7 mais impressionantes descobertas arqueológicos do mundo viking

POR PH Mota    EM História      10/03/17 às 11h31

A região dos países e ilhas nórdicas possuem uma cultura muito própria, nem sempre lembrada quando pensamos no passado da Europa, focado principalmente nas regiões dominadas pelo Império Romano durante a Antiguidade. Apesar disso, o mundo viking é repleto de eventos e fatos históricos fascinantes.

Constantes descobertas provam que ainda sabemos pouco sobre esses povos, que se concentram numa região do globo mas possuíam um poder militar extremamente avançado e devastador. Sabemos que os vikings eram guerreiros impiedosos e valentes que se tornaram renomados conquistadores, mas ainda não exploramos tudo que podemos do passado desses povos.

Se gosta do tema, aproveita para ler também 7 coisas que você nunca soube sobre os verdadeiros vikings.

Aqui estão algumas das mais interessantes descobertas feitas por arqueólogos e historiadores nas terras conquistadas e dominadas pelos povos vikings.

1 - Igreja do Rei do Milagre

Olaf Haraldsson - também conhecido como Olavo, o Santo - foi um rei viking coroado em 1015, com a missão de unificar a região da Noruega. Dois anos antes disso, Olaf fora batizado na Igreja Católica Romana, o que fez com que ele tomasse a decisão de criar a Igreja da Noruega durante o seu reinado. Quando o Rei Canuto, da Inglaterra e da Dinamarca, anexou a Noruega em seu território, ele precisou fugir e, ao voltar para batalhar e tentar recuperar o trono, acabou morrendo.

Na área em que Olaf foi enterrado, moradores começaram a declarar que estavam observando milagres, até que decidiram abrir o túmulo do antigo rei. Segundo relatos, o corpo estaria bem preservado, mesmo depois de um ano passado de sua morte, o que fez com que ele fosse proclamado santo. Em 2016, arqueólogos descobriram o que pode ser o local onde o corpo foi sepultado, um túmulo cercado de pedras encontrado durante escavações.

2 - Túmulo de Galiciefarer

Outro importante túmulo viking foi encontrado por arqueólogos na Dinamarca. Ulv Galiciefarer, no entanto, ficou famoso por motivos bem diferentes daqueles que popularizaram Olaf. O homem foi responsável por aterrorizar o norte da Espanha por meio de roubos, ataques e violência.

Em 2009, pesquisadores encontraram o túmulo que parecia ser de uma pessoa celebrada para sua época, pelos sinais dispostos ali. Acredita-se que o local tenha sido o escolhido para depositar os restos mortais de Galiciefarer, pela época em que o corpo viveu - por volta da primeira metade dos anos 1000. Além disso, a terra onde o túmulo foi encontrado era de propriedade do rei Valdemar, bisavô do famoso guerreiro.

3 - Colonizadores misteriosos

Entre os territórios da Noruega e da Islândia, encontram-se as Ilhas Faroé. Um consenso entre pesquisadores acreditava que os vikings foram os primeiros exploradores a visitarem a região, porém, em 2013 novos estudos apontaram sinais de que outros povos estiveram nas ilhas cerca 300 a 500 ates dos nórdicos. Apesar de não terem se espalhado no local como os vikings, também ficaram ali por muito tempo.

Na ilha de Sandoy, arqueólogos encontrou resíduos que datavam de um período bem anterior ao dos vikings. Apesar disso, não se sabe a origem dos colonos que passaram pela região. A dúvida aumenta o mistério sobre sociedades antigas que colonizaram regiões no passado, mas sumiram sem deixar muitos rastros.

4 - Marcas históricas

Na cidade norueguesa de Stjørdal, um time de arqueólogos escavou o que parecia ser um túmulo, em 2010, mas acabou descobrindo coisas muito mais interessantes do que esperavam. No local, foram encontrados petróglifos extremamente raros. O termo é utilizado para nomear gravuras rupestres gravadas em rochas por populações pré históricas que datam aproximadamente do décimo milênio a.C. até 1.200 a.C.

As gravuras representavam formas que foram interpretadas como pés humanos, apesar de ainda serem consideradas um mistério. Marcas parecidas também foram encontradas na região de Oslo, capital do país. Além das marcas, também foram encontrados restos de animais, ossos humanos e alguns desenhos que representavam embarcações.

5 - Barco mais antigo da Dinamarca

Em 2014, uma companhia de energia da Dinamarca estava passando cabos numa região embaixo d'água quando se deparou com uma embarcação. Análises de especialistas mostraram que o barco com seis metros de comprimento tinha mais de 6.500 anos, sendo o barco mais antigo da Dinamarca. Para se ter uma ideia, a embarcação é cerca de 2 mil anos mais antiga do que a mais antiga pirâmide do Egito.

Junto com a descoberta do barco, especialistas encontraram uma vila da Idade da Pedra próxima ao local. A partir daí, historiadores esperam poder redesenhar a costa da Dinamarca de acordo com a aparência do território local em milhares de anos atrás.

6 - Massacre de Sandy Borg

Na ilha Oland, localizada na Suécia, uma comunidade de sucesso vivia normalmente até que houve um verdadeiro massacre, cerca de 1.500 anos atrás. O evento foi descoberto em 2010, quando escavações começaram na região. Inicialmente, acreditava-se que apenas adultos tinham sido vítimas, mas quatro anos mais tarde foram descobertos os restos mortais de vítimas crianças.

Por falta de recursos financeiros, somente 3% da área onde a comunidade vivia foi escavada, mas isso foi suficiente para que o horror da região fosse percebido. Seja lá o que aconteceu no local, não poupou crianças e idosos e fez com que habitantes deixassem a região com pressa, abandonando pertences valiosos, incluindo joias e peças de ouro.

7 - Blekinge

Em 2017, arqueólogos marinhos encontraram um objeto no fundo do oceano, próximo à costa da cidade de Karlskrona, na Suécia. Por conta de seu estado e sua posição, é difícil removê-lo da água, mas especialistas acreditam que o gigante objeto na verdade é o lendário navio de guerra Blekinge.

O navio histórico foi o primeiro a ser construído em Karlskrona e foi colocado no mar em 1682. Depois de 31 anos de navegação e batalhas, a embarcação acabou afundando num conflito contra a Rússia. Os destroços encontrados medem cerca de 45 metros e possuem 70 canhões mortais.

Gostou das descobertas? Qual você achou mais interessante?

Via   Listverse  
PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+