• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

A relação entre humanos e cães existe a muito mais tempo do que você imaginava

POR Jesus Galvão    EM Natureza      04/05/18 às 19h18

.geegeeAtravés de análises de datação por radiocarbono dos fósseis de três cães descobertos em Illinois, nos EUA, foi possível detectar que os cães viveram há cerca 10 mil anos. Dessa forma, eles se tornaram os mais antigos caninos domésticos conhecidos das Américas. Eles estariam em nossa companhia cerca de 1,5 mil anos a mais do que se imaginava anteriormente.

Ao menos foi o que informou a arqueozoologista britânica da Universidade de Durham, na Inglaterra, Angela Perri, durante uma conferência anual da Sociedade Americana de Arqueologia em 13 de abril deste ano. A evidência anterior, e até recentemente a mais antiga, foi baseada em uma análise de carbono de uma madeira queimada encontrada no local onde teria sido enterrado os restos mortais de cães que serviram de alimentos aos humanos. Isso há cerca de 9,3 mil anos no Texas.

As evidências

Pela ausência de incisões, que provavelmente seriam feitas por ferramentas de pedras, os pesquisadores acreditam que os cães tenham morrido por causas naturais antes de serem enterrados. E o enterro deles em sepulturas próprias indicam que eles eram animais considerados de alta estima pelos povos antigos.

Para alguns pesquisadores as primeiras pessoas que chegaram nas Américas tenham sido puxados por cães em trenós. Eles teriam chegado na América do Sul há 15 mil anos. No entanto, não é possível afirmar se eles chegaram por rotas costeiras ou terrestres. Nenhum cão foi encontrado, até hoje, na parte noroeste da América do Norte, onde os primeiros colonos atravessavam por uma ponte de terra da Ásia para o Novo Mundo.

O que leva os historiadores a crerem que essas pessoas ou não possuíam cães, ou teriam sido impedidos de atravessarem devido a duas placas de gelo gigantes, o que fez com que eles se mudassem para o interior, acompanhados de seus companheiros peludos há 10 mil anos. "Por mais que queiramos acreditar que os cães inicialmente nos puxaram para o Novo Mundo, isso pode não ter sido o caso", disse Perri.

No entanto, evidências genéticas sugerem que uma segunda migração humana ocorreu há cerca de 11,5 mil anos e que essas pessoas, provavelmente, trouxeram cães para as Américas. Perri e seus colegas estudaram os fósseis dos cães encontrados em Illinois e perceberam que as mandíbulas e os dentes inferiores de dois deles mostravam semelhanças com os lobos modernos.

O outro cão compartilhava traços com os coiotes de hoje em dia, refletindo, possivelmente, cruzamentos antigos. Os dois primeiros animais analisados compartilhavam um ancestral genético em comum, afirmou o biólogo celular Kelsey Witt Dillon, da Universidade da Califórnia. Esse ancestral teria origem há cerca de 15 mil anos.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria
Via    
Imagens The Odissey
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+