Dinossauros são um grupo de diversos animais, membros do clado dinosauria. As suposições são de que eles apareceram na Terra, há pelo menos 223 milhões de anos e foram os dominantes do planeta, por mais de 167 milhões de anos, em toda a era dos dinossauros.

Todos temos o conceito de dinossauro bem fixado na cabeça, seja por programas infantis ou pelos filmes de ficção científica, como Jurassic Park. O fascínio por essas criaturas e a vontade de vê-las vivas não diminuiu com o passar do tempo.

A maioria das pessoas associa os dinossauros com animais bem grandes. Há cem milhões de anos, na metade da era mesozóica, nosso planeta era o lar de vários tipos de dinossauros. Sejam eles grandes ou tão pequenos, quanto um beija-flor.

E os paleontólogos acharam o menor dinossauro do período mesozoico. Surpreendentemente, ele era menor do que o menor pássaro vivo que temos hoje em dia, o beija-flor.

Esse achado foi em um pedaço de âmbar de 99 milhões ao norte de Mianmar. O crânio do dinossauro tem apenas 7,1 milímetros de comprimento.

"Quando vi esse espécime pela primeira vez, fiquei completamente impressionado. Para um paleontologista, é estranho. Nunca vimos nada parecido", disse Jingmai O'Connor, em um vídeo do YouTube, sobre a pesquisa.

Publicidade
continue a leitura

Dinossauro

O dinossauro foi chamado de "Oculudentavis khaungraae", que quer dizer olho dente de pássaro. O nome é confuso para ir de encontro com a aparência do animal.

As mandíbulas do dinossauro são alinhadas com seus dentes pequenos e pontudos. E por causa da forma das cavidades, é de se pensar que os olhos desse dinossauro se destacariam e fariam um contraste grande como seu corpo minúsculo.

Ele parece estranho e não muito com um pássaro e nem com um dinossauro. Mas algumas pistas podem dizer um pouco como era o estilo de vida desse pequeno dinossauro.

Os dentes desse animal eram uma dádiva morta. E as aberturas em suas órbitas oculares em bem estreitas. Isso quer dizer que a luz era restrita e que ele tinha que fazer suas atividades durante o dia. Além disso, o surpreendente era que mesmo que o animal fosse pequeno, seus ossos eram robustos e fortes.

Publicidade
continue a leitura

"Para nós, o crânio é muito fundido, o fato de ter muitos dentes, o fato de ter essas órbitas realmente grandes, tudo sugere que, apesar de seu tamanho minúsculo, era um predador e provavelmente estava se alimentando de pequenos insetos", explica O'Connor.

Ao que tudo indica, esse dinossauro tinha sua própria categoria e não se relacionava com os atuais beija-flores. Isso porque os pássaros se alimentam de néctar e não tem dentes.

Tamanho

O Oculudentavis pesava aproximadamente dois gramas e tinha um sexto do tamanho, da menor ave fossilizada conhecida.

"Isso indica que, logo após suas origens, no final do período jurássico (que durou de 201 a 145 milhões de anos atrás), as aves já haviam atingido seu tamanho mínimo de corpo. Por outro lado, os menores dinossauros pesavam centenas de vezes mais", Roger Benson, paleobiologista da Universidade de Oxford, mas que não participou da pesquisa.

Publicidade
continue a leitura

Esse achado pode ser um dos animais, que estão no trampolim entre os dinossauros e pássaros. Mas o lugar, em que ele se encaixa, ainda não está claro.

O animal pode ser de uma  linhagem de pássaros, mas também, segundo Benson, poderia muito bem ser da linhagem dos dinossauros.

Ficar preso em âmbar é uma das únicas formas de os organismos minúsculos serem preservados como fósseis. Em outros sedimentos, os tecidos moles e esqueletos frágeis não são preservados. Estudar o âmbar é um ótimo lugar para começar.

"Mesmo em outros lugares, onde você tem uma preservação excepcional, pequenas coisas podem ter existido, mas não temos nenhuma evidência disso. Portanto, se não fosse o âmbar, não saberíamos nada sobre essa fauna minúscula. E é simplesmente incrível, descobrir esse novo nicho ecológico, que nem sabíamos que existia", concluiu O'Connor.

Publicado em: 12/03/20 19h15