Técnicas para reconhecimento facial em produtos eletrônicos já estão entre nós e com avanços, cada vez mais, impressionantes. O que começou com um simples recurso fotográfico, hoje, já se expandiu para linhas diversas de gadgets. A cada novidade, a menos você precisa se movimentar para executar qualquer ação de seus aparelhos.

Mesmo sendo uma ferramenta incrível e de segurança eficaz, terminais de reconhecimento facial foram, recentemente, enganados. Sim, é isso mesmo. Pesquisadores usaram fotografias e máscaras 3D para realizar pagamentos com WeChat e AliPay. Ou seja, é preciso ter cuidado.

Como a tecnologia de reconhecimento facial, agora, está sendo usada como uma ferramenta de segurança eficaz, seja em aeroportos e ou prédios governamentais, a Kneron, uma empresa líder em reconhecimento facial de San Diego, decidiu descobrir se seria fácil, ou não, driblar o sistema.

O teste

Publicidade
continue a leitura

Para tal, a Kneron imprimiu uma máscara 3D de alta qualidade, que se assemelha ao rosto de um indivíduo x. A empresa, então, testou a máscara em três plataformas diferentes e em diversos países. Para surpresa de todos os envolvidos, a máscara conseguiu enganar os sistemas de reconhecimento facial.

Os pesquisadores da Kneron, usaram a máscara 3D, para enganar os sistemas de reconhecimento facial via aplicativos, como, por exemplo, o WeChat e AlliPay. Com a máscara, foi possível realizar compras tranquilamente.

Para averiguar se era possível driblar outros sistemas, os pesquisadores utilizaram a máscara nos sistemas de reconhecimento facial das estações ferroviárias da China. No país, os cidadãos usam a tecnologia, para pagar o meio de transporte. Ali, também foi possível enganar o sistema.

Após driblar a segurança das estações de trem, a empresa resolveu averiguar o sistema do aeroporto de Schiphol, na Holanda. Foi exatamente aí, que a questão se tornou mais preocupante. Afinal, os pesquisadores também conseguiram enganar o sistema. E por que se tornou mais preocupante? Porque ali, no aeroporto, a empresa não utilizou a máscara.

Publicidade
continue a leitura

O sistema de reconhecimento do aeroporto da Holanda foi driblado por uma simples foto na tela do telefone. “Já há atualizações para corrigir esses problemas, mas as empresas não atualizam o sistema”, disse o CEO da Kneron, Albert Liu.

No entanto, ao que parece, nem tudo está perdido. A Kneron anunciou que eles foram incapazes de enganar os scanners de reconhecimento facial do iPhone e da Huawei. Supostamente, a tecnologia utilizada pelas marcas são mais avançadas.

Em contrapartida, o fato de serem capazes de enganar sistemas em aeroportos e estações ferroviárias indica que os sistemas de identificação facial 100% seguros ainda estão por vir.

Reconhecimento facial

Publicidade
continue a leitura

O rosto humano, mesmo variando de pessoa para pessoa, possui uma composição básica. Tal composição, segundo especialistas, não se altera. E é essa composição que é lida pelos aplicativos.

Ao utilizar logaritmos e um software que mapeiam esse padrão nas pessoas, é possível registrar o rosto ou todos os movimentos. Basicamente, todas as tecnologias de reconhecimento facial possuem o mesmo princípio. Ou seja, detectar um rosto em formas geométricas e logarítmicas e, então, montá-lo como em um quebra-cabeça.

Assim como toda tecnologia, o reconhecimento facial também começou com falhas e limitações. Mas com os avanços tecnológicos, tais problemas foram eliminados. Quer dizer, parte deles.

Publicado em: 03/01/20 20h59