O nosso mundo é um imenso berço de diversidade. Não apenas entre os seres humanos, que são totalmente diferentes uns dos outros, mas também na fauna e na flora. Há vários tipos de plantas e, acredite, ainda não conhecemos todas as que existem. Assim são os animais. Embora conheçamos diversas espécies espalhadas pelo mundo, ainda não chegamos na metade das milhões estimadas. Por esse motivo, estamos sempre nos surpreendendo com novos estilos de animais e, mais do que isso, nos surpreendendo com o reaparecimento daqueles que já foram considerados totalmente extintos da natureza.

O termo "sapo" é uma designação genérica de anfíbios da ordem Anura. Eles são, em sua maioria, terrestres, tem uma pele rugosa e glândulas parotoides que se parecem com verrugas. Geralmente, sapo é usado para se referir a família Bufonidae. Mas como ele não é um termo científico também pode ser usado para espécies de famílias como Bombinatoridae, Discoglossidae, Pelobatidae, Rhinophrynidae, Scaphiopodidae e Microhylidae.

Alguns sapos são mais conhecidos de todos, mas os do gênero Breviceps provavelmente não é um deles. Mas ele deveria ser mais conhecido, principalmente por sua aparência. É claro que quando pensamos em sapos sempre nos vem aquela imagem de um animal esverdeado, grande e meio nojento. Mas nem todos são assim.

Esses, em especial, parecem ser bolinhas zangadas e ao mesmo tempo muito fofas. O lado ruim é que muitas espécies desse gênero estão ameaçadas de extinção. Como por exemplo a Breviceps fuscus, da África do Sul.

Publicidade
continue a leitura

Mato

Essa espécie é chamada em inglês de "black rain frog", algo como "sapo preto da chuva" em livre tradução. Ele é encontrado nas encostas do sul do cinturão de Cape Fold, na África do Sul, em altitudes de mais de mil metros. E o habitat natural desse sapo são as florestas temperadas e os matagais mediterrânicos.

Quando ele se sente ameaçado ele incha e aumenta o tamanho do seu corpo. Além de ficar com um comportamento mais agressivo. Mas isso não quer dizer que ele não goste de companhia. Na sua época de acasalamento, a fêmea da espécie secreta uma substância pegajosa em suas costas, justamente para evitar que o macho caia. Ela literalmente não deixa o seu parceiro ir embora.

Publicidade
continue a leitura

Deserto

Outra espécie é o Breviceps macrops, que pode ser encontrado em uma pequena faixa costeira de terra que fica entre a Namíbia e a África do Sul. Esse sapo passa a maior parte do seu tempo enterrado nas dunas de areia.

O habitat deles é bem propenso a ter nevoeiros, e é justamente isso, que mantém a areia úmida nessa região que, geralmente, é árida. E os sapos conseguem absorver água diretamente da areia. Eles fazem isso, graças aos seus vasos sanguíneos e capilares da barriga.

Publicidade
continue a leitura

O sapinho é pequeno e zangado, mas sua característica mais curiosa é o seu "rugido feroz". O som que o sapo faz, para nós humanos, é até adorável. Ele se parece com um som feito por algum brinquedo de criança. O sapo emite o som quando quer defender o seu território.

Publicado em: 10/06/20 16h14