Entretenimento

Como sabemos que o homem pisou na Lua? Giovanna defendeu conspiração no BBB24

0

Afinal, o homem pisou na Lua? Foi o que a participante Giovanna, do Big Brother Brasil 24, questionou na edição.

A missão espacial Apollo 11, conduzida pela NASA, marcou a primeira vez que o homem pisou na Lua em 1969.

Mas, apesar de terem se passado mais de cinco décadas desde então, ainda persistem teorias de conspiração em torno desse feito histórico.

Durante uma conversa com outros participantes do BBB24 na noite de segunda-feira (19), Giovanna expressou sua descrença de que o homem tenha realmente ido à Lua.

Ela diz que ‘não acredita’. Também afirmou que ‘existem poucas evidências para sustentar isso’, principalmente considerando a época em que ocorreu. Ela ainda comenta que o fato de nunca mais outro ser humano ter voltado, mesmo com os avanços tecnológicos, seria algo para questionar.

Atualmente, existem diversas evidências contra essa visão contradizendo que o homem pisou na Lua.

Via Correio Braziliense

Se o homem pisou na Lua, por que não voltamos?

O argumento central levantado por Giovanna no BBB24 para justificar a teoria da conspiração que o homem pisou na lua é o seguinte: por que não aconteceu mais após as expedições dos anos 1970?

A última missão Apollo a pousar astronautas na Lua foi a Apollo 17, em 1972, e desde então, os seres humanos nunca mais voltaram.

Durante a década de 1970, havia planos para estabelecer uma base lunar permanente, porém, isso nunca se concretizou. Este não é um caso de uma grande conspiração, mas sim de geopolítica.

Durante uma palestra em 2019 no Royal Museums Greenwich, o diretor de descoberta do Centro Espacial Nacional do Reino Unido, professor Anu Ojha, explicou: “A resposta está na mudança de nossas prioridades”.

Conforme explicação, aconteceu a Guerra do Vietnã, e também havia esse elemento geopolítico em jogo, que levou o país a pensar que “já tinha vencido a corrida”. Ou seja, as prioridades do governo dos Estados Unidos mudaram de direção.

Após a vitória contra a União Soviética e em meio a uma guerra, os Estados Unidos optaram por redirecionar os milhões de dólares necessários para enviar o homem à Lua para outras áreas.

Em vez disso, a NASA concentrou suas atenções no programa de ônibus espaciais e, posteriormente, na Estação Espacial Internacional, que tem sido habitada permanentemente por equipes de astronautas desde novembro de 2000.

No entanto, isso não implica que os humanos estejam impossibilitados de retornar à Lua no futuro. Na verdade, esse futuro parece mais próximo do que se esperava.

Via Flickr

E quais as provas?

A principal evidência de que o homem pisou na Lua é, de fato, a pegada deixada por Neil Armstrong na superfície do satélite, a qual permanece lá até hoje.

Com a icônica frase: “Este é um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade”, Neil Armstrong deixou a primeira marca humana no solo lunar.

Em 2009, a Nasa enviou um orbitador de reconhecimento lunar para mapear a superfície da Lua com uma resolução três ou quatro ordens de magnitude maior do que qualquer mapeamento anterior. Com isso, todos os locais de pouso das missões Apollo foram registrados.

Dessa forma, as pegadas, os rastros dos veículos lunares, permaneceram intactos, e continuarão na Lua por milhões de anos.

Como foi a missão Apollo 11?

O terceiro estágio do foguete Saturno V foi responsável por levar os astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins ao satélite natural em 1969.

O programa para colocar o primeiro homem na Lua teve origem em 1961, quando o então presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, comprometeu o país a realizar tal feito até o final da década, durante o período da Guerra Fria.

A missão Apollo 11 despertou um enorme interesse global na exploração lunar. Para assegurar que as tripulações humanas pudessem pousar e partir da superfície lunar com segurança, era essencial compreender o ambiente, a superfície e os processos envolvidos.

Dessa forma, a NASA desenvolveu sondas robóticas precursoras que coletaram informações valiosas para embasar a primeira exploração científica de outro corpo celeste.

Via Public Domain

O homem pisou na Lua

Algumas missões de mapeamento enviaram imagens à Terra, fornecendo garantias sobre a segurança do solo lunar.

Toda a preparação para o lançamento da Apollo 11 levou oito horas naquele 20 de julho de 1969. Neil Armstrong e Buzz Aldrin pousaram com segurança em Mare Tranquillitatis (Mar da Tranquilidade) naquele dia, enquanto Michael Collins permaneceu dentro do módulo lunar.

Os astronautas exploraram a superfície lunar por mais de duas horas, coletando amostras de rochas e solo e instalando experimentos científicos.

A partir das amostras recolhidas durante a missão Apollo 11, a NASA estudou lavas vulcânicas antigas, que se cristalizaram há mais de 3,6 bilhões de anos.

As amostras também revelaram que o solo lunar possui uma composição química semelhante às rochas da Terra, porém, são extremamente secas, sem qualquer evidência de água significativa na Lua, seja no passado ou no presente.

A tripulação retornou à Terra, desembarcando no Havaí em 24 de julho.

 

Fonte: CNN

Imagens: Flickr, Public Domain, Correio Braziliense

Saudades do MSN? Novo serviço revive mensageiro que bombou nos anos 2000

Artigo anterior

Para a saúde do coração, nem os exercícios compensam o refrigerante que você toma

Próximo artigo