Política

Lula protesta por morte de Eloah, aos 5 anos, no Rio: “Muitas vezes é a polícia que atira”

0

Na sua live semanal desta segunda-feira (14/8), o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), concentrou boa parte do seu discurso em condenar o uso de armas e a violência policial, falando do caso da menina Eloah da Silva dos Santos, de apenas 5 anos.

Ela foi atingida por um disparo enquanto brincava dentro de sua residência na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, no último sábado (12/8).

Lula abordou a responsabilidade dos políticos em fornecer segurança e dignidade às famílias brasileiras.

Ele expressou a indignação de uma mãe ao presenciar a morte de uma criança de 5 anos por um tiro perdido. “Qual é o significado de um tiro perdido?”, questionou o líder do Partido dos Trabalhadores.

Via Jornal Toda Palavra

Disparos

Ele prosseguiu, indagando quem efetuou o disparo naquela direção, enfatizando que a bala não simplesmente se extraviou, mas seguiu deliberadamente para atingir alguém, no caso, uma criança indefesa.

Lula também refletiu sobre a crescente incidência de atos violentos e mencionou que, em muitos casos, os próprios policiais estão envolvidos.

As circunstâncias que levaram à morte da menina Eloah ainda estão sendo investigadas, e a origem do tiro que a atingiu permanece desconhecida.

Eloah é a 15ª criança a ser vítima fatal de balas perdidas no Rio de Janeiro nos últimos dois anos, de acordo com um levantamento da ONG Rio de Paz, que rastreia incidentes envolvendo vítimas de até 14 anos.

A tragédia se abateu sobre Eloah enquanto ela estava no interior do seu quarto, vítima de um tiro desferido.

No momento, agentes policiais estavam presentes na área para controlar um protesto liderado por moradores em reação a outra morte, a de um adolescente de 17 anos, ocorrida durante uma operação policial.

Lula salientou que, ao expressar essas preocupações, não está se posicionando contra a instituição policial em si.

Sua visão é a de que os policiais devem ter treinamento correto, com instruções e inteligência para lidar com as situações.

No entanto, ele enfatizou que atirar indiscriminadamente, sem saber aonde as balas irão atingir, é uma conduta inaceitável.

Menina Eloah e outros

As últimas semanas foram tomadas por diversos casos envolvendo a morte de crianças e adolescentes nas operações policiais. A menina Eloah foi apenas uma das vítimas de tiros perdidos vindos de profissionais treinados.

Nos últimos dias, São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro registraram tragédias com inocentes, principalmente crianças.

Por isso, a revolta se apresenta coletivamente, e muitos líderes políticos falam sobre o caso, buscando uma forma de remediar sem comprometer o papel da polícia na segurança nacional.

Essa discussão sobre a postura policial tem gerado opiniões divergentes na sociedade.

Via Metrópoles

Muitos indivíduos argumentam que as forças de segurança são fundamentais para combater o crime e manter a ordem, ressaltando os riscos enfrentados por policiais no cumprimento de seus deveres.

Esses defensores frequentemente apontam a necessidade de dar aos policiais ferramentas corretas para garantir a segurança pública.;

Além disso, argumentam que incidentes lamentáveis são casos únicos que não refletem a conduta da maioria dos agentes.

Por outro lado, críticos enfatizam os trágicos casos de morte de inocentes, como o da menina Eloah, resultantes de ações policiais ou tiros perdidos.

Eles alegam que a abordagem muitas vezes agressiva e a falta de treinamento adequado podem levar a consequências desastrosas para pessoas inocentes.

A falta de prestação de contas em alguns casos também alimenta a desconfiança em relação às autoridades policiais.

Assim, segue o debate sobre o que pode ser feito, e os usuários continuam protestando a perda de vidas inocentes.

 

Fonte: Metrópoles

Imagens: Metrópoles, Jornal Toda Palavra

Criaturas desconhecidas são encontradas em “mundo escondido” no fundo do mar

Artigo anterior

Ex de Larissa Manoela, Thomaz Costa sai em defesa dos pais da atriz

Próximo artigo