Curiosidades

Este é o segredo para ser mais inteligente e bem-sucedido, segundo Steve Jobs e a neurociência

0

Se você quer ser mais bem-sucedido, existem algumas dicas que podem ajudar. Mas não qualquer recomendação: são conselhos de Steve Jobs e da neurociência.

Quando pessoas de sucesso enumeram os fatores que contribuíram para seu êxito, costumam mencionar talento, dedicação, habilidades, disposição para correr riscos e inteligência.

Embora seja comum associar o sucesso a uma mente intelectualmente ágil, o que realmente significa ser inteligente?

Em um artigo publicado no site Inc, o jornalista Jeff Haden argumenta que a educação formal é apenas uma faceta da inteligência.

Algumas pessoas acumulam conhecimento ao longo dos anos, mas podem não saber como aplicá-lo efetivamente.

Haden introduz o conceito de inteligência fluida, caracterizada pela capacidade de aprender e reter novas informações, aplicando-as na resolução de problemas, adquirindo novas habilidades e reinterpretando memórias antigas sob novas perspectivas de mundo.

Steve Jobs concorda

Via Globo

Steve Jobs também concorda com essa visão, e, em uma palestra quando estava vivo, falou sobre o assunto.

Segundo ele, uma observação curiosa sobre a inteligência é que muitos a associam diretamente à trajetória de formação escolar e universitária.

No entanto, o segredo, conforme destacou Steve Jobs, reside em vivenciar uma diversidade de experiências que se tornarão um repertório valioso ao abordar problemas de maneira única.

É essencial acumular experiências diversas para criar conexões inovadoras, escapando da uniformidade das vivências comuns, afirma o visionário criador da Apple.

Jeff Haden, seguindo essa linha de raciocínio, sugere que é imperativo ir além da inteligência puramente educacional.

O que fazer para ser mais bem-sucedido?

Participar de aulas, ler extensivamente e assimilar conteúdo são atividades que certamente ampliarão o conhecimento. No entanto, esse conhecimento pode acabar sendo similar ao daqueles que trilharam o mesmo percurso.

O colunista argumenta que a chave para aprimorar esse tipo de inteligência não está em jogos que prometem “treinar o cérebro”, como quebra-cabeças, sudoku e aplicativos populares.

Conforme um estudo publicado em 2007 na revista Behavioral and Brain Sciences, embora a atividade cerebral aumente após semanas de jogo, esse efeito é passageiro.

O aprendizado se limita à resolução específica daquele desafio, à habilidade de executar uma função para obter um resultado desejado, sem, no entanto, gerar um aumento duradouro na inteligência, pois o cérebro deixa de trabalhar intensamente nesse processo.

Luta constante

A chave está em buscar o aprimoramento constante. Após dominar uma atividade ao ponto de torná-la fácil e confortável, desafie-se a aprender algo novo.

Dessa maneira, você estabelece um fluxo contínuo de informações frescas para o cérebro, não apenas expandindo seu conhecimento arraigado, mas também mantendo o “músculo” cerebral ativo e pronto para estabelecer novas conexões neurais.

Além disso, à medida que acumula conhecimento, torna-se mais fácil aprender por associação, relacionando novos conceitos a tópicos previamente absorvidos.

Especialistas indicam que essa abordagem representa a forma mais eficiente e retentiva de aprendizado.

Como começar?

Via Freepik

Para se tornar uma pessoa mais bem-sucedida, existem algumas dicas para começar.

Seguindo os conselhos de Steve Jobs, estabeleça metas específicas para adquirir novas habilidades e conhecimentos regularmente. Identifique áreas-chave relacionadas ao seu campo de atuação ou interesses pessoais e programe-se para aprender algo novo em intervalos regulares.

Além disso, para garantir um fluxo constante de desafios e aprendizado, busque experiências que o forcem a sair da zona de conforto.

A diversidade de experiências contribui para o desenvolvimento de habilidades adaptativas e a criação de conexões inovadoras.

Por fim, pratique a habilidade de fazer associações entre conceitos. Ao aprender algo novo, busque conexões com conhecimentos pré-existentes, para ativar suas sinapses e se desenvolver melhor.

Isso não apenas fortalece sua compreensão, mas também facilita a aprendizagem futura.

 

Fonte: Globo

Imagens: Freepik, Globo

Extinção de animais gigantes afetou evolução, diz estudo

Artigo anterior

Vale R$ 1 milhão: champanhe achada em naufrágio tem gosto de cabelo molhado

Próximo artigo