icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Quantas pessoas seriam necessárias para colonizar Marte?

POR Erik Ely EM Ciência e Tecnologia 14/08/20 às 23h00

capa do post Quantas pessoas seriam necessárias para colonizar Marte?

Recentemente, a NASA lançou a missão 'Mars 2020'. Na missão, foram enviados o rover Perseverance e o helicóptero Ingenuity, que buscaram por bioassinaturas. Assim, já sabemos que, no futuro, a agência espacial enviará, além de equipamentos, pessoas para o Planeta Vermelho. No entanto, você já parou para se perguntar: quantas pessoas seriam necessárias para colonizar Marte?

Colonizar o planeta significa criar uma colônia marciana. Nesse sentido, o professor Jean-Marc Salotti estipula um número mínimo de pessoas em seu artigo, publicado na revista Nature. Segundo o estudo "Minimum Number of Settlers for Survival on Another Planet" ("A quantidade mínima de colonos para sobrevivência em outro planeta", em tradução livre), seriam necessárias apenas 110 pessoas para colonizar Marte.

Como o estudo chegou a esse número?

De acordo com Salotti, para alcançar uma estimativa razoável, foi necessário trabalhar com um modelo matemático. Dessa forma, foi possível determinar a quantidade mínima de colonos levando em consideração o estilo de vida que eles adotariam em Marte. Com isso, o número aproximado de colonos é de 110 pessoas. Para a realização dos cálculos, Salotti considerou a capacidade de sobrevivência de um grupo, caso eventuais problemas ocorressem, como, por exemplo, a interrupção do envio de cargas da Terra. Esse tipo de situação poderia ser causada por diversos fatores, entre eles, podemos citar uma possível guerra ou custos tão elevados que tornariam todo o processo inviável. Por fim, o número também leva em consideração o fato de que, os colonos teriam que produzir, em Marte, metais, roupas, cerâmicas e outros artigos necessários para sua sobrevivência.

Em Marte, as 110 pessoas precisariam se adaptar para utilizar objetos fáceis ou menos complexos de serem produzidos. Nesse cenário, eles teriam de dividir tudo, água, comida, ferramentas, trajes e veículos. Portanto, além de sobreviverem, essas pessoas estariam formando uma nova estrutura de sociedade. Assim, todas essas questões de "como viver fora da Terra" seriam levantadas.

Sobreviver em outro planeta pode ser mais simples do que parece

Ainda que este cenário apresente uma sociedade formada por pouquíssimos indivíduos, esse número traz muitos riscos. Isso porque, com poucas pessoas, é mais provável que problemas como infertilidade, acidentes, brigas ou falta de recursos coloquem a missão em risco. Caso isso aconteça no início da missão, é bastante provável que todo o projeto esteja em risco. "Isso seria especialmente verdadeiro no início da colônia, onde qualquer acidente poderia reduzir dramaticamente a capacidade de produção", afirma Salotti. Ainda segundo o pesquisador, começar o projeto com grandes recursos seria uma boa forma de evitar riscos maiores.

Para Salotti, uma vez que esse tipo de problema inicial seja enfrentado, novas bases e indústrias serão construídas ao longo dos tempos. Assim, após alguns séculos, esperamos que uma sociedade seja, de fato, estabelecida. "Isso é especialmente verdade no início do assentamento, pois qualquer acidente pode reduzir drasticamente a capacidade de produção. Para mitigar os riscos, será importante começar com grandes quantidades de recursos e peças de reposição", afirma Salotti. "Se esse número relativamente baixo se confirmar, a sobrevivência em outro planeta pode ser mais simples do que esperávamos", completa o pesquisador.


Próxima Matéria
Via   CanalTech  
avatar Erik Ely
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest