• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

Cientistas criaram ouro e ele é melhor que o da natureza

POR Bruno Dias    EM Inovação      10/07/18 às 19h53

Nem tudo que reluz é ouro, como já dizia o ditado popular. Mas e se de repente algo que reluzisse mais que o ouro que conhecemos também fosse ouro? Pois é, parece que agora os cientistas conseguiram criar um tipo de ouro que é mais dourado que o encontrado na natureza.

O ouro é um metal incrivelmente estranho. Acredita-se que ele tenha vindo da colisão de duas estrelas de nêutrons super densas. Parte desse ouro conseguiu se juntar a uma terra recém formada e passar por milhares de anos de processos geológicos para emergirem.

A jornada do "ouro raiz" é de se maravilhar e assim como sua jornada cheia de etapas, ele também tem várias utilidades além de produzir belas jóias. Mas a New Scientist criou uma forma do metal que é mais dourada e mais absurda ainda.

Embora não exista outro elemento como o ouro, tudo depende dos seus elétrons. Apesar de existirem várias maneiras de se explicar o metal a ZMEScience explica de maneira rápida como o ouro absorve os comprimentos de onda de luz mais baixos, ou seja, os azuis. Isso significa que as ondas restantes formam a cor dourada. Já os outros elementos não fazem isso, com exceção do césio.

Outro ponto é que o ouro, sendo um metal nobre, é inerte, ou seja, resistente à corrosão e à oxidação. Ele continua dourado para sempre, o que outros metais importantes como o cobre não conseguem.

Então como foi possível fazer um ouro ainda mais dourado que o original? Tentar fazê-lo em laboratório já aconteceu, mas perceberam que teriam que mexer em suas propriedades químicas. Em 2015, porém, a semente para a criação do "ouro nutella" foi plantada.

Uma equipe do Centro de Ciências Nano e Soft Matter, em Bangalore, na Índia, jogou um pouco de cloreto de ouro em um forno a 220°C por meia hora ao lado do brometo de tetraoctilamônio cacofônico. Isso produzia ouro elementar que formava pedaços microscópicos, esburacados e alongados.

Esses microcristais podem não parecer muito mas foram eles que levaram uma equipe a estudar se era possível atacar o ouro. E eles viram que sim. O "ouro raiz" pode ser atacado por uma combinação de ácido nítrico e hidroclórico chamado "aqua regia", por exemplo.

Mercúrio também reage drasticamente com o ouro. Mas essa forma de cristal alongada, microscópica e cristalina aguenta a luta com esses metais. Isso quer dizer que esse "ouro nutella" é mais resistente a mudanças químicas do que o "ouro raiz".

Próxima Matéria
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+