Curiosidades

Valhalla, o lar dos deuses nórdicos e dos maiores guerreiros

0

Se você é fã de mitologia nórdica ou pelo menos assiste à série de TV, Vikings, você provavelmente já ouviu falar sobre Valhalla, certo? Enquanto para outras culturas a morte é temida por muitos, na mitologia nórdica não funciona assim. Na verdade, pelo contrário. Para os guerreiros nórdicos, morrer em batalha é uma honra que será recompensada por uma vida eterna no Palácio de Valhalla, ao lado do pai de todos, o deus Odin.

Destemidos e corajosos, os guerreiros nórdicos lutam para vencer sem medo de padecer em uma batalha. Caso isso aconteça, eles seriam levados pelas Valquírias para morar em Valhalla, o maior palácio de todos os nove mundos. Lá, eles lutariam e festejariam eternamente ao lado de Odin e de outros guerreiros.

Essas promessas de glória em Valhalla tem grande influência na natureza guerreira dos antigos vikings. Afinal, essa eternidade desejável era bem melhor do que o destino vazio daqueles que morriam por velhice ou doença. Morrer em batalha era a prova de que o guerreiro era digno de entrar pelos portões de Valhalla e de se sentar ao lado do rei dos deuses. Confira a seguir um pouco sobre o grande Palácio de Valhalla.

Valhalla

Valhalla é o maior e mais importante palácio de Asgard pertencente a Odin, o pai de todos. Construído no Bosque de Glesir, em Asgard, Valhalla conta com 540 portas gigantes. Para se ter uma ideia, as portas são tão largas, que 800 guerreiros poderiam caminhar lado a lado. O palácio é coberto por um telhado de escudos dourados, com paredes feitas de lanças de madeira. É o lugar onde todos os guerreiros vikings honrados que morrem em batalham vão após a sua morte.

Segundo a mitologia nórdica, Odin construiu Valhalla com o intuito de treinar os seus melhores guerreiros para o fatídico dia do Ragnarok, o fim do mundo. Assim, todos os dias, os guerreiros colocam a suas armaduras pegam a suas armas e vão para os campos de batalha em Asgard e lutam uns contra os outros.

Durante o dia, os guerreiros competiam em jogos de força, e como já estava mortos, não poderiam morrer novamente. Durante a noite, todos eles se reuniam no grande salão para aproveitar de um enorme baquete servido na presença de Odin e sua esposa, a deusa Frigga. Histórias de bravura eram contadas com orgulho pelos guerreiros. Os vikings se banqueteavam com carne de porco e de javali. e bebiam litros e mais litros de hidromel.

O Ragnarok

Quando Odin sacrificou um dos seus olhos para obter conhecimento, ele pôde ver o passado e o futuro. Foi assim que ele viu o fim do mundo, conhecido como o Ragnarok. O ciclo do universo nórdico se encerraria quando os deuses entrassem em uma grande batalha. Enfrentando o mal, os deuses morreriam e isso colocaria um fim ao mundo. É devido a esse evento que existe Valhalla. Todos os melhores guerreiros nórdicos são levados pelas Valquírias para Valhalla, onde eles treinaram para a batalha final.

As Valquírias, mulheres que cavalgam em cavalos alados, eram as entidades designadas a buscar os mortos no campo de batalha e levá-los para o seu destino glorioso. O nome “valquíria” é composto de duas palavras que significam “as que escolhem os mortos”. Elas são frequentemente citadas nas obras poéticas da mitologia nórdica, descritas como as mais belas mulheres.

E você, já conhecia a história de Valhalla? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos fãs de mitologia nórdica.

Valentina Tereshkova, a primeira mulher a ir para espaço

Matéria anterior

7 coisas que você não sabia sobre a vida de Ryan Reynolds

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.