Curiosidades

Mulheres iranianas vão à luta por direitos em um país ultrarreligioso

0

Um dos símbolos que logo vem à mente quando pensamos em mulheres muçulmanas é o véu islâmico. Ele é um símbolo tanto cultural quanto religioso e, o que muitos podem não saber, é que ele existe em várias versões que podem ser usadas conforme as mulheres quiserem, exceto em alguns casos, e dependendo do lugar onde a pessoa estiver.

No entanto, como pontuado, existem algumas exceções com relação ao uso do véu islâmico, no caso, o uso indevido dele. E no dia 16 de setembro de 2022, Mahsa Amini, uma jovem curda iraniana, acabou morrendo enquanto estava sob custódia da polícia do país por ter usado de forma inadequada o véu.

Claro que isso incitou uma revolta que logo chamou a atenção do mundo todo e teve apoio de ativistas e líderes mundiais. Como forma de reação, o governo iraniano agiu com brutalidade. Mesmo assim, as mulheres corajosas que gritavam nas ruas “Mulher, Vida, Liberdade” fizeram uma diferença para sempre no país.

Ativismo

Capire

Essas três palavras de ordem foram repetidas em manifestações em todo o mundo e foram vistas em diferentes idiomas em prédios, bandeiras e outdoors. E por mais que isso possa parecer mais uma coisa que será reprimida com violência pela República Islâmica, parece que esse não é o caso

De acordo com uma ativista em Teerã: “As mulheres venceram. A cidade parece diferente. As mulheres andam como querem – sem véus – e sentam-se conversando com seus amigos e familiares do sexo masculino em cafeterias”.

Por mais que o governo ainda queira reprimir as mulheres por não seguirem de forma adequada o código de vestimenta, no Irã, as normas sociais podem mudar. Há quase um ano da morte de Mahsa, é interessante olhar a evolução que o papel da mulher teve no Irã e ver que ainda existe um processo em curso.

Mulheres iranianas

R7

Em 1979, as mulheres iranianas foram atraídas para a Revolução Islâmica com as falsas promessas do Aiatolá Ruhollah Khomeini, que disse: “Na sociedade islâmica, as mulheres serão livres para escolher o seu próprio destino e a sua própria atividade”.

Isso acabou sendo uma mentira. Mas desde então, as mulheres aproveitam todas as oportunidades que tem para fazer pressão para o governo pelos seus direitos. E as ativistas levaram como aprendizado importantes lições em décadas de sensibilização e mobilização.

Em 2009, como uma forma de resposta para o que foi considerada como uma eleição fraudulenta, nasceu o Movimento Verde. Os manifestantes exigiam os direitos democráticos originalmente prometidos em 1979. Tanto homens como mulheres gritavam: “Onde está meu voto?”.

Desde então, coisas importantes têm servido como apoio e encorajamento para quem ainda está no país, como por exemplo, a expansão da tecnologia, uma diáspora bem instruída e conectada, tendo mulheres líderes na ciência, tecnologia, arte e política.

Mesmo tendo sido privadas dos direitos que conheciam e pelos quais lutaram tanto, as mulheres iranianas lutaram e lutam contra um governo medieval e já conseguiram ganhar muito.

Vestimenta

Epoch times

Como dito, Mahsa Amini morreu pelo “crime” de usar o véu de forma inadequada. E depois de sua morte, houve o fim da polícia da moralidade no Irã. Essa polícia prendia mulheres e meninas que estivessem vestidas de maneira imprópria na rua, mas no começo de dezembro foi finalizada.

E para quem não sabe, nem todo véu é igual e existem diferentes tipos e formas de usar. Isso acontece porque o Alcorão, que é o livro sagrado dos muçulmanos, define o véu como um acessório que cobre o cabelo, as orelhas e o pescoço. Justamente por isso que existem vários tipos. Veja quais são os quatro principais.

Hijab

Esse véu cobre somente o cabelo, as orelhas e o pescoço e deixa o rosto à mostra. O hijab pode ser colorido, estampado ou personalizado conforme o gosto de quem o está usando. Além das diferenças do tecido, existem vários jeitos de “amarrá-lo” e alguns deles têm nomes específicos conforme a região onde são mais comuns.

Chador

Ele cobre todo o corpo, não tem mangas e deixa somente o rosto para fora. Mesmo que ele também possa ser colorido ou estampado, normalmente ele é preto. Esse tipo de véu é tradicional do Irã. No entanto, entre 1978 e 1979, por causa da Revolução Islâmica, ele se popularizou em outros países.

Niqab

Esse tipo de véu cobre todo o corpo e o rosto, e deixa apenas os olhos para fora. Em sua maioria ele é todo preto. O que muitos não sabem é que existe um “meio niqab” que deixa um pouco mais do rosto à mostra. Usar o niqab é lei no Irã e na Arábia Saudita.

Burqa

A burqa é um dos tipos de véu mais conhecidos. Ele tampa até mesmo os olhos de quem a usa. Geralmente, ela é usada em uma única cor, seja preto, ou em tons de azul. Seu uso é obrigatório em lugares ocupados pelo Talibã, como regiões do Afeganistão e Pasquistão.

Fonte: CNN, Galileu

Imagens: Capire, R7, Epoch times

Após apresentação do iPhone 15, Apple derruba preços dos iPhones 13 e 14 em até 25% no Brasil

Previous article

Manter o roteador longe destes 7 objetos vai melhorar seu Wi-Fi

Next article

Comments

Comments are closed.