Notícias

Pescadora mirim pesca peixe de R$410 mil, mas é obrigada a devolvê-lo

0

A pequena Izzy Crotty, de apenas 9 anos de idade, foi acompanhar seu pai durante uma pescaria em Plymouth, Devon, no Reino Unido. Mesmo sendo apenas a segunda vez que ela participou da atividade, a pescadora mirim conseguiu pescar um peixe avaliado em R$410 mil. 

De acordo com o tabloide britânico Daily Star, Crotty ficou aproximadamente  meia hora tentando lutar contra um atum azul. No final, ela conseguiu pescar o peixe que pesa aproximadamente 180 quilos, praticamente seis vezes o peso da jovem, que pesa 31 kg.

Apesar da aventura para conseguir pegar o peixe, Izzy teve que devolver o pescado ao mar, visto que a legislação do país não permite que o animal seja capturado entre agosto e novembro, com exceção apenas para fins científicos.

“Foi apenas o segundo passeio de Izzy e este já foi o primeiro peixe dela”, descreveu seu pai, John Crotty, em suas redes sociais. “Era ainda mais pesado que eu e tenho 1,80 m de altura!”.

A fonte ainda contou que o atum azul é uma espécie bastante apreciada em várias regiões do mundo, podendo ser vendido a preços altíssimos. No ano de  2020, por exemplo, um atum de 276 quilos foi comprado em um leilão no Japão por mais de 1,8 milhão de dólares.

Tubarão inusitado que vem das profundezas pescado na Austrália

Foto: Reprodução/ Redes Sociais/ Um Só Planeta

Recentemente, na Austrália, um pescador ficou bastante surpreso quando trouxe para o barco um tubarão das profundezas com olhos bem diferentes e um sorriso “quase humano”.

A imagem do animal foi compartilhada nas redes sociais e trouxe à tona diversas teorias sobre que tipo de tubarão seria. Nos comentários, algumas pessoas apontaram que o animal era um tubarão goblin, também conhecido como “cortador de biscoitos”. No entanto, a criatura ainda não foi oficialmente identificada.

O tubarão tinha a pele áspera e possuía uma boca pequena, com pequenos dentes afiados que revestiam a parte superior e inferior. 

De acordo com o Daily Mail, Trapnman Bermagui, o pescador que fisgou o animal, disse que o tubarão estava em uma profundidade de cerca de 600 metros abaixo da superfície, na costa do estado de New South Wales.

Para o pescador, o animal é um tubarão gulper, que habita o Oceano Índico, Oceano Atlântico e partes do Pacífico.

No entanto, Dean Grubbs, diretor associado de pesquisa do Laboratório Costeiro e Marinho da Universidade Estadual da Flórida, afirmou à Newsweek que a espécie parece ser um Centroscymnus owstoni.

“Na minha pesquisa em alto mar, pegamos alguns deles no Golfo do México e nas Bahamas. Eles estão na família Somniosidae, os Sleeper Sharks, a mesma família do tubarão da Groenlândia, mas obviamente uma espécie muito menor”, disse.

Christopher Lowe, professor e diretor do Laboratório de Tubarões da Universidade Estadual da Califórnia em Long Beach, tem uma outra opinião. “Parece-me um tubarão-pipa de águas profundas, que são conhecidos nas águas da Austrália”.

Pescadores das colônias de São Gonçalo e Magé recolhem mais de 300 toneladas de lixo em 8 meses

Foto: Divulgação/ Veja

Já no Rio de Janeiro, em oito meses, um grupo de pescadores retirou 309 toneladas e 470 quilos de lixo das colônias Z-8, em São Gonçalo, e Z-9, Magé.  A ação faz parte do Projeto “Águas da Guanabara”.

Atualmente, 150 pescadores fazem parte do projeto da Federação Estadual dos Pescadores do Rio de Janeiro (FEPERJ), que começou em janeiro deste ano.

De acordo com informações do EXTRA, em Magé, na Baixada Fluminense, no canal de Magé, nos rios Suruí e Estrela, foram recolhidas 250 toneladas de lixo. Já em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, foram retiradas 58 toneladas de lixo flutuante e demais resíduos sólidos nos rios Embaço, Pomba, Marimbado, entre outros.

Fonte: Aventuras na História, Um Só Planeta, EXTRA

Enterro de bebê de 10 mil anos revela ritual funerário curioso

Artigo anterior

Ministério da Justiça da Itália envia pedido de extradição de Robinho depois de condenação por violência sexual

Próximo artigo