Dentre as profissões mais faladas por crianças quando perguntadas o que querem ser quando crescerem, está a de astronauta. Ser astronauta exige comprometimento e extrema dedicação. Os profissionais em potencial geralmente são selecionados e estão entre seus 30 e 40 anos. Normalmente, eles deixam carreiras de prestígio por uma chance na área. Eles começam de degrau em degrau até alcançar todas as possibilidades da profissão.

Por isso o treinamento são longos dias de trabalho árduo, além de inúmeras viagens. E mesmo fazendo todo o treinamento não há garantia de que eles irão para o espaço. Isso pode ou não acontecer, dependendo das circunstâncias. De qualquer maneira, é uma área bastante valorizada e sonhada por muitos.

A visão do espaço deve ser uma das coisas mais deslumbrantes que alguém pode ver. Entretanto, por conta da falta de gravidade algumas atividades corriqueiras e cotidianas devem ser bem estranhas, pra dizer o mínimo, de se executar.

Das dúvidas mais comuns que as pessoas tem a respeito das atividades de um astronauta, geralmente, é como eles dormem, bebem água, se alimentam e vão ao banheiro.

Banheiro

Publicidade
continue a leitura

Felizmente, Chris Cassidy, astronauta da NASA e ex-Navy SEAL, foi gentil o suficiente para responder uma dessas dúvidas que todos tem. O astronauta mostrou como eles fazem para fazer cocô no espaço.

O Compartimento de Resíduos e Higiene (WHC) da estação fica localizado em uma cômoda pequena com porta. Essa cômoda fica posicionada entre a esteira e a máquina de musculação.

Essa dúvida é bastante pertinente, até porque a estação recebeu um banheiro totalmente novo no começo desse mês. O chamado Sistema de Gerenciamento de Resíduos Universal (UWMS) está a bordo de um cargueiro Cygnus e foi um atualização bem necessária.

No entanto, Cassidy explicou como o antigo vaso funcionava. O astronauta disse que a sensação de precisar ir ao banheiro que se sente no espaço é a mesma que na Terra. E quando você percebe que tem que ir, vai flutuando até o espaço minúsculo e fecha a porta para ter um pouco de privacidade.

Publicidade
continue a leitura

Ao longo das décadas, o design do WHC não mudou muito. Claro que a experiência está longe de ser uma coisa luxuosa. Até porque o assento é ligado a um balde de metal. Segundo Cassidy, o banheiro tem aproximadamente 30 "depósitos" e quando ele está cheio é preciso ser substituído.

A abertura é entre 12 e 15 centímetros de diâmetro, por isso a mira é uma coisa extremamente importante. As fezes são embaladas em um forro de plástico. Já a urina é sugada por uma válvula que é conectada à extremidade de uma longa mangueira chamada Conjunto do Processador de Urina que é operada por um botão pequeno.

Dúvida

Publicidade
continue a leitura

A maior parte da urina realmente é reciclada na estação. Isso acontece através do Sistema de Recuperação de Água.

“E caso as coisas deem errado, como o hardware, não você, existe o cartão WHC Malfunctions Cue. O ponto principal é, se houver um sinal vermelho, falamos com o solo e juntos descobrimos o caminho a seguir", explicou.

Em 2008, o banheiro WHC da estação realmente teve um mau funcionamento e a tripulação não conseguia consertá-lo. Então eles tiveram que fazer suas necessidades a bordo do módulo de transporte Soyuz. Contudo, ele tinha um sistema de baixa capacidade que se encheu rapidamente.

Felizmente, as peças de reposição foram enviadas a bordo do Ônibus Espacial Discovery depois de duas semanas que o WHC tinha estragado. Além disso, os problemas de mau funcionamento do banheiro espacial são bem raros de acontecer.

“Então, parabéns, você acabou de usar o WHC pela primeira vez. Espero que seja educacional, mas não acho que vá diminuir a quantidade de vezes que terei de responder a essa pergunta", concluiu Cassidy.

Publicado em: 16/10/20 13h24