Ao longo dos anos, em especial por causa da cultura pop, viajar no tempo se tornou uma verdadeira fascinação da humanidade. Esta tendência, ainda que seja muito mais antiga, começou a ser observada em filmes, como "De Volta para o Futuro" e "Planeta dos Macacos".

Com certeza, todos nós já imaginamos a possibilidade de viajar no tempo. Quem nunca quis voltar para um momento inesquecível para revivê-lo de novo. Ou então voltar no tempo para corrigir um erro que você não queria ter cometido. E até mesmo ir para o futuro para ver como as coisas serão daqui uns anos. É claro que pensamentos como esse já passaram pela cabeça de todos, mas são uma realidade apenas nos filmes de ficção científica. Ou será que não?

Bom, a verdade é que viajar no tempo não é apenas possível, mas fazemos isso o tempo todo. A verdade é que todos estamos fazendo essa viagem agora. Estamos viajando para o futuro a cada segundo de cada dia.

As pessoas estão viajando para o próprio futuro a todo tempo. E com essa reflexão, a existência humana adquire uma outra perspectiva. Além dessa visão filosófica, é possível ver um lado científico nisso.

Publicidade
continue a leitura

Viver cada segundo é uma viagem no tempo para o futuro. Porque fazendo isso as pessoas estão se movendo através do espaço. O que também é um movimento através do tempo.  E existem maneiras de acelerar esse movimento, com uma ajuda da engenharia. Tudo isso então significa que sim, é possível ir para o futuro a uma taxa diferente do que as pessoas que, em tese, ficariam na Terra.

Viagem

De acordo com o visto na teoria da relatividade especial de Albert Einstein, é possível fazer algumas relações entre o movimento no espaço e o movimento no tempo. Até quando nós estamos completamente parados estamos nos movendo através de uma dimensão do tempo a uma velocidade específica, que é a da luz.

Publicidade
continue a leitura

No entanto, a medida que vamos nos movimentando pelo espaço nós desaceleramos  a taxa de movimento pelo tempo. O que quer dizer que quanto mais rápido forem os movimentos pelo espaço, mais devagar nos movemos pelo tempo.

Exemplificando, um segundo para uma pessoa dentro de uma nave espacial dura pouco mais do que o segundo para uma pessoa parada na Terra. Mas isso não é um efeito muito notável.

A duração um pouco maior do segundo é pouca demais para percebermos. Para se ter uma ideia, os astronautas que estão em órbita a dezenas de milhares de quilômetros do nosso planeta estão "atrasados" apenas em microssegndos.

Tecnologia

Publicidade
continue a leitura

As tecnologias atuais, infelizmente, não conseguiram chegar nem a um décimo de um por cento da velocidade da luz. Mas se, de algum jeito, conseguíssemos passar muito tempo viajando perto desse limite de velocidade pelo universo, aí sim essa viagem seria devagar em relação à Terra. E quando voltássemos, encontraríamos as pessoas vivendo em um futuro distante.

O tempo passaria apenas no nosso planeta. A pessoa que viajou, supostamente por dois anos, voltaria para uma Terra que teria avançado milhares ou dezenas de milhares de anos. Isso ia depender da velocidade que o viajante teria alcançado.

Publicado em: 20/05/20 16h17