inteligência artificial (IA) é uma tecnologia que possibilita que máquinas adquiram conhecimentos, por meio de experiências, se adaptem às condições e consigam desempenhar tarefas como os seres humanos. Parece uma ideia promissora, mas assim como os robôs, ainda existe uma certa preocupação sobre o quanto esse tipo de tecnologia pode evoluir. E claro, se isso significaria que as máquinas podem ultrapassar os seus criadores.

Conforme o tempo vai passando, as máquinas vão ficando cada vez mais inteligentes. Elas podem aprender e tomar decisões sozinhas. Existem até mesmo máquinas que sonham, leem palavras no cérebro das pessoas e se desenvolvem para serem pintores. Alguns desses sistemas de inteligência artificial mostram sinais de doenças mentais e outros são perigosos demais para serem liberados para o público.

Ninguém sabe dizer ao certo até onde essa inteligência pode chegar. Mas a revolução que ela está fazendo em nosso mundo, é bastante real. Tanto que as pessoas ainda estão aprendendo qual é a melhor forma de usar as redes neurais artificiais. E também o aprendizado que as máquinas podem ter e os avanços na inteligência artificial.

Existem pesquisa práticas que querem empregar essas técnicas para benefício da sociedade. Mas também tem aquelas que priorizam outras necessidades humanas, como a criatividade e a arte. Todo desenvolvimento tecnológico amedronta os humanos. Por mais que essa tecnologia seja desenvolvida para ajudar as pessoas, ainda existe receio de que ocorra uma perda de controle. Um dos principais medos do homem é o de que os robôs criem consciência e independência, e acabem nos destruindo.

Publicidade
continue a leitura

Jukebox

No fim de abril, a OpenAI, empresa de desenvolvimento de inteligência artificial, lançou uma rede neural nova chamada Jukebox. Essa rede neural consegue criar mashups e músicas originais no estilo de mais de novo mil bandas e músicos.

A OpenAI chegou até a divulgar uma lista com faixas de amostras, que foram feitas com um algoritmo que transforma música em novos gêneros ou então reinterpreta a música de um artista no estilo musical de outro.

Publicidade
continue a leitura

Poder misturar esses estilos ou até mesmo fazer um novo é uma coisa incrível que essa inteligência artificial pode fazer. E mesmo com as faixas liberadas pela OpenAI as pessoas queriam ver mais do que essa inteligência podia fazer.

Foi pedido então aos músicos e especialistas em ciências da computação que estão por trás do grupo musical DADABOTS, CJ Carr e Zack Zukowski, criar uma faixa nova. O pedido foi para que se ouvisse Frank Sinatra cantando a música "Toxic" de Britney Spears.

Música

Publicidade
continue a leitura

O impressionante é que eles conseguiram entregar esse pedido totalmente louco. E com isso, algumas questões surgem. Como por exemplo de que se um algoritmo pode criar músicas originais no estilo de bandas já existentes como ficam as questões legais e criativas.

Por exemplo, os artistas que a Jukebox teve como referência para suas músicas e estilos poderão reivindicar direitos pelas faixas criadas pela inteligência artificial? Ou seria isso uma nova era da indústria da música?

"Há tanta criatividade para explorar lá", disse Zukowski.

Publicado em: 22/05/20 16h31