7 fatos que vão partir seu coração sobre Laika, o primeiro cachorro a ir pro espaço

POR Gustavo Camargo    EM História      08/05/18 às 13h44

Em 1961, o soviético Yuri Alekseievitch Gagarin foi o primeiro homem a viajar pelo espaço. A missão, lançada do Cosmódromo de Baikonus, e teve a duração de uma hora e quarenta e oito minutos.

Mas antes de Yuri fazer essa viagem, Laika foi o primeiro ser vivo do nosso planeta a ser enviado para o espaço. Laika é reconhecida como uma heroína e foi inspiração de nomes para outras diversas cachorrinhas pelo mundo. Mas embora não pareça, sua história é terrivelmente triste. Foi pensando nisso que nós da Fatos Desconhecidos trouxemos 7 fatos que vão partir seu coração sobre Laika, o primeiro cachorro a ir pro espaço. Confira:

1 - Laika era um cão de rua

Antes do programa espacial, Laika era uma cadela que morava na rua. Ela foi encontrada vagando pelas ruas de Moscou. Enquanto os americanos preferiam enviar macacos ao espaço, os soviéticos acharam que cães eram mais fáceis de se treinar. Toda a dificuldade que eles passavam na rua, fizeram estudiosos acreditam que os tornava mais resistentes para lidar com as precárias condições do espaço.

2 - Eles sabiam que ela morreria

Desde o começo os responsáveis pelo programa espacial sabiam que Laika não voltaria. O satélite construído não era equipado para uma reentrada segura. Laika passaria alguns dias em órbita, e depois seria sacrificada com veneno em sua comida.

3 - Laika passou semanas em gaiolas cada vez menores

O Sputnik era pouco maior que uma lavadora de roupas. Uma vez lá dentro, Laika não teria espaço para se virar. Ele tinha a liberdade de se sentar, de se deitar e apenas isso. Para prepará-la para isso, ela foi colocada em gaiolas cada vez menores. Ela ficou em condições claustrofóbicas por até 20 dias.

4 - Um cientista a levou para casa e fez seus filhos a conhecerem antes da viagem

Um dia antes do lançamento, Dir Vladimir Yazdovsky levou Laika para casa. Ele fez isso para que seus filhos pudessem brincar com ela. Por um último momento antes de seu último dia na Terra, ele deixou que ela vivenciasse a vida como um cão domesticado com uma família amorosa. "Eu queria fazer algo de bom para ela", disse o Dr. Yazdovsky. "Ela tinha tão pouco tempo para viver."

5 - Laika ficou aterrorizada

O lançamento não foi feito no dia correto. Houve um mal funcionamento que precisou ser reparado, e assim, ela foi mantida em temperaturas baixíssimas e era incapaz de se mover. Até que em 3 de novembro de 1957, Laika decolou. Quando a espaçonave decolou da Terra e foi para o espaço, Laika entrou em pânico. Sua frequência cardíaca e respiração acelerou até três vezes mais que o normal.

6 - Sua morte

Durante muito tempo, os soviéticos afirmavam que Laika teria sobrevivido ao primeiro dia no espaço. Que ela derivou por dias ao redor da Terra. E no fim ela consumiu a comida envenenada que eles prepararam para ela.

Em 2002, uma verdade apareceu. Um cientista chamado Dimitri Malashenkov, revelou o destino brutal que esperou a cadelinha. Laika teria morrido dentro de sete horas, em algum momento, com uma dor insuportável. O sistema de temperatura do satélite que foi construído às pressas estava com defeito. E a pequena nave ficou cada vez mais quente, passando rapidamente dos 40 graus.

7 - Nós não aprendemos muito

Laika

"Conforme o tempo passa, mais eu sinto muito sobre o ocorrido", disse Oleg Gazenko, um cientista da equipe. "Nós não deveríamos ter feito isso. Nós não aprendemos o suficiente com a missão para justificar a morte do cachorro". É triste, mas sua viagem foi mais simbólica do que científica.

E aí, o que acharam da matéria? Comenta aí e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Via   Listverse     Vix  
Imagens Greenme
Gustavo Camargo
A verdade é que eu queria ser astronauta, mas na minha cidade ainda não tem a escolinha. Instagram: gustavoloopi

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+