Ciência e Tecnologia

Essas são as consequências de comer muito rápido

0

Não há como negar… Um dos maiores prazeres da vida está no ato de comer. A alimentação é um processo crucial para que consigamos manter a saúde sempre em dia, em conjunto com nosso bem estar. A grande questão é que muitos acabam negligenciando a própria alimentação. Por exemplo, quantas vezes você não trocou um almoço saudável por qualquer salgado vendido em uma lanchonete?

Muitos acabam fazendo isso devido por causa da rotina agitada. Quando acontece vez ou outra é algo que não acarreta em graves problemas. No entanto, quando se transforma em hábito já é algo que deve ser repensado. Outra questão que envolve toda essa correria, abrange o costume de comer muito rápido. Para não perder tempo, muita gente prefere apenas “engolir” a comida, sem se preocupar muito com o que isso pode causar.

Comer rápido pode causar sérios problemas de saúde

Exatamente… Se você costuma fazer isso, muito cuidado! De acordo com pesquisas realizadas pela Universidade de Hiroshima, situada no Japão, aqueles que mastigam muito rápido possuem chances significativamente maiores de desenvolver obesidade. Por incrível que pareça, este é um problema tão grande que ainda pode levar a pessoa a desencadear problemas no coração. O estudo ainda comprovou que aqueles que comem devagar são menos propensos a doenças do tipo. Também correm menores riscos de apresentar síndrome metabólica.

Tal síndrome é formada por um conjunto de elementos de risco que podem provocar diabetes, doenças cardíacas e derrames. Esses elementos podem ser exemplificados por pressão arterial alta e baixos níveis de colesterol. É claro que podem ser bastante prejudiciais sozinhos, então imagine se agirem em conjunto… As chances de problemas cardiovasculares tendem a aumentar.

De acordo com o líder do estudo, Takayuki Yamaji: “Comer mais devagar pode ser uma mudança de estilo de vida crucial para ajudar a prevenir a síndrome metabólica. Quando as pessoas comem rápido, tendem a não se sentirem cheias e são propensas a comer mais do que deveriam“. Ele ainda acrescenta que comer muito rápido pode provocar maior flutuação de glicose, fator que pode levar à resistência à insulina.

O experimento

Para comprovar as suspeitas da pesquisa, decidiram fazer o teste na prática. Contaram com a ajuda de voluntários, sendo eles 642 voluntários e 411 mulheres. Tinham idade média de 51 anos. Nenhum deles havia apresentado síndrome metabólica até o ano de 2008. Foram então divididos em grupos: os que comem devagar, normal e rápido. Após 5 anos, os pesquisadores voltaram a entrar em contato com as mesmas pessoas, e foi aí que puderam ter a comprovação.

No grupo dos que tem o hábito de comer rápido, 11,6% desenvolveram a síndrome. Enquanto isso, no grupo dos que comem em velocidade normal a porcentagem foi de 6,5%, e nos mais lentos foi de apenas 2,3%. As pessoas que se alimentavam em maior velocidade também apresentaram maiores índices de aumento de peso, nível de glicose no sangue e cintura maior. Parte do motivo para isso acontecer, diz respeito ao fato de que o estômago “não tem tempo” de avisar ao nosso organismo que está cheio. Desta forma, acabamos comendo mais do que o necessário.

Portanto, se você está na luta para emagrecer, fica aqui uma boa dica. Mude não só seus alimentos em uma dieta mais criteriosa, mas também a forma com que os consome. Se tiver o costume de comer muito rápido, é uma boa hora para tentar mudar isso. Ainda vale lembrar que acrescentar mais grãos integrais, vegetais, frutas e uma boa dose de exercícios físicos, pode ajudar na prevenção à síndrome metabólica.

E então pessoal, o que acharam? Já sabiam dos riscos de comer muito rápido? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Como 13 personagens da Nickelodeon pareceriam se fossem humanos

Matéria anterior

8 vilões ruins que ainda são melhores que o Lobo da Estepe

Próxima matéria

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.