Saúde

Coração e rins sobrecarregados: veja os riscos do calor extremo para a saúde

0

O Brasil ainda está oficialmente no inverno, mas as ondas de calor já começam a aparecer com força, e as expectativas são ainda piores para os próximos 14 dias.

Segundo a MetSul, as cinco regiões do Brasil serão atingidas por temperaturas tão altas que podem provocar os maiores registros de termômetro no mês de setembro, e até quebrar recordes em alguns lugares.

Quais estados serão atingidos pelas ondas de calor?

A previsão indica que temperaturas em torno de 40ºC serão registradas em todo o Sudeste, Centro-Oeste e Norte, além de áreas do Nordeste.

No entanto, os valores podem se atualizar nos próximos dias, e todo o país sofrerá com os aumentos graduais, mesmo fora da zona principal. Da mesma forma, o calor intenso e extremo pode ser perigoso para a saúde.

Calor pode matar?

Via Globo

Morrer de calor não é figura de linguagem. Esse é um risco real, alertam cientistas.

O calor extremo está entre os principais motivos que levam a problemas de saúde pública em todo o mundo, destaca a revista Lancet, que recentemente  dedicou ao tema uma série especial de estudos.

Na prática, cinco mecanismos principais do corpo humano podem falhar com uma temperatura elevada:

  1. isquemia (redução ou interrupção da irrigação sanguínea);
  2. citotoxidade (envenenamento das células);
  3. inflamação;
  4. coagulação intravascular disseminada (formação de trombos que podem destruir órgãos);
  5. rabdomiólise (síndrome causada pela destruição das fibras musculares).

Enquanto isso, as altas temperaturas podem exercer um sério impacto em sete órgãos principais: o cérebro, o coração, o intestino, o fígado, os rins, os pulmões e o pâncreas.

Quando o corpo é exposto ao calor, o hipotálamo entra em ação, desencadeando uma resposta cardiovascular que resulta na dilatação dos vasos sanguíneos e no desvio do fluxo sanguíneo para a pele, onde o calor é dissipado para o ambiente.

O problema dessa resposta é que ela prejudica o fornecimento de sangue a outros órgãos, como o pâncreas, devido à redução da oxigenação, levando à liberação de moléculas tóxicas no organismo.

Como as ondas de calor podem ser letais?

Via Globo

Além disso, o corpo perde uma quantidade significativa de líquidos na tentativa de se resfriar por meio da transpiração.

Quando essa perda é excessiva, a desidratação se instala, tornando o sangue mais espesso, o que afeta principalmente os rins e o coração, que ficam sobrecarregados.

A desidratação também causa vasoconstrição, aumentando o risco de formação de coágulos sanguíneos e derrames.

As temperaturas extremamente elevadas lançam o corpo em um estado de caos. O cérebro começa a sofrer com a falta de oxigênio, resultando em falhas no controle do corpo.

Como explicam especialistas, isso afeta a pressão sanguínea, desencadeando uma cascata de eventos que afetam o sistema respiratório, os rins e outros órgãos. A capacidade de regular a temperatura com o ambiente diminui, o que pode levar a desmaios e, em casos graves, a um choque térmico fatal.

Quando a temperatura corporal excede 39ºC ou 40ºC, as enzimas essenciais para o metabolismo diminuem drasticamente a velocidade de suas reações químicas vitais para a sobrevivência.

O corpo começa a desacelerar o processamento de proteínas e açúcares para obter nutrientes e energia.

A tolerância ao calor varia de pessoa para pessoa e depende das condições ambientais.

Embora o calor seco seja desafiador, a umidade torna a situação ainda mais perigosa, pois impede a evaporação eficaz do suor, dificultando a regulação da temperatura corporal.

Como se cuidar?

Via Freepik

Nessas ondas de calor, é fundamental se cuidar para evitar problemas de saúde.

Por isso, beba bastante água ao longo do dia, mesmo se você não estiver com sede. Evite bebidas alcoólicas e com cafeína, pois elas podem causar desidratação.

Use roupas leves e de cores claras que ajudem a refletir a luz solar. Proteja sua pele com roupas de manga longa, chapéus e óculos de sol.

Quando puder, fique na sombra sempre que possível, principalmente durante as horas mais quentes do dia, que geralmente são entre 10h e 16h. E sempre aplique protetor solar com FPS adequado para proteger sua pele dos raios UV prejudiciais.

Nos próximos dias, reduza a intensidade de exercícios físicos durante o calor extremo, especialmente ao ar livre. Se você se exercitar, faça-o nas horas mais frescas do dia, como pela manhã ou no final da tarde.

Dicas do dia a dia

Para manter a casa fresca, use ventiladores, aparelhos de ar-condicionado ou abra as janelas à noite para ventilação. Evite o uso de aparelhos elétricos que gerem calor.

Também tome banhos frios e use toalhas molhadas, pois ajuda a baixar a temperatura do corpo. E se puder, opte por refeições leves e que não exijam muito tempo de cozimento, pois usar o fogão ou o forno pode aquecer ainda mais a casa.

Além disso, não deixe de acompanhar os boletins meteorológicos e fique atento às advertências de ondas de calor. Com essas dicas, você conseguirá sobreviver sem prejuízos.

 

Fonte: Globo

Imagens: Globo, Globo, Freepik

EUA começam testes de uma nova vacina contra o HIV em humanos

Artigo anterior

Quantos zeros tem um octilhão, ganho prometido por grupo de pastores acusado de aplicar golpe em fiéis?

Próximo artigo