Natureza

O prédio que é ‘enfeitado’ pelas maritacas em plena selva de pedras

0

Um edifício localizado no bairro de Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo, tem sido palco de um fenômeno peculiar envolvendo um grupo de maritacas.

Essas aves animadas têm sido habitantes regulares da fachada do prédio por mais de duas décadas.

Cheias de entusiasmo, elas promovem sua festa diária, que dura pelo menos uma hora, no início da manhã e no final da tarde.

Para os moradores do edifício, a presença constante das maritacas se tornou uma parte integrante de suas rotinas diárias, às vezes até motivo de piada, e a imprensa local apelidou carinhosamente o local de “prédio das maritacas”.

Especialistas têm opiniões divergentes sobre esse fenômeno intrigante. Alguns biólogos acreditam que tanto as maritacas da espécie periquitão-maracanã (Psittacara leucophthalmus) quanto outras aves na cidade podem estar enfrentando escassez de áreas verdes, e o edifício pode ter se tornado um ponto de repouso conveniente para elas.

Por outro lado, outros especialistas argumentam que o barro presente na estrutura do edifício faz parte da dieta dessa espécie tagarela, uma prática conhecida como geofagia.

A ingestão de substâncias terrestres é frequentemente associada à intenção de suprir deficiências nutricionais, fornecendo nutrientes essenciais, como sais minerais, e auxiliando na redução de compostos tóxicos provenientes das plantas que as maritacas consomem.

Assim, seja qual for a teoria, as maritacas dominam esse e outros prédios, fazendo dele o seu lar diário.

Via Hypeness

O que são as maritacas?

As aves que chamamos de “maritacas” são, na verdade, membros de diversas espécies de papagaios de pequeno a médio porte, conhecidos cientificamente como Psittacara leucophthalmus.

Elas são conhecidas por suas vocalizações altas e distintas, além de sua coloração vibrante e seu comportamento sociável.

Maritacas geralmente têm uma aparência bastante característica. Elas são aves de tamanho médio, com um comprimento que varia de 30 a 35 centímetros.

Suas penas costumam ser predominantemente verdes, com destaque para a cabeça, que pode ter penas de cores mais vivas, como vermelho, azul ou amarelo.

Algumas espécies de maritacas podem ter variações na coloração, mas o verde é predominante.

Assim como outros papagaios, as maritacas têm bicos fortes, curvos e afiados que são bem adaptados para quebrar sementes e frutas, que compõem grande parte de sua dieta.

Vocalização

Vocalizações Altas: uma das características mais distintas das maritacas é o seu chamado alto e característico.

Elas são conhecidas por suas vocalizações estridentes, que incluem gralhados, guinchos e assobios.

Essas vocalizações são uma forma importante de comunicação entre os membros do grupo e são frequentemente usadas para marcar território ou alertar para perigos.

No entanto, maritacas são aves extremamente sociais e geralmente estão em grupos, chamados bandos. Esses bandos podem variar de tamanho, desde alguns indivíduos até grupos maiores.

A sociabilidade das maritacas é uma característica importante de seu comportamento, permitindo-lhes caçar alimentos e se proteger de predadores de forma mais eficaz.

Vale reforçar que, assim como outros papagaios, as maritacas são conhecidas por sua inteligência e capacidade de aprender truques e palavras.

Elas têm cérebros altamente desenvolvidos e podem treinar para realizar uma variedade de tarefas.

Via Estado de Minas

Presença urbana

A presença de maritacas em prédios urbanos não é necessariamente perigosa, mas pode criar algumas situações que requerem atenção e gestão adequada, tanto para o bem-estar das aves quanto para o das pessoas que vivem ou trabalham nos edifícios.

Afinal, elas podem causar danos aos edifícios, especialmente se eles decidirem nidificar ou roer materiais de construção.

Se as maritacas encontrarem fendas ou buracos nas estruturas, podem usar esses locais para construir seus ninhos, o que pode causar danos adicionais.

E, claro, a vocalização alta das maritacas pode ser algo perturbador para algumas pessoas que vivem ou trabalham nos edifícios onde essas aves estão presentes.

Além disso, a presença de maritacas pode criar preocupações em relação à saúde pública, especialmente se seus dejetos se acumularem em áreas onde as pessoas transitam.

Os cocôs de aves podem conter bactérias e fungos que podem ser prejudiciais à saúde humana.

Para gerenciar a presença de maritacas em edifícios de forma segura e ética, recomenda-se não perturbar os ninhos, mesmo nos edifícios mais baixos. Além disso, o proprietário pode tomar medidas preventivas, como fechar buracos nas estruturas.

Dessa forma, deve-se realizar a manutenção correta da área a fim de permitir a coexistência pacífica com as maritacas, essas aves animadas e barulhentas.

 

Fonte: Hypeness, Wikiaves

Imagens: Hypeness, Estado de Minas

Após 20 anos, pai de Liana Friedenbach declara: ‘Champinha já pagou o que devia’

Previous article

Microplásticos no cérebro podem mudar nosso comportamento, sugere estudo

Next article

Comments

Comments are closed.