O (polêmico) diretor Lars von Trier exigiu serviço médico a postos para atender os espectadores de seu novo filme The House That Jack Built na 71ª edição do festival de Cannes. Não precisou. A emoção causada pela história não fez o público saltar das cadeiras e ter ataques, e sim abandonar a sessão depois de alguns minutos de exibição devido a brutalidade explícita do serial killer Jack, interpretado por Matt Dillon.

Faz um tempo que Dillon não dava as caras nos cinemas e parece que ele afirmou ainda mais o seu talento como o serial killer - afinal, ele conseguiu assombrar os espectadores a ponto de deixá-los desconfortáveis com sua atuação. Depois de cenas como ele mutilando uma mulher e uma criança, 100 pessoas não aguentaram e saíram da sessão. Quer um gostinho mais leve do que elas assistiram? Confira o trailer:

Publicidade
continue a leitura

"... não é arte ou entretenimento". 

Publicidade
continue a leitura

No Twitter, algumas pessoas que assistiram ao The House That Jack Built tiveram reações parecidas. "Abandonei a sessão de Lars von Trier. Filme perverso. Não deveria ter sido feito. Os atores também são culpados", escreveu @showbiz411. Outra espectadora, @CharlieAJ, afirmou que o filme não é entretenimento: "Acabei de abandonar #LarsVonTrier premiere em #Cannes2018 porque ver uma criança levar um tiro e ser assassinada não é arte ou entretenimento."

Publicidade
continue a leitura

The House That Jack Built será lançado no segundo semestre de 2018 no Brasil. Vai assistir? Deixe nos comentários o que você achou do trailer e compartilhe a matéria.

Publicado em: 15/05/18 18h33