O nosso mundo esconde coisas incríveis, capazes de surpreender até mesmo os estudiosos mais preparados. Há quem dedique suas vidas, estudando coisas do passado, para que assim possamos compreender como era a vida há milhares de anos atrás. Recentemente, uma descoberta chamou a atenção de muitas pessoas. Trinta tábuas de chumbo de, pelo menos, 2.500 anos foram encontradas. Elas estavam em um poço de água, no antigo cemitério de Cerâmico, em Atenas, na Grécia. A descoberta foi feita por profissionais do Instituto Arqueológico Alemão. De acordo com eles, as inscrições nos artefatos mostram que elas são exemplares de tábuas "enfeitiçadas" ou "amaldiçoadas".

De acordo com os especialistas, as maldições eram textos ritualísticos. Esses eram destinados a causar danos a outras pessoas. Havia quatro razões principais para amaldiçoar uma pessoa. Um deles era vencer um processo jurídico. Obter sucesso nos negócios, vencer competições esportivas e assuntos que envolvem amor de ódio eram os outros motivos. "A pessoa que encomendava uma maldição, nunca era mencionada pelo nome. Somente o destinatário era", disse Jutta Stroszeck, uma das pesquisadoras. A descoberta dessas tábuas fez com que diversos estudiosos do mundo inteiro, voltassem seus olhos para o achado, que pode revelar muito sobre o passado.

Tábuas amaldiçoadas

Publicidade
continue a leitura

As tábuas são pequenas e eram gravadas com maldições antigas. Essas, segundo as crenças, eram capazes de invocar os deuses do submundo. A melhor forma de enviar uma mensagem às entidades, era colocar esses objetos sobre as tumbas. Mesmo que fossem praticadas, na época, as obras, que eram chamadas de "artes obscuras", eram reprovadas em Atenas e proibidas por lei. Os gregos então, para não deixarem de "amaldiçoar" os rivais, começaram a lançar as tábuas, em poços de água de cemitérios. Eles dedicavam os artefatos à sua ninfa da água.

Publicidade
continue a leitura

De acordo com Stroszeck, a água, principalmente a potável era considerada algo sagrado. Lançar uma dessas placas era uma forma de irritar a entidade. "Na religião grega, a água era protegida por ninfas. Elas podiam se tornar muito maliciosas quando a água era maltratada", disse a especialista. Portanto, além de lançar as tábuas com nome do inimigo, que "ativaria" a fúria da ninfa, as pessoas jogavam oferendas no poço. Não foram apenas essas tábuas que encontraram no Cerâmico.

Publicidade
continue a leitura

De acordo com os pesquisadores, outros itens foram descobertos no lugar, como copos, recipientes para vinho, luminárias, moedas e vários outros. De muito longe, a descoberta mais interessante foi a das tábuas. Segundo os cientistas, os gregos do passado costumavam contratar escritores profissionais de maldições. Isso porque eles acreditavam que essas pessoas tinham alguns poderes sobrenaturais. Era algo como uma facilidade na criação de feitiços. Sendo assim, não era qualquer pessoa que podia escrever uma maldição e lançar sobre alguém. Os gregos eram bastante cautelosos nesse sentido.

E aí, o que você achou dessa matéria? Sabia sobre essas possíveis maldições que os gregos acreditavam? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.

Publicado em: 10/02/20 15h40