A Rússia é um dos maiores países, em extensão territorial do mundo. O país teve forte influência em guerras, principalmente na Segunda Guerra Mundial, quando batalhou diretamente com a Alemanha. Há diversas controvérsias sobre o lugar e muitas pessoas temem pelo menos colocar os pés por lá, visto que sua cultura é um tanto conservadora. Por cerca de quase 79 anos, a economia russa e do restante dos países da União Soviética operou com base em uma economia planejada centralmente. Isso, com um controle estatal sobre quase todos os meios de produção. Além disso, havia um grande controle nas decisões de investimentos, produção e consumo da economia.

A política econômica desses países, principalmente da Rússia, era feita de acordo com as diretrizes do Partido Comunista. Esse era quem controlava todos os aspectos da atividade econômica por lá. Sendo assim, desde o colapso do comunismo, ainda no início dos anos 1990, a Rússia passou por dificuldades na hora de fazer transição de uma economia. Essa economia era planejada para o mercado geral. Parte dessa economia, que operou até o fim dos anos 80, se originou na época da liderança de Joseph Stalin.

O governo visava garantir que os planos, em diversas áreas, como a industrial, agropecuária, econômica e outras, atingissem suas metas. A responsabilidade dessas produções fluía de cima para baixo. Na época, existiam 70 ministérios federais no país. Isso, além dos comitês estaduais, onde cada um era responsável por um setor ou subsetor de produção. Esses supervisionavam as atividades econômicas das unidades dentro de suas áreas de responsabilidade.

Publicidade
continue a leitura

Os erros do governo

Na teoria, esse era o melhor método de garantir um equilíbrio entre os setores em toda a economia. No entanto, na prática não era certeiro. Na economia soviética, os preços eram apenas um mecanismo contábil. Era o governo quem estabelecia os preços, para todos os bens e serviços no país. Isso com base no papel do produto em relação ao planejamento e em outros critérios econômicos. As coisas começaram a desandar na Rússia. O preço do pão, por exemplo, estava abaixo do custo do trigo, que era usado para produzi-lo.

Publicidade
continue a leitura

Foi aí, que os agricultores começaram a alimentar o gado com pão e não com grãos. Na Rússia, o pão pronto custava bem menos. As taxas de aluguel de apartamentos eram muito baixas para alcançar a equidade social. No entanto, as habitações eram escassas. Diversas famílias precisavam dividir moradias. As indústrias tinham acesso a matérias-primas como petróleo, gás natural e carvão. Tudo isso com o preço muito abaixo dos níveis do mercado mundial. Isso incentivava o desperdício que estava saindo do controle. Veja um vídeo de como era ir a um mercado da União Soviética.

Vídeo de um mercado estatal da União Soviética em 1990

Publicidade
continue a leitura

O vídeo mostra como estavam as coisas na época, em 1990. Isso aconteceu um pouco antes da complexa transição.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.

Publicado em: 28/12/19 12h45