Nesta segunda-feira (19/10), foi registrado primeiro caso confirmado de gato com Covid-19 no Brasil. Assim, o primeiro animal de estimação a contrair a doença foi descoberto na cidade de Cuiabá, no Mato Grosso. Dessa forma, a gatinha, de apenas alguns meses, não apresenta sintomas do novo coronavírus e a doença foi adquiria através de seus donos.

De acordo com especialistas envolvidos no caso, é possível que outro gato e um cachorro da família também tenham sido infectados. Desse modo, o caso faz com que lembremos de que também é importante cuidar dos animaizinhos nesse período. De toda maneira, a infecção entre animais e de animais para humanos continua sendo estudada. Isso porque, ainda não se sabe ao certo como o vírus atinge animais domésticos. Por ora, apenas existem hipóteses que ainda não foram comprovadas cientificamente.

O que sabemos sobre a ação do novo coronavírus em animais domésticos?

Publicidade
continue a leitura

Atualmente, o caso do gato com Covid-19 está investigado pela Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), uma vez que a informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde da capital. Com esse cenário, o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) reforçou a importância de que, caso uma pessoa seja diagnosticada com Covid-19, ela também deve se manter isolada de seus animais de estimação. Com isso, Moema Blatt, gestora do Cievs, lembrou que já confirmado que gatos podem manifestar a Covid-19, ainda que eles sejam praticamente assintomáticos. Dessa forma, ainda que saibamos pouco, o que realmente sabemos sobre a infecção em animais domésticos?

Em um estudo feito em laboratório na China, foi descoberto que gatos podem transmitir a doença para outros felinos. Contudo, ainda não se sabe o nível de contágio ou se há a possibilidade de gatos transmitirem a infecção para humano. Até o momento, as hipóteses apontam que isso não é possível. Porém, ainda não podemos afirmar com certeza.

Publicidade
continue a leitura

Em maio, foi confirmado que a infecção pode afetar gatos

Desde os primeiros meses da pandemia, a contaminação de gatos tem sido cada vez mais frequente. Dessa forma, no mês de abril, dois gatos testaram positivo para Covid-19 nos Estados Unidos. E claro, os casos não pararam por aí. Casos semelhantes foram encontrados na Bélgica e em Hong Kong, onde cachorros também foram afetados. Em Nova York, um tigre de zoológico também foi diagnosticado com a doença e teria contraído de um funcionário. Mas, essa é a primeira vez que um gato com Covid-19 é encontrado em território nacional.

Publicidade
continue a leitura

Em maio deste ano, um estudo publicado na New England Journal of Medicine confirmou que a suspeita de que o coronavírus pode infectar gatos. Dito isso, esse foi o ponto de partida para a investigação da contaminação em outros animais. Para Peter Halfmann, que ajudou na pesquisa, é preciso ter "uma coisa em mente": "Se eles estão em quarentena em casa e preocupados em passar a Covid-19 para filhos e cônjuges, eles também devem se preocupar em resguardar seus animais", afirma o pesquisador.

Em todo caso, "não há justificativa para tomar medidas contra animais", afirma Yoshihiro Kawaoka, o líder do estudo e professor da Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Wisconsin (EUA). Além disso, "os resultados sugerem que os gatos correm o risco de serem infectados pelo vírus quando expostos a pessoas ou outros gatos positivos para SARS-CoV-2", conclui o estudo. Logo, devemos cuidar dos animais, mas o principal cuidado deve estar no contato com outros humanos, que são os principais transmissores da doença.

Publicado em: 20/10/20 14h33