Natureza

Os humanos poderiam viver 200 anos se não fossem os dinossauros

0

Se você gostaria de viver 200 anos e não pode, por conta do nosso sistema biológico, saiba que você pode culpar os dinossauros.

Uma teoria intrigante propõe que a longevidade humana pode ter sido prejudicada pela dominância dos dinossauros ao longo de milhões de anos na Terra.

João Pedro de Magalhães, professor de biogerontologia molecular na Universidade de Birmingham, no Reino Unido, sugere que, sem a influência dos dinossauros, os seres humanos poderiam desfrutar de uma vida com possível extensão até os 200 anos.

Além disso, essa vivência sequer teria aqueles marcadores óbvios de envelhecimento.

Essa hipótese, apresentada em um estudo na revista científica BioEssays, explora a ideia de um “gargalo da longevidade” vinculado à relação entre a existência dos dinossauros e o envelhecimento dos mamíferos.

Envelhecimento humano

Via Freepik

No cenário atual, a maioria dos répteis e anfíbios não manifesta sinais notáveis de senescência ou envelhecimento biológico, ao contrário dos mamíferos, incluindo os humanos, que exibem indicadores evidentes de declínio com o avanço da idade.

O professor Magalhães busca explicar essa disparidade ao recorrer à Era Mesozoica, durante o reinado dos dinossauros.

Nesse período, os mamíferos enfrentaram uma pressão constante para se reproduzirem rapidamente, dada a ameaça iminente dos ferozes dinossauros.

Ao longo de aproximadamente 100 milhões de anos, durante vidas potencialmente mais curtas, os primeiros mamíferos perderam genes associados à longevidade ou tiveram esses genes desativados.

O pesquisador destaca que esse extenso período de pressão evolutiva pode influenciar o processo de envelhecimento humano hoje.

Na prática, é como se estivéssemos vivenciando os reflexos da época em que éramos parte de um grupo situado na base da cadeia alimentar.

Gargalo da longevidade

A ‘hipótese do gargalo da longevidade’ lança luz sobre as forças evolutivas que moldaram a forma como os mamíferos envelheceram ao longo de milhões de anos, explica Magalhães.

Além disso, ele explica que, apesar de termos uma diversidade impressionante de mamíferos hoje, incluindo humanos, baleias e elefantes, que crescem e vivem por longos períodos, enfrentamos inúmeros problemas genéticos herdados da Era Mesozoica.

Dessa forma, resulta em um envelhecimento surpreendentemente mais rápido do que muitos répteis.

Por outro lado, o professor aponta que alguns répteis e outros animais experimentam um processo de envelhecimento notavelmente mais lento, exibindo sinais mínimos de senescência ao longo de suas vidas.

Inclusive, na natureza, encontramos exemplos de regeneração em algumas espécies de animais, como as salamandras.

No entanto, tais habilidades não eram prioritárias para os primeiros grupos de mamíferos, que estavam mais focados em escapar de predadores, como o Tiranossauro rex.

Dessa forma, procuraram replicar a reprodução em vez dos processos regenerativos, resultando em vidas potencialmente mais curtas.

Via PxHere

Algum dia poderemos viver 200 anos?

É difícil falar sobre viver 200 anos, principalmente porque essa média variou muito ao longo dos anos.

Segundo essa teoria que culpa os dinossauros, não poderíamos alcançar essa marca, especialmente sem traços notáveis de idade, visto que é evolutivo e nossos genes já não atendem a isso.

Dessa forma, seria necessário passar por novos processos de seleção e perpetuar essa característica por milhões de anos.

Por outro lado, os avanços da medicina e da qualidade de vida permitem que cada vez mais pessoas consigam ter uma alta longevidade.

Com remédios, procedimentos estéticos e controle de saúde, a média humana aumentou, e muito, em comparação aos séculos anteriores.

No entanto, viver 200 anos ainda parece improvável, mesmo com tanta tecnologia. Sem um corpo adaptado para isso, não teríamos como chegar nessa marca funcionalmente. Ou seja, com um sistema biológico intacto e que permita usufruir dessa vivência.

Agora, resta culpar os dinossauros e cuidar da saúde para viver até a marca que for possível!

 

Fonte: Terra

Imagens: PxHere, Freepik

“Não vale o risco”: pai de Elon Musk não aceita andar em Tesla nem de graça e pede presente de outra marca

Previous article

Rover chinês encontrou formas poligonais enterradas em Marte

Next article

Comments

Comments are closed.