Curiosidades

Como smartphones estão afetando a ‘qualidade’ do esperma

0

Certamente a qualidade do esperma não é uma coisa que você pensa com frequente. No entanto, o seu inseparável celular pode estar afetando isso!

Diversos estudos avaliam o impacto dos smartphones na nossa vida, especialmente com o crescimento massivo da presença desses dispositivos no dia a dia.

No entanto, não se trata apenas do brilho da tela nos olhos ou das possíveis perturbações no horário de sono.

Agora, pesquisas trouxeram descobertas intrigantes para a saúde masculina, mais propriamente dita, da sua reprodução. Aparentemente, seu smartphone pode estar afetando a qualidade do esperma, e não de maneira positiva.

Uma cena comum, normal no dia a dia, é navegar pelo celular e, no momento seguinte, guardá-lo no bolso da frente. Claro, isso é mais normal entre homens, que possuem bolsos desenvolvidos propriamente para isso.

Essa opção é prática, rápida e um hábito para vários homens. No entanto, um estudo da Universidade de Genebra sugere que manter nossos dispositivos no bolso impacta a qualidade do esperma em homens jovens.

Via Informe Brasil

A pesquisa

Entre 2005 e 2018, cientistas coletaram dados de 2.886 homens suíços, com idades entre 18 e 22 anos. Esses homens responderam a questionários detalhados sobre seus hábitos de vida, saúde geral e, também, seus hábitos de uso de celular.

Os resultados são surpreendentes. Homens que utilizavam seus celulares menos de uma vez por semana apresentavam uma concentração de esperma de 56,5 milhões por mililitro.

Enquanto isso, comparando com aqueles que usavam seus telefones mais de 20 vezes por dia, a concentração deles era de 44,5 milhões por mililitro.

Se fizermos as contas, isso representa uma diminuição significativa de 21% nas amostras colhidas.

E não para por aí. A pesquisa observou que a qualidade do esperma parecia deteriorar-se mais acentuadamente entre 2005-2007 do que nos períodos subsequentes até 2018.

Curiosamente, essa linha do tempo coincide com a transição da tecnologia 2G para 3G e, posteriormente, de 3G para 4G.

Essas mudanças tecnológicas reduziram a potência de transmissão dos telefones.

Surge então a pergunta mais importante: será que a radiação eletromagnética dos nossos celulares está impactando a qualidade do esperma, especialmente quando muitos de nós guardam os telefones nos bolsos, próximos à virilha?

Afeta mesmo a qualidade do esperma?

Espera! Vamos pensar por um minuto. É importante não tirar conclusões precipitadas.

Apesar de ser tentador olhar para esses números e estabelecer uma relação direta entre o uso do smartphone e a diminuição da qualidade do esperma, a história possui vários detalhes.

Rita Rahban, autora principal do estudo, ressaltou que os dados não afirmam de maneira conclusiva que os telefones, quando mantidos próximos ao corpo, prejudicam diretamente a qualidade do esperma.

Isso porque o grupo de homens que não carregava seus telefones consigo era muito pequeno para se chegar a uma conclusão firme.

Ou seja, em termos de um estudo clínico, a amostra não era substancial para chegar a conclusões dessa magnitude.

Além disso, vivemos em um mundo em constante transformação. Ao longo das últimas décadas, ocorreram inúmeras mudanças tecnológicas, sociais e ambientais.

Sendo assim, alguma dessas mudanças poderia estar influenciando a saúde do esperma. Por exemplo, a Professora Shanna Swan, em seu livro “Count Down”, sugere que poluentes ambientais, como certos plásticos ou substâncias usadas para impermeabilizar, podem ser os verdadeiros responsáveis pelo que ela chama de “apocalipse do esperma”.

Especialistas independentes, ao analisar este estudo sobre smartphones, elogiaram sua abordagem metodológica, reconhecendo que é uma peça significativa de um quebra-cabeça maior.

No entanto, eles enfatizam a necessidade de atenção nessa interpretação. Allan Pacey, Professor de Andrologia na Universidade de Manchester, foi direto ao ponto: os resultados mostram uma conexão, mas não necessariamente uma causa.

Dessa forma, não podemos afirmar com certeza que os smartphones são os vilões por aqui. Possivelmente, eles são indicadores de outros fatores de estilo de vida que são os verdadeiros motivos para essa mudança tão grande.

Via Techtudo

Sugestões

Para homens preocupados com a fertilidade, o Prof. Pacey sugere que não existe evidências concretas de que reduzir o uso do celular ou mudar onde você o carrega melhorará a qualidade do seu esperma.

Contudo, essa é uma mudança fácil de fazer se isso proporcionar paz de espírito. Afinal, por que não prevenir em vez de remediar?

No entanto, é crucial abordar o tema com uma visão equilibrada. Ou seja, não existe motivo para pânico, e mais pesquisas certamente virão.

E para aqueles que estiverem céticos sobre o assunto, vale continuar guardando o celular no bolso da frente. Afinal, não existem estudos suficientes para afirmar isso, e tampouco contraindicações.

Nossos smartphones são dispositivos incríveis que facilitam a vida, e não devem ser motivo de pânico. Basta apenas ter todas as informações e manter a mente aberta.

 

Fonte: Mistérios do Mundo

Imagens: Informe Brasil, Techtudo

Piloto de asa delta publicou foto antes de desaparecer no litoral paulista

Previous article

Como Suzane von Richthofen reagiu aos filmes sobre o caso?

Next article

Comments

Comments are closed.