Entretenimento

Esse homem fabrica o próprio álcool no intestino e fica bêbado sem beber

0

Muitas pessoas adoram beber, seja socialmente com os amigos ou até ficarem totalmente bêbadas. Não importa como, por que ou o quanto uma pessoa bebe, uma coisa todos sentem em comum: a ressaca. Contudo, o que muitos não sabem é que uma síndrome bem rara consegue provocar os mesmos sintomas que o excesso de álcool, mesmo a pessoa não tendo ingerido uma gota.

Esse é o caso de um homem de 61 anos que teve seu caso documentado por sua esposa, que é enfermeira, e depois foi analisado pelos pesquisadores da Panola College, no Texas. Ao longo de cinco anos o homem teve sintomas de embriaguez, mesmo não tendo bebido nenhuma gota de álcool. Depois de algum tempo foi descoberto o motivo de ele ter esses episódios: a síndrome da autocervejaria.

Como o caso do homem era bastante curioso, os pesquisadores Barbara Cordell e Justin McCarthy fizeram um estudo sobre ele. O início do quadro foi em 2004, quando ele passou por uma operação no pé e precisou de um tratamento com antibióticos.

Depois disso, o homem ficava muito bêbado com duas cervejas. E também ficava “embriagado” em momentos aleatórios nos quais não tinha bebido nada de álcool. Claro que isso era bem estranho. Então, a esposa dele, que é enfermeira, começou a monitorar a concentração de álcool presente no organismo do seu marido através de um bafômetro.

Os resultados a surpreenderam quando ela viu que a quantidade era maior do que o limite permitido pela lei nos EUA. Para se ter um ideia, a lei permite 0,08 miligramas de álcool por litro de ar, a do homem às vezes era de 0,33 a 0,40.

Produz o próprio álcool

Tá saudável

Com o passar do tempo, a mulher foi percebendo que os sintomas do marido eram mais frequentes quando ele fazia alguma atividade física ou não comia uma refeição. E conforme o tempo passava, os episódios foram ficando cada vez mais graves. Em 2009, o homem teve  que ir ao pronto-socorro por conta de uma concentração de 0,37 miligramas de álcool por litro de ar

Em 2010, o homem foi a um gastroenterologista que o pediu um check-up completo. Através dele o médico conseguiu solucionar o que estava acontecendo com o paciente. Os exames mostraram a bactéria H. Pylori e a levedura Saccharomyces cerevisiae no trato digestório dele.

Depois dessa descoberta, o homem ficou em observação por 24 horas e foi revistado para ter certeza de que não tinha álcool escondido nos seus pertences. Ele não recebeu visitas durante o dia e teve uma dieta rica em carboidrato e fez testes de tolerância à glicose. Foi visto que, mesmo sem beber álcool, ele o tinha em seu organismo.

Tudo isso fez com que se chegasse à conclusão de que o homem tinha a chamada Síndrome da Fermentação Intestinal, que é conhecida também como Síndrome da Autocervejaria. Quem a tem, tem uma levedura no trato digestivo que faz com que o açúcar que é consumido pela pessoa seja fermentado e transformado em etanol. Por conta disso que a pessoa tem os sintomas de embriaguez mesmo sem ter consumido álcool.

Causas

álcool

Tá saudável

Como essa síndrome é bastante rara ainda existem poucos estudos sobre ela. No entanto, através de alguns casos, os pesquisadores conseguiram estabelecer uma relação entre ela e outras condições. Eles também puderam elencar tratamentos específicos para quem sofre com a síndrome.

Um estudo feito pelos pesquisadores da Panola College e da Stony Brook University Hospital, em Nova York, mostrou que essa síndrome tende a surgir a partir de uma perturbação da flora intestinal. Normalmente, essa perturbação vem de uma dieta rica em carboidratos ou pelo uso de antibióticos com frequência.

Outro ponto que pode ser uma de suas causas é que os pesquisadores notaram que pessoas com a Síndrome do Intestino Curto, obstruções intestinais, Doença de Crohn, obesidade, estressadas, e que pulam refeições também tendem a ter essa síndrome de produzir o próprio álcool. Mesmo assim, a condição também pode ser vista em pessoas saudáveis.

Sintomas da produção de álcool

Tá saudável

A Síndrome da Autocervejaria faz com que as pessoas que a têm sintam os mesmos sintomas que as pessoas que estão embriagadas, ou seja, desorientação, fadiga crônica, tontura, perda de coordenação motora e vômito. Assim, ela pode trazer complicações por conta desses sintomas.

De acordo com o estudo, a fadiga crônica pode deixar a pessoa com ansiedade, depressão e baixa produtividade. E claro que a embriaguez é prejudicial para a vida da pessoa, tanto social, como pode ser a causa de um acidente.

Tratamento

álcool

Tá saudável

Para o homem, seu caso foi tratado com remédios e três semanas bebendo Fluconazol e outras três, Nistatina, dois remédios antifúngicos. Além disso, o homem de 61 anos teve uma dieta restrita, não podendo comer açúcar ou carboidratos. Ele também tomou suplementos para sua flora intestinal.

O segundo estudo disse que o tratamento para a síndrome é feito em alguns passos. São eles: estabilizar a embriaguez, remédios para acabar com as leveduras, mudar a dieta e tomar probióticos.

Fonte: Tá saudável

Imagens: Tá saudável

Apresentadora da Globo relata sentimento após sofrer infarto

Artigo anterior

Resfriado é diagnosticado pelo tom de voz por inteligência artificial

Próximo artigo