8 maiores atrocidades cometidas pelo Japão na 2ª Guerra Mundial

POR Natália Pereira    EM História      13/03/18 às 18h10

A Segunda Guerra Mundial despertou as mais horrendas ideias da mente humana. Os atos cometidos durante o período são, até hoje, alguns dos mais terríveis da história e, de alguma forma, grande parte deles conseguiu ficar escondida no tempo. Sabemos que alguns métodos de tortura desumanos foram testados, assim como algumas experiências inimagináveis, mas muitas dessas histórias permanecem escondidas.

Descobrir todas as atrocidades que foram cometidas pelos mais diversos países durante essa guerra mortal não é nada fácil. Mas, alguns destes, dos quais temos conhecimento, são o suficiente para nos mostrar do que as pessoas são capazes. A polícia secreta dos nazistas, Gestapo, ficou mundialmente conhecida depois dos seus crimes a humanidade. Enquanto isso, mesmo que muitos não saibam a seu respeito, o Japão mantinha o seu próprio grupo militar atroz, conhecido como Kempeitai. Eles se formaram em 1881 e comporão grande parte das atrocidades que você verá a seguir.

1 - Cesta de porco

Durante uma disputa na Índias Orientais Holandesas cerca de 200 militares britânicos se encontraram encurralados la ilha de Java. Mesmo tomados pelos japoneses os militares permaneceram lutando enquanto podiam. Mas, a Polícia Secreta do Japão, a Kempeitai, os aprisionou dentro de gaiolas de bambu, que ficaram conhecidas como "cestas de porco". Depois de tudo isso, todos eles ainda foram executados de forma cruel. Eles foram jogados no oceano, fazendo com que uma parte deles acabasse morrendo afogado enquanto a outra acabou sendo devorada, ainda viva, por tubarões.

2 - Campos de concentração japoneses

Conhecidos também como campos de trabalho ou concentração, esse método também foi utilizado pelos japoneses em diversos pontos do leste da Ásia. Os prisioneiros de guerra eram enviados para o local e passavam por situações deploráveis. Eles eram controlados pela Kempeitai e podiam sujeitar seus presos a condições miseráveis, tortura e morte. Os presos do local eram obrigados a fazer trabalhos forçados e estavam constantemente enfrentando a fome, doenças e as condições climáticas.

Uma das principais preocupações dos reclusos de regiões frias, como em Mukden, era a morte por congelamento. Enquanto, aqueles em áreas quentes, como Sandakan, temiam as doenças tropicais das quais estavam expostos.

3 - Operação Sook Ching

Depois de invadirem e conquistarem Singapura, os japoneses iniciaram a operação Sook Ching. A Kempeitai considerou que todos os homens chineses de 15 a 50 anos representavam um perigo iminente e os obrigou a passar por uma seleção. Lá, todos aqueles que cumpriam esse pré-requisito, teriam que responder a alguns questionamentos que, consequentemente, decidiriam o seu futuro.

Aqueles que fossem considerados comunistas, nacionalistas ou membros de alguma sociedade secreta seriam executados. Assim como aqueles que falassem inglês, tivessem alguma tatuagem, fossem funcionários públicos, professores, veteranos ou criminosos. Os outros, que não apresentavam risco aparente, eram marcados com a palavra "examinado" e eram libertados.

4 - Mulheres de conforto

Durante as Guerras Sino-Japonesa e a Segunda Guerra Mundial, aproximadamente 200 mil mulheres foram obrigadas, pelos militares, a se prostituirem. Elas foram enviadas como escravas sexuais para todo o leste da Ásia e ficaram conhecidas como "mulheres de conforto". A maioria delas eram coreanas e algumas das jovens tinham apenas 16 anos. A violência sexual enfrentada por elas durou anos e acontecia diversas vezes consecutivas.

No ano de 2015, o primeiro ministro do Japão fez um pronunciamento oficial se desculpando pelo ocorrido. As 46 mulheres sobreviventes, até aquele ano, dividiram a quantia de US $ 9 milhões emitido pelo governo.

5 - Unidade 731

 A unidade militar conhecida como Unidade 731 foi responsável por pesquisar armas químicas e matar milhares de pessoas. Na busca por algumas respostas, o grupo acabou agindo de forma completamente desumana e aterrorizante. Um teste com "bombas de peste" foi feito na tentativa de descobrir se essas armas infectadas seriam capazes de causar um surto de doença no local em que seria laçada. A pesquisa surtiu o efeito imaginado e acabou matando cerca de 3000 civis chineses.
Outros testes absurdos foram feitos por eles e resultaram, no total, na morte de 300 mil pessoas. Dentre as atrocidades cometidas por eles estava colocar pessoas em câmaras de pressão para ver quanto tempo o corpo humano suportava antes de explodir, infectar civis com doenças, dissecar pessoas doentes para examinar o efeito que era causado sobre elas e congelar prisioneiros até a morte para entender melhor o fato.

6 - Bridge House

A cidade chinesa, Xangai, foi ocupada pelos japoneses em 1937. E, desde então, aqueles que se opusessem ao comando japonês eram considerados anti-japoneses e, consequentemente, enviados para Bridge House. O prédio, conhecido por esse nome, ficava na própria cidade e era comandado pelos Kempeitai. O local foi usado para execuções por decapitação e teve como um de seus alvos principais o editor de tabloides anti-japoneses, Cai Diaotu.

7 - Ocupação de Guam

A ilha Guam foi tomada pelos japoneses em 1944 e resultou em grandes desastres. Depois que a eles começaram a perder o controle sobre o local, a polícia secreta japonesa, ou Kempeitai, acabou saindo do controle. Eles começaram a torturar, estuprar, decapitar e disparar contra os civis da ilha. O ato atroz ficou bem conhecido depois do ocorrido.

8 - Marcha da morte

Apesar de ser pouco conhecida, a Marcha da morte, em Sandakan, matou milhares de pessoas. Tudo isso aconteceu enquanto os japoneses estavam fugindo de Sandakan, quando a guerra estava chegando ao fim. Eles abandonaram o campo de prisioneiros que mantinham no local e obrigaram os presos a fugirem com eles pela selva. A intenção era fazer com que eles morressem por alguma doença ou fome no caminho, e foi exatamente isso que aconteceu com grande parte deles. Aqueles que sobreviveram à caminhada foram executados pelos japoneses ao final dela. 2700 presos, que estavam no campo, participaram da marcha e apenas 6 deles conseguiram escapar e sobreviver.

Todas essas questões nos mostram um lado diferente da guerra, da qual a maioria ainda não conhece. Fatos como esses devem ser de conhecimento geral e merecem a sua atenção, mesmo sendo perturbadores. Você já sabia dessas atrocidades cometidas pelos japoneses na Segunda Guerra mundial?

Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+