O nosso universo é um lugar sem fim, com inúmeras galáxias compostas por seus componentes diversos. Formadas por planetas, cometas, estrelas, supernovas e uma infinidade de coisas, as galáxias são diariamente estudadas. Pessoas dedicam suas vidas a descobrir algo novo sobre esses lugares. Diversos estudiosos focam na Via Láctea, onde o Sistema Solar em que vivemos está. Essa é uma galáxia espiral e, vista da Terra, aparece como uma faixa brilhante e difusa. Essa circunda a esfera celeste, recortada ainda por nuvens moleculares. Não conseguimos vê-la perfeitamente bem por causa da poluição luminosa. Com poucas exceções, todos os objetos visíveis a olho nu pertencem à galáxia.

Estima-se que a Via Láctea tenha uma idade estimada em treze bilhões de anos. Nesse período, passou por diversas fases evolutivas até chegar a sua forma atual. A galáxia possui centenas de bilhões de estrelas e estruturas diferenciadas entre si. A Via Láctea é tão grande que no centro há um buraco negro supermassivo. Ao redor do buraco, estende-se o disco galáctico, formado por estrelas de vários tipos, nebulosas, poeira estelar, dentre outras coisas. E em um lugar tão grande, possivelmente há outros planetas como o nosso. Na verdade, estudiosos acreditam que existam, na Via Láctea, até 6 bilhões de planetas como a Terra. Confira conosco mais detalhes.

6 bilhões de planetas como a Terra na Via Láctea

Publicidade
continue a leitura

De acordo com estudiosos, pode haver um planeta parecido com a Terra para cada cinco estrelas parecidas com o Sol na Via Láctea. Isso quer dizer que há quase 6 bilhões de planetas parecidos com o nosso. Essa estimativa foi publicada no mês de maio, no Astronomical Journal. Trata-se do resultado de uma pesquisa conduzida por cientistas da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá. Para ser considerado parecido com a Terra, o planeta precisa ser rochoso, além de ter o tamanho parecido com o nosso.

Além disso, precisa orbitar na zona habitável de sua estrela. "Nossa Via Láctea tem até 400 bilhões de estrelas, sendo 7% do tipo G". Essa foi a afirmação de Jaymie Matthews, coautor do estudo em uma declaração. "Isso significa que, em nossa galáxia, menos de 6 bilhões de estrelas podem ter planetas semelhantes à Terra", completou.

Publicidade
continue a leitura

Identificar um planeta como a Terra não é uma tarefa fácil. Isso porque eles são muito pequenos e têm órbita muito distante de suas estrelas. Para um novo estudo, os estudiosos utilizaram uma técnica conhecida como modelagem direta. Começaram simulando toda a população de exoplanetas em torno das estrelas detectadas pelo Telescópio Kepler, da Nasa. "Marquei cada planeta como 'detectado' ou 'perdido'. Depois, comparei os planetas detectados com meu catálogo de astros conhecidos", disse Michele Kunimoto, coautora do estudo.

Publicidade
continue a leitura

"Estimar como diferentes tipos de planetas são comuns em torno de estrelas diferentes pode fornecer restrições. Essas, importantes às teorias de formação e evolução de planetas, e ajudar futuras missões dedicadas a encontrar exoplanetas", finalizou Kinimoto.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comente então pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.

Publicado em: 25/06/20 10h09