7 fatos inacreditáveis sobre a saúde na antiguidade

POR Natália Pereira    EM Curiosidades      22/03/18 às 18h15

A expectativa de vida tem aumentado cada vez mais devido o desenvolvimento da ciência e, consequentemente, da melhora na medicina. Isso faz com que as pessoas consigam viver melhor e, com isso, vivam por mais tempo. Todos sabemos da importância de se ter uma boa saúde e que, para isso, é preciso tomar certos cuidados. Mas, para que isso seja possível, precisamos da ajuda de algumas técnicas medicinais, algo bem complicado e precário antigamente.

Você deve se lembrar de ouvir sobre algumas histórias drásticas, nas aulas de história, causadas por doenças e procedimentos perigosos. Para falar a verdade, podemos perceber que em alguns momentos a medicina acabou sendo realmente mortal. As técnicas utilizadas durante a Idade Média nem sempre eram bem fundamentadas e acabavam sendo, na verdade, aterrorizantes. E, para que você possa ter uma melhor noção sobre como isso era feito no passado, reunimos algumas curiosidades sobre a saúde das pessoas nesse período.

1 - Tratamento para catarata

A catarata é um problema ocular que comum que acaba atingindo um grande número de pessoas com o passar do tempo. E, para tentar solucionar o problema, no passado, uma espécie de cirurgia era feita utilizando agulhas que iam diretamente nos olhos. O procedimento foi realizado durante muito tempo até que um novo método fosse desenvolvido pelos árabes.

2 - Técnica fatal para a cura de epilepsia

O tratamento fatal desenvolvido na Idade Média consistia em fazer um buraco no crânio do paciente. Eles acreditavam que isso iria aliviar a pressão e, consequentemente, ajudar o doente. O método era aplicado pelos médicos para diferentes tipos de doenças e uma delas era a epilepsia. Apesar disso, claramente, o tratamento acabou provocando muitas morte.

3 - Retirando sangue

No passado, por mais estranho que pareça ser, os médicos acreditavam que o excesso de sangue era negativo e poderia te deixar doente. E, para que isso não acontecesse, eles tinham o costume de retirar parte deste sangue. A intenção era fazer com que você não tivesse uma grande quantidade dele dentro de você, sem tirar o suficiente para te deixar com o deficit dele.

4 - Usar esterco de ovelha para o controle de natalidade

Diferentes regiões, em diferentes períodos, acabaram usando métodos estranhos para o controle de natalidade. E, um deles, consistia em usar esterco de ovelha como um método contraceptivo.

5 - Doentes pecadores

Durante a Idade Média, algumas ideologias vigentes fizeram com que as pessoas acreditassem que os doentes se encontravam daquela forma porque haviam feito algo para merecer aquilo. Ou seja, as doenças eram entendidas como uma punição para os pecadores.

6 - A salvação por meio da peregrinação

Como mencionamos no tópico anterior, a doença era vista como uma punição e, por isso, para se curar dela você deveria peregrinar ou ir até um local sagrado. Afinal, a rendição e irreflexão de seus pecados fariam com que a doença fosse embora.

7 - A cura do rei

O rei era a figura mais importante em alguns lugares, fazendo com que eles fossem entendidos como seres superiores. E, por isso, os monarcas ingleses e franceses acabaram afirmando poder curar os doentes apenas com o toque. O primeiro a dizer sobre isso foi o Eduardo, sendo que o primeiro a usá-lo de forma política foi o Henrique I.

Esses métodos e ideias sobre como as doenças eram e como tratá-las mostram uma grande diferença entre os períodos. Para manter a saúde naquele tempo algumas técnicas questionáveis e até perigosas foram desenvolvidas. O que achou desses "tratamentos"?

Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+