Curiosidades

Ter um propósito na vida pode ajudar você a encontrar o amor, diz estudo

0

Se você está solteiro e busca o amor, talvez ter um propósito de vida ajude nos seus objetivos. Mas qual a relação?

É comum que amigos, familiares e conhecidos digam coisas parecidas sobre ser uma pessoa interessante e atrair parceiros pela sua personalidade. Por exemplo, tentando se concentrar em si mesmo, ter hobbies e estabelecer metas pessoais ajuda na construção do seu perfil.

No entanto, o que se descobriu agora é que esse conselho é mais real do que parece!

É o que diz uma pesquisa publicada em 20 de novembro de 2023 no periódico International Journal of Applied Positive Psychology, conduzida por Isabella C. D’Ottone e Patrick L. Hill, da Universidade de Washington em St. Louis, e Gabrielle N. Pfund, da Northwestern University em Evanston, Illinois, ambas instituições nos Estados Unidos.

D’Ottone compartilhou que a equipe encontrou dados interessantes sobre atrair o amor e ter propósito de vida. Segundo o relatório, indivíduos com objetivos sólidos e bem-traçados se tornam mais atraentes romanticamente, na visão de outras pessoas.

A doutora liderou este estudo enquanto era estudante de graduação no laboratório de Hill, expandindo uma pesquisa anterior de Pfund que investigava como o “senso de propósito” se relaciona com a manutenção de relacionamentos de longo prazo.

Via Freepik

Estudo

O recente estudo desenvolveu nove perfis fictícios de relacionamento em uma plataforma online e os submeteu a 119 participantes, que foram encarregados de avaliar os personagens em diferentes aspectos de atratividade.

A faixa etária dos voluntários variava entre 18 e 22 anos, sendo que 63,6% se identificavam como mulheres, 33,9% como homens, 1,7% como queer, e 0,8% optaram por não divulgar seu gênero.

Em relação à etnia, os participantes eram majoritariamente brancos caucasianos (38,7%) e asiáticos ou das ilhas do Pacífico (30,3%). Dentro do grupo, 10,1% eram afro-americanos e 5% hispânicos ou latinos.

Quatro dos nove perfis fictícios apresentavam categorias distintas de “senso de propósito”, enquanto os outros cinco não indicavam qualquer objetivo de vida específico.

As quatro categorizações de “senso de propósito de vida” nos perfis incluíam:

  • orientação pró-social (alguém com objetivos voltados para ajudar os outros);
  • orientação de relacionamento (metas centradas na família e em encontrar um parceiro romântico);
  • orientação financeira (metas relacionadas à segurança financeira);
  • e orientação criativa (aspirações com foco na criatividade e originalidade).

Atração por propósito de vida

Os pesquisadores observaram que os participantes do estudo tinham uma avaliação mais positiva dos perfis que exibiam “propósito de vida”. Além disso, as chances eram maior se compartilhassem o mesmo propósito de vida que os perfis fictícios.

Por exemplo, indivíduos pró-sociais aparentavam estar mais atraídos por pessoas com metas relacionadas à solidariedade, e assim por diante.

Enquanto isso, os perfis focados em finanças não foram tão bem avaliados em comparação com outras categorias – exceto, é claro, por participantes que também se consideravam motivados financeiramente.

Hill observa que não se trata apenas de atração física, mas também de reconhecer alguém que tenha um propósito na vida.

Objetivo

Via Freepik

O especialista sugere que os resultados da pesquisa poderiam ser aplicados no desenvolvimento de aplicativos de namoro.

Enquanto alguns programas já possuem sugestões e quebra-gelos para iniciar conversas, poderiam também integrar um componente voltado para propósitos de vida.

Dessa forma, alinhamentos mais próximos encontrariam pessoas compatíveis, com mais chances de desenvolver um relacionamento duradouro.

No entanto, D’Ottone alerta que não se trata de fingir interesse por algo, mas sim de possivelmente descobrir o amor em lugares inesperados. Ou seja, os perfis devem ser reais e se manter fiéis ao seu propósito de vida.

A cientista acredita que perseguir ativamente alguém especial pode resultar em desencontros, mas ao perseguir suas paixões, você pode encontrar essa pessoa especial ao longo do caminho.

 

Fonte: Revista Galileu

Imagens: Freepik, Freepik

Como caso de Taylor Swift pode ajudar vítimas de deepfakes pornográficos

Previous article

Ouvido de 6 milhões de anos dá pistas de como humanos aprenderam a andar

Next article

Comments

Comments are closed.