Mundo Afora

Carro da Tesla pega fogo após três semanas parado

0

Um Tesla Model S, carro elétrico da montadora de Elon Musk, pegou fogo após ficar três semanas parado em um ferro-velho na Califórnia, Estados Unidos. O veículo pegou fogo aparentemente sem motivo.

O Corpo de Bombeiros local publicou um vídeo e várias fotos do carro no Instagram. A corporação informou que conter as chamas foi bastante trabalhoso, principalmente devido à liberação de gás no compartimento de baterias.

“O carro estava totalmente envolvido com o fogo e levou uma quantidade significativa de tempo, água e pensamento fora da caixa para extinguir. As equipes apagaram o fogo, mas o carro continuou acendendo novamente e liberando gás no compartimento da bateria”, disse o departamento.

A solução dos bombeiros envolveu escavação e 17 mil litros de água, para colocar, literalmente, “terra em cima do perigo”.

“O Tesla foi movido de lado para obter acesso ao compartimento da bateria embaixo. Mesmo com penetração direta, o veículo ainda iria acender novamente, devido ao calor residual. As equipes e o pessoal no local criaram um pequeno poço, colocaram o carro dentro dele e encheram o poço com água, submergindo efetivamente o compartimento da bateria”, acrescentou a corporação.


Mais casos de incêndio

Foto: Reprodução/ Youtube

No entanto, vale destacar que o Tesla Model S que pegou fogo no ferro-velho não foi o primeiro carro elétrico da montadora a sofrer um incêndio. Em novembro de 2021, um Model 3 pegou fogo enquanto estava sendo recarregado em casa. O caso aconteceu na cidade de Maple Glen, no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos.

Assim como o caso na Califórnia, não se sabe o motivo desse incêndio. Existem diversas dúvidas sobre o ocorrido, entre elas, se o usuário estava recarregando o veículo diretamente na corrente elétrica de casa ou através de uma wallbox. Além disso, a falha pode ter acontecido no software de carregamento do veículo ou na bateria.

Tesla lidera ranking de acidentes entre montadoras de carros autônomos

Foto: Canaltech

A Administração Nacional de Segurança Rodoviária (NHTSA, na sigla em inglês) divulgou os dados mais recentes relacionados às falhas e acidentes de trânsito envolvendo carros autônomos e com recursos de assistência ao motorista (ADAS). O AutoPilot da Tesla aparece no topo do ranking entre as montadoras citadas.

O levantamento considera os dados dos recursos avançados de assistência ao motorista (ADAS) Nível 2 e um documento com informações a respeito de acidentes envolvendo carros com sistemas de direção automatizada do Nível 3 ao Nível 5.

“Os dados divulgados fazem parte do nosso compromisso com a transparência, prestação de contas e segurança pública. As novas tecnologias de veículos têm o potencial de ajudar a prevenir colisões, reduzir a gravidade de colisões e salvar vidas, e o Departamento está interessado em promover tecnologias que comprovadamente o façam. Coletar esses dados é um passo importante nesse esforço. À medida que coletamos mais dados, a NHTSA poderá identificar melhor quaisquer riscos ou tendências emergentes e aprender mais sobre o desempenho dessas tecnologias no mundo real”, disse Dr. Steven Cliff, Administrador da NHTSA.

Por que a Tesla lidera a lista?

Foto: Divulgação/NHTSA

Primeiramente, é importante considerar que recursos como controle de cruzeiro com reconhecimento de tráfego e assistência de permanência em faixa, características do AutoPilot da Tesla, se enquadram no Nível 2.

Os níveis de 3 a 5, segundo a classificação da NHTSA, são “capazes de realizar toda a tarefa de condução dinâmica sob condições operacionais definidas sem exigir um motorista humano para monitorar e supervisionar o sistema de automação”.

Nessa classificação do órgão, a montadora de Elon Musk aparece no topo do ranking de falhas, com 273 problemas relatados.

Em segundo lugar está a Honda, com 90 intercorrências relatadas. Já a terceira da lista, é a Subaru, com 10 falhas.

Fonte: G1, Canaltech

Macaco é flagrado ‘amolando’ faca em prédio no centro comercial em Piauí

Matéria anterior

Essa ‘superturbina’ submarina é aposta do Japão para futuro da energia

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos