• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Entenda o que é uma turbulência e veja se ela pode causar um acidente de avião

POR Arthur Porto    EM Curiosidades      17/07/19 às 17h47

Turbulência: o que é exatamente? E será que você deveria mesmo ter medo? Mesmo para os experientes jet-setters, o fenômeno pode ser uma experiência complicada. Nessa semana, por exemplo, 7 pessoas acabaram feridas devido a uma extrema turbulência em um voo da Air Canada, que ia de Vancouver para Sydney. No entanto, essas ocorrências são raras e, por esse motivo, nada de perder o sono, ok? Neste conteúdo, vamos explicar tudo sobre essa situação que, embora seja desconfortável, não é tão perigosa como aparenta ser.

Hoje, as aeronaves estão cada vez mais modernas. Além disso, são manuseadas por profissionais altamente capacitados para evitar qualquer tipo de problema. E também não podemos esquecer que o avião é um dos meios de transporte mais seguros do mundo. Por isso, tenha em mente, sempre que uma turbulência não derruba um avião e não afeta a integridade da aeronave. Esse tipo de meio de transporte é fabricado para suportar e enfrentar forças muito maiores que uma turbulência.

Mas, afinal, o que é esta tal turbulência? O fenômeno consiste em um balanço da aeronave, quando esta voa de uma área de baixa pressão para uma de alta pressão. Devido ao movimento irregular do fluxo de ar na atmosfera, surge, então, a turbulência. Na maioria das vezes, os radares meteorológicos da aeronave identificam com antecedência se o avião irá passar por alguma zona de turbulência. O aviso permite que o piloto, dependendo da situação, possa até evitar esse mal-estar, desviando-se do caminho.

Para quem sabe, há três tipos de turbulência: a mecânica, a térmica e a esteira de turbulência. A mecânica é causada pelo fluxo dos ventos em uma estrutura sólida, como colinas, montanhas, prédios e outras sustentações. E, geralmente, ocorre em regiões que já são conhecidas por pilotos e controladores de voo. A turbulência térmica comum em regiões de deserto e causada pelas correntes de ar verticais. Já a última, a esteira de turbulência, é causada durante a decolagem ou aterrissagem devido a passagem da aeronave no ar.

De acordo com um estudo, conduzido pela Universidade de Reading, em 2017, a quantidade de turbulências aumentará drasticamente em algum momento após 2050. Tudo por causa da mudança climática. Isso ocorre porque as temperaturas globais mais altas devem provocar ventos instáveis em altas altitudes e tornarão os bolsões de ar bruto mais fortes e mais frequentes.

Para amenizar o medo

Há casos isolados em que uma turbulência ocasionou a queda de um avião. Um dos exemplos mais trágicos ocorreu em 1966, quando um avião caiu no Monte Fuji, levando a óbito as 124 pessoas a bordo. No entanto, esses casos seguem sendo raros e, geralmente, as esporádicas quedas são provocadas porque há outros fatores em jogo, como falhas de manutenção.

Para cada bilhão de milhas de viagem, há apenas 0,07 acidentes fatais em viagens aéreas comerciais. De acordo com estatísticas da Administração Federal de Aviação, menos de 100 pessoas são feridas por turbulência anualmente. Se você estiver em um voo e passar por uma turbulência, não se preocupe. É possível amenizar essa situação com algumas dicas básicas.

A primeira está relacionada aos assentos. Ao comprar as passagens, procure um lugar próximo ao centro de gravidade do avião ou sobre as asas. Isso ajuda a diminuir a sensação de oscilação, que é diferente de quem senta na parte posterior da aeronave. O próximo passo é seguir as orientações do piloto e das comissárias de bordo. Manter-se sentado e com o cinto de segurança afivelado durante toda a viagem é primordial. Não se levante nos momentos onde os sinais de alerta estiverem ligados.

Por fim, procure manter-se relaxado. E claro, boa viagem.

Próxima Matéria
Via   Urban Park     IFL Science  
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+