Curiosidades

Procon lista quase 80 sites para não comprar na Black Friday: veja a lista

0

A Black Friday 2023 chegou, e o Procon-SP já divulgou uma lista com alguns sites que podem ser fraude nesse evento de vendas.

O alerta indica quase 80 sites que é melhor evitar. Os consumidores apresentaram várias queixas sobre essas lojas virtuais, sem receber qualquer resposta em troca.

Desde 2018, a entidade de defesa do consumidor compila esses endereços, fornecendo não apenas os links, mas também os CNPJs e os nomes dos responsáveis pelas empresas.

Apesar de o levantamento abranger alguns anos, muitos dos sites já não estão mais ativos. Contudo, três empresas suspeitas ainda estão online, oferecendo produtos em promoção para a Black Friday.

No site do Procon-SP, você pode conferir a lista completa de empresas que merecem cautela. Abaixo estão os sites suspeitos que ainda estão ativos:

  1. https://www.bmjbaby.com.br
  2. https://www.gelniche.com.br
  3. https://tiggoshop.com.br

Na lista completa, você confere todos os portais que estão no ar e podem apresentar risco de fraude nas suas compras.

Por isso, é melhor evitar, e focar suas negociações em sites confiáveis, de marcas já conhecidas e grandes no mercado. Dessa forma, evita dor de cabeça de pagar e não receber seu produto.

Via Freepik

Recomendações do Procon-SP

Considerado um dos momentos mais importantes do comércio nacional, o período da Black Friday (23 e 24 de novembro) está previsto para movimentar mais de R$ 5 bilhões, segundo a Neotrust, uma empresa de análise de comércio eletrônico.

Diante desse cenário, o Procon-SP está intensificando sua fiscalização sobre os estabelecimentos online. Além disso, a entidade oferece algumas diretrizes para evitar que as pessoas se tornem vítimas de fraudes.

Por isso, existem várias dicas que a instituição divulga a fim de impedir que os compradores caiam em golpes ou sofram fraudes financeiras nessa sexta-feira.

Se previna

Para começar, lembre-se de que o Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/1990) é igualmente aplicável durante a Black Friday.

Assim, esteja ciente de seus direitos e proteções legais, para saber como lutar por eles e solicitar o cumprimento das ofertas de maneira correta. O Procon-SP e todas as instituições dos outros estados atuam para isso, mas é importante que o cliente saiba se prevenir.

Além disso, durante as promoções, examine cuidadosamente as condições de pagamento oferecidas, as taxas de juros aplicadas e os prazos estipulados para quitação. Evite surpresas desagradáveis verificando todos os detalhes financeiros.

Antes de realizar uma compra, verifique se o perfil ou o site do fornecedor possui histórico de reclamações. A ausência de comentários pode ser um sinal de alerta, portanto, desconfie e faça uma pesquisa mais aprofundada.

Desconfie

Via Freepik

Além disso, fique atento a ofertas excessivamente tentadoras. Preços significativamente baixos podem ser uma jogada para atrair consumidores desavisados. Avalie se a oferta é realista e condizente com o mercado.

Por isso, muitos indicam comparar os preços com outros sites antes de fechar negócio, vendo se condiz com a média dos últimos meses. Promoções muito atraentes quase sempre se convertem em fraudes, especialmente em sites menores.

Na dúvida, opte por fornecedores que forneçam informações claras, como canais de atendimento, CNPJ e endereço físico.

A transparência é um indicativo de confiança e comprometimento com a satisfação do cliente. Claro, muitos portais enganam o cliente com nomes e endereços falsos. No entanto, confirme há quanto tempo a empresa existe e veja se ela tem avaliações positivas.

Também evite clicar em links recebidos por e-mail, WhatsApp ou mensagens sem antes verificar sua autenticidade no canal oficial do fornecedor.

Golpes online muitas vezes se disfarçam em links suspeitos, portanto, confirme sempre a fonte antes de prosseguir.

Com essas dicas e conferindo os sites mais populares de fraude, você conseguirá aproveitar a Black Friday da melhor forma possível.

 

Fonte: Tecmundo

Imagens: Freepik, Freepik

China prepara expansão e mudança no formato da sua estação espacial

Artigo anterior

TV, Celular, fralda, cerveja e pneu: o que os brasileiros buscam na Black Friday

Próximo artigo