Durante uma escavação em Sidi Gaber, em Alexandria, no Egito, uma sarcófago de granito de 2,65 metros foi encontrado. O anúncio do artefato foi feito no dia 01 de julho de 2018 pelo chefe do Ministério das Antiguidades do país, o Dr. Ayman Ashmawy.

A tumba foi encontrada cerca de 5 metros abaixo da superfície. Uma camada de "argamassa" que estava entre a tampa e o corpo no sarcófago estava intacta. Revelando que o caixão de granito pode nunca ter visto a luz do dia desde o dia em que foi fechado.

O sarcófago

Publicidade
continue a leitura

O artefato tem 2,65 metros de comprimento, 1,85 metros de altura e 1,65 metros de largura, e foi construído em granito negro. Os arqueólogos acreditam que o sarcófago pertence ao período ptolomaico, dinastia vinda da Macedônia e que teria governado o Egito por 275 anos.

Publicidade
continue a leitura

Porém, ainda resta uma grande dúvida sobre a nova descoberta. A quem pertencia o caixão de pedra. Alguns metros dali, um outro artefato foi encontrado: uma escultura de uma cabeça, que provavelmente pertence a pessoa enterrada. A peça foi esculpida em uma pedra chamada alabastro e foi parcialmente corroída pela ação do tempo.

O alabastro é uma rocha muito macia, e devido a corrosão, deve requerer um trabalho investigativo por parte dos pesquisadores para descobrir a quem o sarcófago de fato pertencia. Pelo tamanho do caixão, os cientistas acreditam que se tratava do sepultamento de alguém com status relevante na sociedade.

A cidade onde o objeto foi descoberto, Alexandria, é um local de incríveis descobertas arqueológicas. Alexandria durante muito tempo serviu de entreposto comercial no Mediterrâneo, onde pessoas de diferentes lugares e culturas circulavam.

Publicidade
continue a leitura

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não deixem de compartilhar com os amigos.

Publicado em: 11/07/18 14h53