Desde que o homem foi à lua, as expedições e explorações do espaço sempre pairaram a humanidade. Os humanos sonham em ir para Marte, praticamente desde quando o planeta foi descoberto. A NASA diz que não deve demorar tanto para enviar uma missão tripulada.

Mesmo com todas as expedições, ainda se sabe muito pouco sobre Marte. Ele é o segundo menor planeta do sistema solar, tendo apenas 10% da massa da Terra. O planeta também tem a montanha mais alta conhecido de todo o sistema solar.

A superfície do Planeta Vermelho é conhecida pela sua aridez extrema. E o planeta todo é desértico com rochas, areia e gelo em algumas partes. Mas a confirmação de água no estado líquido não existia até pouco tempo.

Mas em 2018 os cientistas fizeram uma descoberta bem significativa. Eles encontraram sinais de um gigantesco reservatório de água embaixo do solo no polo sul de Marte. E recentemente outra descoberta bastante significativa foi feita. Foi descoberto não somente um reservatório, mas sim uma rede de lagos subterrâneos no polo sul de Marte.

Essa é a confirmação de que a primeira descoberta de água líquida embaixo do solo do planeta não é um evento isolado ou raro.

Publicidade
continue a leitura

“A existência de um único lago subglacial pode ser atribuída a condições ad-hoc, como a presença de um vulcão sob o manto de gelo, ou alguma outra situação única para o local específico onde encontramos o primeiro lago subglacial”, afirmou a geofísica Elena Pettinelli da Universidade Roma Tre na Itália.

Água

“A descoberta de todo um sistema de lagos, em vez disso, sugere que seu processo de formação seja relativamente simples e possivelmente comum", ressaltou Pettinelli. O primeiro lago subglacial foi anunciado em 2018. Esse lago foi encontrado pela sonda Mars Express que orbita o planeta.

A sonda usa a mesma técnica que é  usada para encontrar lagos subglaciais na Antártica. Ou seja, ondas de rádio são emitidas e os seus ecos são medidos na busca de um sinal alterado que mostra alguma topografia.

Publicidade
continue a leitura

Essas ondas do Mars Express exibiram no começo, um único lago subglacial de 1,5 quilômetros debaixo do polo sul. E com 20 quilômetros de diâmetro.

“Alguns tipos de material refletem os sinais de radar melhor do que outros, e água líquida é um desses ‘materiais'. Portanto, quando os sinais vindos do subsolo são mais fortes do que os refletidos pela superfície, podemos confirmar que estamos na presença de água líquida. Os radares são usados ??na Terra, onde podemos verificar diretamente os resultados, para o mesmo fim. Por isso temos certeza de que a técnica é confiável", disse Graziella Caparelli, co-autora do estudo e cientista planetária da University of Southern Queensland, na Austrália.

Desde então, os pesquisadores tem analisado dados que foram coletados entre 2010 e 2019. Com isso eles descobriram três novos reservatórios. Ou seja, uma rede de lagos subglaciais separados por regiões de rochas secas estão escondidos embaixo do polo sul. E eles estão perto do primeiro lago descoberto.

“Em um ambiente subglacial terrestre, tais reflexos fortes abaixo do gelo estão associados à presença de água basal. Não há outros mecanismos físicos que possam gerar uma anomalia tão forte, até onde sabemos. É importante ressaltar que obtivemos os mesmos resultados usando métodos de processamento e análise de dados mais avançados do que para nosso artigo de 2018. E o fato de que, após executar um processo de análise de dados tão rigoroso, confirmamos a presença desse lago e encontramos outros lagos, nos deixa bastante confiantes sobre a nossa interpretação de que o líquido é água", explicou Pettinelli.

Publicidade
continue a leitura

Lagos

Essa descoberta pode também indicar novos lagos a serem descobertos. Além de ter implicações para a vida microbiana. “Esses lagos provavelmente existiram durante grande parte da história de Marte. Por esta razão, eles ainda poderiam reter traços de quaisquer formas de vida que possam ter evoluído quando Marte tinha uma atmosfera densa, um clima mais ameno e a presença de água líquida na superfície, semelhante a da Terra primitiva", afirmou o cientista planetário, Roberto Orosei, do Instituto Nacional de Astrofísica da Itália.

Agora os pesquisadores estão buscando água em outros lugares de Marte. Talvez, existam mais lagos subterrâneos em outras latitudes além dos polos. E talvez até no polo norte do planeta.

“Não é implausível que lagos basais também existam abaixo da calota polar norte”, afirmou Caparelli.

Publicado em: 02/10/20 15h45