmico para as mulheres. Contudo, não encontramos a laranja em receitas que exigem sua conservação por um longo período de tempo. A explicação reside nos componentes físicos que constituem-na como fruta.

Mas, então, por que não encontramos sorvete e picolé de laranja? Lúcia Peret, cientista de alimentos, explica que o sumo da laranja costuma amargar com o passar do tempo. Dessa maneira, seus subprodutos não são completamente aceitos pelo mercado.

O mesmo fenômeno acontece com os limões, porém é super possível encontrar sorvetes e picolés baseados na fruta. Por quê? A cientista reforça que o suco de limão também deixa um sabor amargo, característica comum das frutas cítricas.

Publicidade
continue a leitura

Entretanto, para se fazer uma limonada, é necessário menos limões em comparação com a quantidade de laranjas. A proporção de amargor não aparece no picolé de limão da mesma maneira que a nossa fruta alaranjada. Por isso, o sorvete e picolé de laranja amargam com mais facilidade e, sem demanda, os produtos são descartados.

Ausência de demanda

Outro ponto levantado pela especialista é a oferta abundante de laranja no Brasil, o que faz com que a criação de outros produtos derivados da fruta seja extremamente difícil. Segundo Pedro Nuno, supervisor da sorveteria San Paolo, o sorvete e picolé de laranja não são fazem parte do cardápio porque não é uma preferência da maioria dos clientes.

Publicidade
continue a leitura

A especialista Lúcia Peret também tem a resposta à esta ausência de demanda. "A tendência é que você chupe o picolé de laranja e compare com o sabor do suco. A indústria só investe em produtos em que ela vê perspectivas de venda", diz.

Agora já sabe por que não encontramos sorvete e picolé de laranja com tanta facilidade por aí? Sente falta de um sorvetinho de laranja ou acha que não faz diferença no seu dia a dia?

Publicado em: 23/04/19 16h06