Foi assim que um time de prisioneiros venceu um debate contra os estudantes de Harvard

POR Rafael Miranda    EM Curiosidades      09/10/15 às 19h39

Três homens atualmente encarcerados no Centro de Correção Eastern New York bateram a Universidade de Harvard em um debate. Como eles fizeram isso, porém, é tão inspirador quanto desolador. Quase em toda parte dos Estados Unidos, o tempo gasto na prisão é desperdiçado em torno de um redemoinho de violência e humilhação.

Os prisioneiros próximos do Bard College tiveram a chance de participar de um programa fundado sobre uma visão radical: A prisão não precisa ser apenas punição, mas também pode ser um lugar onde as pessoas crescem e são educadas e se tornam cidadãos responsáveis ??que serão reintegrados na sociedade.

Os homens que barraram Harvard faziam parte da iniciativa Prison Bard. "A coisa mais importante que o sucesso dos nossos alunos simboliza é o quão melhor nós podemos fazer pela educação nos EUA," disse o fundador do projeto, Max Kenner, ao The Huffington Post. "Nosso programa é bem sucedido porque operamos em um nível verdadeiramente humano."

Sua primeira vitória em um debate veio no ano passado, quando derrotou a Academia Militar dos EUA em West Point, Nova Iorque. O programa tem o objetivo de reabilitar os presos e ajudá-los a voltar para suas comunidades como membros produtivos da sociedade.

Entre os alunos encarcerados anteriormente e que participaram da Bard menos de 2 por cento voltaram para a prisão. Estudos mostram que os prisioneiros que se matriculam em programas educacionais atrás das grades são muito menos propensos a voltar para a prisão do que aqueles que não o fazem.

Educação

1

Os programas educacionais oferecidos dentro das prisões são normalmente concedidos e geridos pelos sistemas penitenciários. O financiamento para os programas são fornecidos através de orçamentos de departamentos correcionais, organizações privadas (por exemplo, faculdades, organizações sem fins lucrativos, etc.), e os prisioneiros e suas famílias. Oportunidades educacionais podem ser divididos em duas categorias gerais: formação acadêmica e formação profissional.

Formação acadêmica geralmente é fornecida sob a forma de aulas de alfabetização ou ensino a distância. Estas aulas gratuitas ajudam o prisioneiro a aprender a ler, escrever e executar cálculos matemáticos básicos. Isto é especialmente importante em um ambiente correcional porque, em comparação com a população em geral, os presos são apresentam um grau de escolaridade menor.

Por isso, muitos requerem apoio adicional significativo antes que eles possam assistir às aulas de ensino mais avançados. O objetivo dessas aulas é preparar o prisioneiro para que ele tenha uma educação de qualidade e chegar a ter um ensino superior ou curso técnico.

Enquanto a forma mais eficaz para oferecer programas avançados de nível universitário nas prisões é fazer parcerias com faculdades e universidades que estão dispostos a enviar professores locais, isso raramente acontece por causa de financiamento e de preocupações pessoais. Assim, a melhor aposta dos prisioneiros, em termos de uma formação acadêmica avançada, é se matricular em cursos a distância.

Fonte: BBC

Rafael Miranda
Jornalista viciado em memes e amante da cultura pop.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+