Saúde

A fórmula de leite infantil vende muito, mas você sabe o que ela contém?

0

O leite infantil está se tornando cada vez mais popular em todo o mundo, mas será que ele faz bem para os pequenos?

Os pais estão investindo centenas de milhões de dólares nesse produto, e, ao todo, a fórmula representa quase metade das vendas totais de leite em pó, tendo um crescimento de 200% desde 2005.

No entanto, existe uma preocupação crescente em relação à popularidade em ascensão do leite infantil, abordando questões relacionadas ao seu valor nutricional, custo, estratégias de marketing e seu impacto na saúde e alimentação das crianças pequenas.

Contudo, o que exatamente o leite infantil contém? Como suas propriedades se comparam ao leite de vaca? E como ele alcançou tal nível de popularidade?

O que é leite infantil?

Via Freepik

O leite destinado a crianças de um a três anos de idade é divulgado como apropriado para essa faixa etária. Esse produto, considerado ultraprocessado, é composto por:

  • Leite em pó desnatado, podendo ser de origem bovina, soja ou caprina;
  • Óleo vegetal;
  • Açúcares;
  • Emulsionantes para melhorar a consistência e textura;
  • Vitaminas e minerais.

Em comparação, o leite infantil geralmente apresenta menor teor de cálcio e proteínas, porém, contém mais açúcar e calorias em relação ao leite de vaca tradicional.

Dependendo da marca, uma porção desse leite pode conter uma quantidade de açúcar semelhante à encontrada em refrigerantes.

Apesar de conterem vitaminas e minerais adicionados, esses nutrientes são mais absorvidos quando vêm de alimentos naturais e do leite materno. Para crianças pequenas que seguem uma dieta variada, a quantidade de nutrientes presente nesses produtos não é essencial.

Autoridades de saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Conselho Nacional de Saúde e Pesquisa Médica da Austrália, desaconselham o consumo de leite infantil para crianças saudáveis.

Contraindicação

Via Freepik

Algumas crianças que enfrentam problemas médicos metabólicos ou dietéticos podem necessitar de alternativas personalizadas ao leite de vaca.

No entanto, essas alternativas geralmente não são comercializadas como leites infantis comuns, mas sim produtos específicos prescritos por profissionais de saúde.

Além disso, o leite infantil é mais caro do que o leite de vaca convencional, com um custo quatro a cinco vezes maior.

Isso é ainda mais evidente no caso do leite infantil “premium”, que oferece níveis mais elevados de vitaminas e minerais e, consequentemente, possui um preço mais elevado.

Diante da crise do aumento do custo de vida, muitas famílias podem ser obrigadas a fazer escolhas difíceis, optando por não adquirir outros itens essenciais para poderem comprar leite infantil.

Como foi inventado

O leite infantil surgiu como uma estratégia das empresas de fórmulas infantis para contornar as restrições impostas às suas práticas de publicidade para as fórmulas infantis.

Quando os fabricantes destacam os supostos benefícios do leite infantil, muitos pais presumem que esses benefícios se estendem também à fórmula infantil. Em outras palavras, a promoção do leite infantil também serve para promover o interesse na fórmula.

Além disso, os fabricantes buscam criar lealdade e reconhecimento à marca ao tornar os rótulos do leite infantil semelhantes aos da fórmula tradicional.

Como o leite infantil se tornou tão popular

O leite infantil é amplamente promovido como uma opção saudável para crianças. Os pais são frequentemente informados de que ele contribui para o crescimento e desenvolvimento dos filhos, beneficiando a função cerebral e o sistema imunológico.

Além disso, esse produto se apresenta como uma solução para as refeições comuns em crianças pequenas.

No entanto, o consumo regular de leite infantil pode aumentar o risco na introdução alimentar, pois limita as oportunidades para as crianças experimentarem uma variedade de alimentos.

Além disso, devido ao seu sabor doce e à sua consistência que não requer mastigação, ele substitui a energia e os nutrientes fornecidos por alimentos sólidos.

Via Freepik

Preocupação cresce

A Organização Mundial da Saúde (OMS), juntamente com especialistas em saúde pública, têm preocupações há anos sobre a promoção do leite infantil.

Na Austrália, apesar das tentativas de implementar medidas para limitar a fabricação, eles tiveram pouco progresso.

Isso porque o produto se classifica como um alimento que pode ajudar nas vitaminas e minerais, o que significa que não há restrições significativas em sua comercialização.

A Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores também demonstrou preocupação com o aumento da publicidade relacionada ao leite infantil. No entanto, até o momento, não houve alterações significativas na regulamentação.

Não culpe os pais

À medida que os pais enfrentam rotinas cada vez mais corridas, é possível entender por que eles escolhem opções fáceis, como alimentos processados, incluindo o leite infantil.

Os fabricantes de fórmulas capitalizaram essa tendência, criando uma demanda por um produto que pode não ser necessário.

Embora os pais busquem o melhor para seus filhos, é essencial que entendam que o marketing pode enganar.

O leite infantil é desnecessário para crianças saudáveis, prejudica a saúde e é caro. Para crianças pequenas, uma dieta baseada em alimentos integrais e, quando possível, leite materno é suficiente.

Se os pais estiverem preocupados com a nutrição dos filhos, é recomendável que consultem um médico para se orientar, e não comprar sem saber.

 

Fonte: Science Alert

Imagens: Freepik, Freepik, Freepik

Cientistas alertam que o preço dos alimentos deverá aumentar a cada ano a partir de agora

Artigo anterior

Por que às vezes é preciso ir de ônibus até o avião para embarcar?

Próximo artigo