• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

10 pessoas reais que saíram de dentro do mundo da fantasia

POR Fatos Desconhecidos (Acervo)    EM Curiosidades      11/02/15 às 19h41

Você não precisa de JK Rowling ou CS Lewis para entrar em um mundo cheio de magia. Você só precisa andar na rua. Enquanto ainda não existem fadas ou gnomos na vida real, o planeta Terra está cheio de personagens malucos que parecem ter sido arrancados das páginas de um livro de histórias fantásticas.

 

Seja um homem que ouve músicas que vêm dos cogumelos ou um mecânico que à noite se transforam em monarca, as pessoas listadas abaixo são verdadeiros exemplos de como a vida real pode ser cheia de fantasia.

1. O maestro dos cogumelos

https://www.youtube.com/watch?v=pEEgCQJ0Gck#t=60

Florestas mágicas são um cenário bastante comum na fantasia. No entanto, as árvores não são os únicos seres encantados que crescem na floresta. Se você escutar o suficiente, você pode ouvir a música que vem do chão. E quem é responsável por esta melodia da floresta? Os cogumelos, é claro.

Bem, isso é o que Vaclav Halek acreditava. Sempre que este compositor checo vê um cogumelo, de repente, o mundo inteiro estava cheio de música. E não estamos falando de simples inspiração. Halek realmente pensa que os cogumelos estavam cantam. Seu relacionamento estranho com fungos começou na década de 1980, durante uma caçada a cogumelos em Praga.

Halek estava se preparando para tirar uma foto de um fungo solitário quando ouviu os sons de instrumentos de cordas e flautas. Eufórico, o músico pegou um bloco de notas e começou a fazer anotações. Ele então começou a visitar todos os cogumelos da floresta e a ouvir a sua música original.

Em breve, ele ele vai montar uma sinfonia de cogumelos. De acordo com Halek, cada cogumelo tem a sua própria melodia. "Eu acho que cada cogumelo tem sua própria ideia que o Criador soprou neles", declarou o compositor. Para ele, é possível ouvir as melodias se pedirmos para os cogumelos cantarem para nós.

Durante sua vida, o homem compôs mais de 5.000 peças diferentes de música, todas baseadas em cogumelos. Cada música tem seu próprio significado importante. De acordo com Halek, trata-se de "desfrutar a liberdade, mas sabendo que isso vai acabar em breve". Halek queria glorificar a Deus e capturar um sentimento de admiração sobre o universo. Infelizmente, o músico cogumelo faleceu em 2014, deixando o mundo um pouco menos mágico.

2. O homem cabra

Charles "Ches" McCartney nasceu em Iowa, nos Estados Unidos, em 1901 e fugiu de casa aos 14 anos. Ele acabou chegando em Nova York, onde se casou com uma mulher 10 anos mais velha que ele, que ganhava a vida arremessando adagas em nosso herói. Em 1935, ele conseguiu um emprego de desmatador de florestas para a Works Progress Administration. Em um acidente de trabalho, uma árvore quase o esmagou até a morte.

A vida de McCartney foi radicalmente transformada depois de sua experiência de quase-morte. Ele se tornou um pregador pronto para salvar os EUA de seus pecados, comprou uma carroça, carregada com panelas, frigideiras, e outros itens de alumínio, e encheu o seu carro com várias cabras. Depois disso pegou a estrada.

Enquanto, viajava, ele passou seu tempo livre lendo a Bíblia e Robinson Crusoe , e sempre que ele cencontrava estranhos contava histórias e tentar vender a eles cartões postais do "Man Cabra", no caso ele mesmo. Durante suas viagens, McCartney visitou o Canadá e 49 estados. .

A vida era perigosa para um homem sozinho na estrada, McCartney foi assaltado várias vezes. Uma vez, alguns bandidos mataram duas de suass cabras. Seus dias vagando finalmente terminaram em 1985, quando ele foi para a Califórnia para se casar com a atriz Morgan Fairchild. No entanto, quando chegou em Los Angeles, foi espancado e enviado de volta para a Geórgia. Ches McCartney passou seus últimos dias em uma casa de repouso no sul do país, onde faleceu aos 97 anos.

3. O rei destro de Hohoe

rei

Se você visse Cephas Bansah andando na rua, provavelmente pensaria que ele é apenas um cara normal. Como 66 anos e casado, ele trabalha em uma garagem na cidade de Ludwigshafen, na Alemanha. Bansah parece ser uma homem comum, bem, durante o dia, sim. Mas à noite, depois de sair do trabalho, Bansah se transforma de um mecânico em um monarca.

Bansah nasceu em Gana, mas durante a sua adolescência deixou sua terra natal e foi para a Europa, onde frequentou a escola como um estudante de intercâmbio. Depois de se encontrar sua futura esposa, ele decidiu ficar na Alemanha e conseguiu o emprego de mecânico. No entanto, o destino tinha planos ligeiramente diferentes para ele.

Como se vê, Cephas tem sangue real correndo em suas veias. Seu avô era o rei da área de Hohoe do sudeste do Gana, mas depois que ele faleceu no final dos anos 80, houve alguma controvérsia sobre quem deveria assumir o seu lugar. Normalmente, o pai de Bansah ou seu irmão mais velho iria começar o trabalho, só havia um problema: ambos os homens eram canhotos.

Na cultura do Bansah, canhotos eram considerados impuros e desonestos. Assim, com o pai e o tio fora do caminho, a coroa ficou para Cephas, que era destro. No entanto, Bansah realmente não queria voltar para a África, para governar o seu país, ele resolveu fazer isso a partir de sua casa, em Ludwigshafen.

Depois de um longo dia de trabalho, ele fala ao seu povo através do Skype e toma decisões. Além de mediar conflitos, Bansah fez um pouco de boas ações para 200 mil súditos. Ele forneceu ao seu povo equipamentos de purificação de água, ambulâncias, geradores e médicos. O rei visita a seu império cerca de seis vezes por ano.

E sim, o rei Togbe Ngoryifia Cephas Kosi Bansah tem sua própria coroa e joias reais. Infelizmente, os ladrões invadiram sua casa no ano passado e fugiram com as jóias.

4. O fazedor de chuva

Charles Hatfield ou era um verdadeiro mago ou o maior vigarista de todos os tempos. Quando jovem, nos anos 1900, Hatfield trabalhou em Los Angeles em uma empresa de máquinas de costura que era de seu pai. Ele era um vendedor de porta-a-porta, enquanto esperava assumir os negócios da família.

Mas Hatfield tinha planos maiores. Ele passou seu tempo livre lendo sobre rituais xamânicos e livros como " The Science of Pluviculture". Carregado com uma biblioteca cheia de conhecimento, Hatfield começou a experimentar e logo desenvolveu a receita perfeita de 23 produtos químicos misteriosos.

Charles afirmou que os produtos químicos quando evaporados causariam nuvens de chuva. Logo, Hatfield era conhecido em toda a América como um verdadeiro "fazedor de chuva". Ele viajava da Califórnia para o Mississippi, trazendo chuva para as cidades atingidas pela seca onde quer que fosse. Jornais elogiaram o seu nome, e pessoas desesperadas pagavam milhares e milhares de dólares por seus serviços.

Onde quer que fosse, a chuva apareceu, mas os críticos alegaram que ele estava rastreando o tempo e sabia quando e onde iria chover. Mas um dia, Hatfield teve a oportunidade de silenciar seus inimigos para sempre. A cidade de San Diego estava passando por uma seca horrível que estava matando plantações e destruindo a economia.

O conselho da cidade ofereceu a Hatfield 10.000 mil dólares para encher o lago Morena Reservoir. Em 1 de Janeiro de 1916, Charles e Paul construiram várias torres e encheram vários caldeirões com o seu caldo mágico. E foi aí que os céu desabou. Ventos de até 100 quilômetros por hora atravessaram a cidade, muitas casas foram inundadas. Ondas gigantes se formaram pelas ruas, linhas telefônicas entraram em colapso e cerca de 20 a 50 pessoas morreram afogadas.

Quando a chuva parou Hatfield apareceu para receber seus cheques, mas os funcionários da San Diego não ficaram satisfeitos. As autoridades se recusaram a pagar o seu Hatfield, a não ser que ele assumisse a total responsabilidade pelos resultados da tempestade. Enfurecido, Charles admitiu que era tudo apenas uma grande coincidência e voltou ao seu trabalho como vendedor de máquinas de costura.

O fazedor de chuva morreu em 1982, deixando para trás um conto incrivelmente estranho que inspirou um filme estrelado por Burt Lancaster. Ninguém nunca descobriu que produtos químicos Hatfield usou em sua receita de chuva.

5. O diretor da escola de elfos islandesa

As pessoas na Islândia levam elfos muito a sério. De acordo com uma pesquisa realizada em 2006, 56 por cento dos islandeses acha que essas criaturas com orelhas pontudas pode realmente existir. Algumas pessoas, inclusive, mantêm pequenas casas para elfos em seus jardins, caso eles precisem de um lugar para dormir.

Além disso, um projeto de construção de rodovias foi criticado uma vez por ativistas preocupados com o fato de que as estradas poderiam perturbar o habitat elfo.Um desses aficionado pelos pequenos seres é Magnus Skarphedinsson. Ele passou mais de 30 anos entrevistando centenas de pessoas que já viram elfos.

Uma testemunha afirma uma rocha nas proximidades de sua fazenda foi transformada em uma igreja mágica com um padre bonitão. Outra testemunha disse que um elfo roubou sua tesoura e a devolveu uma semana depois. Quanto a Skarphedinsson, ele nunca viu realmente um elfo, mas afirma que ele pode dizer a diferença entre todas as 13 espécies, para não falar de gnomos, trolls e fadas.

Felizmente, Skarphedinsson quer compartilhar seu conhecimento com o mundo. É por isso que ele abriu uma escola de duende no capital Reykjavik, na Islândia. A sala de aula do Skarphedinsson está cheia de livros místicos, plantas de fibra óptica e estátuas elfo estereotipadas que, de acordo com o diretor, não parecem nada com elfos reais.

As aulas começam às três da tarde toda sexta-feira e, geralmente, duram em torno de três ou quatro horas. Os alunos aprendem sobre como elfos gastam seu tempo pescando e plantando, que eles são muito bons em prever o futuro, e uma vez advertiram a humanidade sobre as diferenças entre o bem e o mal.

Além de palestras sobre o misterioso mundo do povo oculto, Skarphedinsson distribui livros de estudo e diplomas se você passar no curso. Claro, você provavelmente está se perguntando como Skarphedinsson acredita em duendes, se ele nunca realmente viu um. Acredite ou não, isso realmente não incomoda o diretor. Ele pediu a um amigo clarividente o que estava acontecendo e de acordo com o psíquico, todos os elfos concordaram em nunca revelar-se a Skarphedinsson, porque ele provavelmente iria fazer muitas perguntas .

6. O Willy Wonka da vida real

Ele não escraviza anões de cabelo verde ou afoga crianças em rios de chocolate, mas, fora esses detalhes,  Charlie Francis Harry é essencialmente o Willy Wonka da vida real. Só que em vez de doces, Francis é especializado em sorvetes. Ele é o gênio louco atrás de "Lick Me I"m Delicious", provavelmente a mais mágica empresa de sorvete do planeta.

Se você pensar em qualquer sabor, Charlie provavelmente já terá feito. Ele já criou sorvete com gosto de rosbife, queijo cheddar, e couves de Bruxelas, mas isso é apenas uma pequena parte da sua loucura culinária. Um de seus deleites mais selvagens é o sorvete que brilha no escuro. O ingrediente secreto são proteínas ativadas em cálcio extraídos da água-viva bioluminescente.

Quando você lambe o sorvete, ele acende no escuro. Como você poderia esperar, é muito caro, uma colher custa cerca de 225 dólares, mas isso não é nada em comparação com a sua mistura mais infame: "The Arousal". Uma sobremesa adulta que foi encomendada por uma celebridade anônimo que parece ter tido um pouco de dificuldade no quarto. Cada colher de ""The Arousal" vem com 25 miligramas de Viagra e tem gosto de champanhe.

Francis afirma que atualmente está trabalhando no sorvete mais quente do mundo. A idéia é criar uma colher que é servido a 54 graus Celsius e cheio de pimentas que com certeza vai assassinar o seu paladar. Se isso é possível, ou se ele está brincando, é um mistério, mas se há alguém que pode fazê-lo, é este homem. Afinal das contas, ele é o cara responsável por uma carruagem gelada que utiliza um sistema de injeção de nitrogênio para criar sorvete instantâneo.

Ele também montou uma máquina de névoa comestível. Estique a língua, e você pode saborear a torta de maçã, bolachas de chocolate, ou mesmo merengue de limão. Algumas de suas outras invenções surpreendentes incluem uma roda de sorvete de cerâmica e uma máquina de pirulito instantânea. Esperemos que um dia o Sr. Francis lance o concurso bilhete de ouro, porque nós realmente queremos fazer um tour pela sua fábrica.

7. A mulher guerreira de Asgarda

De volta aos tempos da Grécia antiga, você não queria andar com as amazonas, especialmente se você fosse um cara. Essas lutadoras do sexo feminino cortavam os próprios seios para poder disparar flechas com mais precisão e, supostamente, teriam castrado seus filhos do sexo masculino.

Apesar de consideradas um mito, descobertas arqueológicas recentes indicam que as amazonas podem ter realmente existido fora das páginas da mitologia grega. Mas de acordo com Katerina Tarnouska, elas ainda estão por aí até hoje. Tarnouska é uma professora pré-escolar ucraniana, mas isso é apenas seu segundo trabalho. Sua verdadeira missão é treinar uma nova geração de mulheres guerreiras, e ela está mais do que preparada para a tarefa.

Tarnouska é campeã mundial de kickboxing e de acordo com ela, um descendente das Amazonas. Ela acredita que as antigas guerreiras residiram na Ucrânia e diz que seu espírito vive nas mulheres do país. Na esperança de mostrar a outras mulheres o caminho para a iluminação Amazon, ela abriu um campo de treinamento em um vale perto das montanhas dos Cárpatos, onde as mulheres passam seus verões estudando artes marciais.

Desde 2002, mais de mil mulheres foram treinados sob a tutela de Tarnouska. Cada dia começa com uma corrida de manhã, yoga e um banho em um riacho próximo. Depois, as meninas assistem palestras sobre temas como a história da Ucrânia e da importância das mulheres na sociedade. É claro, o destaque do dia é uma prática de artes marciais. Seu estilo de luta é baseada na tradicional dança Hopak e emprega todos os tipos de armas como espadas, nunchakus e foices.

De acordo com Tarnouska, o que ensina é a única arte marcial desenvolvida especificamente para as mulheres. No entanto,  há uma diferença significativa entre o Asgarda e as amazonas. Tarnouska e suas seguidoras não odeiam os homens. Na verdade, a filosofia Asgarda é sobre encontrar um "homem guerreiro," casar-se, e ter bebês guerreiros.

8. Os bonecos de Nagoro

A cidade japonesa de Nagoro era uma pequena comunidade próspera, mas como o passar dos anos, mais e mais pessoas desapareceram, deixando a aldeia para ir a cidades maiores e com melhores empregos. Logo, Nagoro passou a ser  uma cidade fantasma, que abriga apenas 35 almas solitárias.

Se você visitar a cidade hoje, irá encontrar casas vazias, ruas desertas, e uma escola abandonada. Além de centenas de bonecos em tamanho natural. Os bonecos ficam sentados na frente de suas casas ou nos bancos dos parques. Alguns aram campos, enquanto outros passam o tempo pescando. Outros ainda usam ternos de negócio, ou estão vestidos como trabalhadores da construção civil, mas quase todos eles olham o mundo através de olhos de botão preto.

De onde estas bonecas vêm, e por que estão lá? Bem, você provavelmente deve pedir uma explicação a Ayano Tsukimi. Ela nasceu em Nagoro e, como muitos de seus vizinhos, fez as malas e mudou-se para Osaka. No entanto, depois de anos longe de casa, ela finalmente voltou para cuidar de seu pai idoso. Quando voltou para Nagoro, Tsukimi decidiu criar um boneco espantalho que se assemelhava a seu pai. E foi aí que começou a fazer mais bonecos.

Inspirada pelo espantalho, ela queria costurar uma boneca para cada pessoa que tinha deixado a aldeia ou falecido. Hoje, existem cerca de 350 bonecas em Nagoro, alguns empoleiradas em árvores, outros amontoadas fora das lojas, outras sentadas em suas mesas na sala de aula.

Quando ela fala sobre suas criações estranhas, sua voz é realmente cheio de nostalgia, porque não se tratam apenas de  bonecos. Eles são memórias. "Aquela velha senhora costumava vir e conversar e beber chá," ela diz , descrevendo um de seus bonecos vizinhos. "Aquele velho gostava de beber saquê e contar histórias. Faz-me lembrar dos velhos tempos, quando eles ainda estavam bem vivos", afirma.

9. O homem que cresceu com uvas mágicas

Nicolas Joly não é o seu vinicultor comum. Localizado no Savennieres, uma comuna situada no Vale do Loire da França, o vinhedo de Joly produz alguns dos melhores vinhos branco do mundo. Os métodos de Joly para a produção de alto nível de álcool são um pouco incomuns.

Este enólogo francês que, na verdade, prefere ser chamado de um "assistente da natureza " não conta com métodos modernos. Em vez disso, Joly usa magia. Antes de se interessar em uvas, Joly era um banqueiro de investimentos em Nova York e Londres. No entanto, em 1977, ele se cansou do jogo financeiro, voltou a vinha de seus pais na França e assumiu os negócios da família.

Depois de ler um livro de Rudolf Steiner , filósofo do século 19 que misturava a ciência e a espiritualidade, Joly foi inspirado a praticar agricultura biodinâmica. Basicamente, biodinâmica evita modernas técnicas agrícolas em favor de aproveitar as forças cósmicas. Por exemplo, Joly  às vezes orienta as suas plantações de acordo com o Sol, a Lua e os planetas.

Ele enterra chifres de vaca cheios de esterco e os enterra durante o inverno. Enquanto estão debaixo da terra, os chifres absorvem a "força da vida" a partir do Sol, que transforma o esterco em um adubo incrível. Joly também conta com outra casca especial preparada como o carvalho, camomila e dente de leão para absorver forças provenientes de outros planetas.

Semelhante ao esterco de vaca, Joly coloca essas preparações, em várias partes do corpo de animais (camomila nos  intestinos da vaca, carvalho dentro do crânio de ovelha) e enterra em toda a sua propriedade. É claro que todos esses preparativos são misturados com água de antemão e são girados em um enorme máquina, um processo que dinamiza suas misturas, permitindo que o mundo físico interaja com o mundo de "energias".

Uma vez que o vinho é engarrafado, Joly toca música para a bebida, e se ele é como a maioria dos outros agricultores biodinâmicos, há boas chances de sua adega ser livre de metais. Os defensores da biodinâmica acreditam que o metal faz com que a poluição elétrica estragar o vinho.

10. O homem no centro do mundo

Jacques-Andre Istel tem conversa com um dragão, vive no centro do mundo e construiu sua própria pirâmide. Se isso não soa como alguém que saiu de um romance de fantasia, então não sei o que é. Istel nasceu em Paris em 1929, mas, quando os nazistas foram para a sua cidade, sua família fugiu para a América.

Istel acabou se tornando um analista financeiro, mas logo deixou Wall Street para abrir escolas de paraquedismo. Mas, enquanto os paraquedas eram a sua paixão, o seu sonho era construir uma cidade. Na década de 1980, Istel vendeu seu negócio e se mudou para a Califórnia, onde tinha comprado 2.600 hectares de terra no meio do deserto.

O francês batizou seu pequeno império "Felicity" e logo afirmou que a cidade era o centro do mundo. Istel queria que o governo reconhecesse o fato. Com a esperança de influenciar o conselho do condado de supervisores, Istel escreveu o livro muito infantil intitulado: O dragão no centro do mundo , uma história sobre um dragão que acaba em Felicity e se encontra com Istel. Em seguida, ele vestiu um smoking, contratou vários trompetistas para anunciar sua presença, e apareceu na frente do conselho, alegando que ele era o "embaixador de todos os bons dragões".

Armado com o livro, Istel implorou ao Conselho para que Felicity fosse declarado o centro do mundo, o que fizeram. Em seguida, o homem construiu uma pirâmide de 21 andares para marcar o meio do globo. Além da pirâmide, ele elegeu-se prefeito de Felicity, construído 12 apartamentos para quem queria viver em sua cidade. Ele também ergueu uma pequena capela branca no topo de uma colina, mesmo não sendo religioso.

Além disso, ele construiu uma escada em espiral que leva a  um relógio solar que se parece com braço de Deus de Michelangelo, e até abriu uma estação de correios. Para marcar a ocasião, ele pediu a um diplomata chinês para dar uma palestra em mandarim.

Se você gostou de conhecer os personagens de histórias de fantasia da vida real, leia também o caso da fotógrafa russa que recriou cenas de contos de fadas e a realidade dos contos de fadas. 

Próxima Matéria
Fatos Desconhecidos (Acervo)
Acervo, matérias feitas antes do ano de 2015.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+