icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


Coreia do Norte registra 'primeiro caso suspeito' de infecção por novo coronavírus

POR Erik Ely EM Curiosidades 26/07/20 às 19h23

capa do post Coreia do Norte registra

Neste domingo (26/07), o Líder Supremo da Coreia do Norte, Kim Jong Un, declarou emergência e também anunciou medidas que bloqueiam as fronteiras do país. Isso porque, segundo a mídia estatal, o país teria o "primeiro caso suspeito" de Covid-19. Assim, esse "suspeito" teria saído da Coreia do Sul e entrado na Coreia do Norte de forma ilegal. Ainda não é possível afirmar com certeza, mas, se confirmado, este seria o primeiro caso de Covid-19 a ser reconhecido pelas autoridades do país.

De acordo com Kim Jong Un, esta é uma "situação perigosa". Nesse sentido, esse momento "poderia levar a uma catástrofe mortal e destrutiva", afirmou o líder norte-coreano a KCNA, a agência oficial de notícias do país.

Todas as fronteiras do país estão fechadas

Segundo a KCNA, há três anos, a pessoa que agora está possivelmente infectada com o novo coronavírus teria fugido do país. Em seguida, teria passado a viver na Coreia do Sul. Contudo, ela "voltou em 19 de julho depois de ter cruzado ilegalmente a linha de demarcação", afirma a KCNA. Essa linha de demarcação se trata da fronteira com a Coreia do Sul, país vizinho da Coreia do Norte.

Ainda segundo a agência oficial de notícias, essa pessoa foi descrita como "um fugitivo que foi para o sul há três anos". Desse modo, após ser encontrada na cidade de Kaesong, na fronteira com a Coreia do Sul, ela foi colocada em quarentena. Inicialmente, essa pessoa "foi inicialmente submetida a uma quarentena rigorosa", afirma a KCNA. Além disso, "todas as pessoas que estiveram em contato com ela e as que estiveram nesta cidade nos últimos cinco dias estão sendo investigadas minuciosamente", completou. Para se ter uma ideia, toda a cidade de Kaesong permanecerá em confinamento total.

Segundo Kim Jong-un, "parece que o vírus entrou no país"

Em uma reunião de emergência, Kim Jong-un afirmou que adotaria um "sistema de emergência máximo". Sendo assim, mesmo com medidas rígidas de quarentena, "parece que o vírus entrou no país", disse Kim Jong-un, segundo a KCNA.

Ainda não sabemos se o "fugitivo" foi testado. No entanto, a agência afirmou que "um resultado incerto foi obtido". Dessa forma, esse "teste" teria sido feito "a partir de vários exames médicos da secreção do órgão respiratório superior e do sangue dessa pessoa", completou. E por conta do nível de restrição do país, o paciente foi logo colocado em isolamento.

Sem maiores detalhes de como essa pessoa teria sido encontrado, tudo que sabemos é que o caso permanece em investigação. Afinal, ela teria atravessado uma das fronteiras mais bem guardadas do mundo. Por isso, segundo a KCNA, ela deve enfrentar "punições severas".

De acordo com especialistas sobre o país, esse anúncio pode ser mais importante do que parece. Isso porque, tudo poderia ter sido feito por baixo dos panos. Mas, ao invés disso, o caso foi anunciado. Desse modo, é possível que o país esteja, de certa forma, pedindo por ajuda. "É um momento de quebra de gelo para a Coréia do Norte admitir um caso", afirma Choo Jae-woo, da Universidade Kyung Hee. "Pode ser pedir ajuda ao mundo. Talvez ajuda humanitária", completa.


Próxima Matéria
Via   CNN Brasil     G1  
avatar Erik Ely
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest