Cientistas criam preservativos com dose de viagra

POR A redação    EM Ciência e Tecnologia      04/09/15 às 15h40

O medo de ter o prazer comprometido ou de perder a ereção faz com que alguns homens tremam na base quando o assunto é colocar o preservativo. Em certos casos, a resistência tem base fisiológica. Mas em boa parte deles, é puramente emocional. Até nos anos 70 e 80 os preservativos causavam perda parcial de sensibilidade, porque possuíam uma espessura maior. Mas para a alegria de muitos, hoje já é possível encontrar no mercado preservativos mais modernos e que não comprometem o prazer.

Pesquisas confirmam que alguns homens sentem desconforto porque não colocam o preservativo corretamente. A ansiedade e insegurança são fatores que podem atrapalhar na hora de colocar o preservativo, além de não comprarem o preservativo de tamanho ideal.

Um grupo de cientistas australianos pretende reinventar a camisinha. Segundo os pesquisadores, usar a nova versão do preservativo pode ser mais confortável do que fazer sexo sem a proteção. Será que é a solução para os que odeiam usar camisinha?

hii

Os cientistas da Universidade de Wollongong, no estado de Nova Gales do Sul, aceitaram o desafio da fundação comandada por Bill Gates e sua mulher, Melinda, de desenvolver a "camisinha do futuro". Isso mesmo! Os envolvidos na pesquisa têm feito experiências promissoras com o material hidrogel, que, segundo os especialistas, tem uma série de benefícios que o látex não possui.

Feito de hidrogel, ele é um preservativo mais forte e resistente que as camisinhas comuns. Além disso, pode ser auto-lubrificante, ter sua pequena dose de Viagra, conduzir eletricidade e ainda ser biodegradável. Apesar do risco que o hidrogel trouxe para algumas pessoas, ele é um material muito forte e flexível que vem sendo testado há décadas. Recentemente, ele tem sido manipulado em laboratório para ter uma gama de propriedades.

O material, por exemplo, pode se comportar e se parecer muito com o tecido humano. Por isso tem sido amplamente utilizado em próteses para criar vasos sanguíneos e até implantes oculares.

kaO cientista que lidera as pesquisas, Robert Gorkin, acredita que o produto é ideal para os preservativos por causa da sua capacidade de ser moldado para propriedades diferentes. Isso tudo pelo fato da camisinha se autolubrificar, conter uma dose de viagra, ser biodegradável e ainda conduzir eletricidade e responder à estímulos. Dá pra imaginar todas essas funções!?

"Tivemos uma ideia para novos materiais, que teria as mesmas propriedades de borracha com uma sensação mais agradável, mas não tenho certeza se eles tem as propriedades certas para um preservativo", afirma Robert.

A equipe recebeu uma das 52 bolsas da Fundação Bill e Melinda Gates, que pediu aos cientistas para ajudar a encontrar uma solução para as pessoas que não gostam de usar preservativos. A instituição afirma que, apesar de os preservativos serem baratos, fáceis de fabricar, fáceis de distribuir e disponíveis globalmente, a noção de que eles diminuem o prazer faz com que muitas pessoas não usem a proteção.

erA equipe da Universidade de Wollongong acredita que suas descobertas são animadoras e que o hidrogel é a substância correta para substituir o látex. Será? Pode ser o fim do preconceito que existe em cima das camisinhas. Tomara que o projeto seja eficaz para a felicidade dos homens.

Fonte: UOL 

A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+