icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Esse recurso para celular é quase tão efetivo quanto um bafômetro

POR Erik Ely EM Ciência e Tecnologia 24/09/20 às 00h05

capa do post Esse recurso para celular é quase tão efetivo quanto um bafômetro

Há quem diga que é mais forte para a bebida e, por isso, pode dirigir embriagado. No entanto, as leis de trânsito são severas e o nível do álcool no sangue é o mesmo para todos. Dito isso, não é tão simples saber o quanto está alcoolizado até que seja tarde demais. Isso porque, quase possui um bafômetro em casa e os modelos descartáveis são tão acessíveis. Contudo, em breve isso pode mudar, uma vez que esse recurso para celular tem se mostrado quase tão efetivo quanto um bafômetro convenciona.

De acordo com pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, na Pensilvânia, é possível detectar com 93% de precisão se uma pessoa está embrigada apenas pelo seu modo de andar. Assim, fora do laboratório, a ideia é que essa medição seja feita por meio do acelerômetro de seu smartphone, o que torna tudo mais acessível e simples.

Mas como funciona a medição pelo celular?

No celular, o acelerômetro é responsável por detectar as movimentações do aparelho. Por exemplo, quando você muda da vertical para a horizontal, o celular reconhece o movimento e muda a orientação do que está sendo exibido. Em outros casos, o recurso pode usado medir passos de uma caminhada ou exercícios feitos em casa. Assim, nesse caso, a medição do nível de álcool funciona de maneira semelhante.

Antes de medir como você se comporta sobre o efeito do álcool, é necessário medir como você se comporta sóbrio. Para isso, é necessário treinar o recurso e isso foi feito nos testes. Dito isso, o celular foi amarrado em um smartphone nas costas dos participantes. Em seguida, ele caminhou seguindo algumas sequências pré-definidas pelo app. São 10 passos para frente e mais 10 passos para trás. O mesmo foi feito com os demais participantes do estudo.

Depois de testado em um estado de sobriedade, o participante devia fazer o mesmo teste, mas, dessa vez, com a ingestão de álcool. Na pesquisa, os voluntários ingeriram suco de limão com bastante vodka. Por aqui, essa bebida tradicionalmente brasileira é conhecida como caipirosca. Dessa forma, em até uma hora, todos os participantes beberam do drink, o que significa uma quantia considerável de álcool no corpo.

Testes com os participantes sóbrios e alcoolizados

No teste, a quantia foi escolhida para que o avançado do álcool também fosse medido. "Então, se você estiver dando a eles uma dose mais baixa, poderá obter apenas um ou dois pontos de tempo antes que o corpo metabolize o álcool", afirma Brian Suffoletto, da Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh e um dos autores do estudo.

Com o resultado disso, variações no padrão de cada um foram notadas. "Descobrimos que, realmente, o que movia o modelo é o balanço médio-lateral", afirma Suffoletto. Ou seja, ainda que não seja visual, o balanço pode ser facilmente notado se colocado em números. "O que faz sentido quando você pensa sobre a caricatura do personagem de desenho animado bêbado, uma figura que está balançando para frente e para trás", completa.

Ainda que, em estágios iniciais, os próximos passos da pesquisa buscam aperfeiçoar o recurso para ser um usado com os celulares na mão. Em um cenário mais otimista, o aplicativo também poderá ser um aliado do bafômetro. Assim, se atuará como uma medição a mais do que o hálito pode medir.


Próxima Matéria
Via   Canatech  
avatar Erik Ely
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest