Saúde

Remédios para diabetes podem ajudar a conter vício em álcool

0

Pesquisas indicam que remédios para diabetes podem auxiliar no vício em álcool. Anteriormente, estudos avaliavam se a semaglutida pode ser benéfica no tratamento do alcoolismo. Agora, uma nova análise divulgada na Scientific Reports reforça a sugestão de que medicamentos para diabetes tipo 2, como a semaglutida e a tirzepatida, podem diminuir o desejo por álcool.

Os cientistas do Fralin Biomedical Research Institute uniram dois estudos distintos para avaliar a eficácia desses medicamentos na redução do consumo de álcool.

Ao examinar conversas relacionadas ao álcool, os pesquisadores observaram que 962 indivíduos compartilharam 1.580 postagens sobre o tema, sendo que 71,7% delas abordavam efeitos negativos associados ao consumo de álcool.

Num segundo estudo, 153 participantes autodeclarados com obesidade foram recrutados por meio de diversas plataformas de redes sociais.

Esses indivíduos foram distribuídos em três grupos: o grupo de controle, o grupo que utilizava semaglutida e o grupo que fazia uso de tirzepatida.

Os participantes que receberam semaglutida ou tirzepatida relataram um consumo significativamente menor de bebidas, em média, em comparação com aqueles do grupo de controle, que não utilizava remédios para diabetes ou perda de peso.

Os pesquisadores observaram uma redução significativa tanto no número médio de bebidas quanto nas chances de consumo excessivo de álcool.

Via Freepik

Menos intoxicação por álcool

O estudo também evidenciou que os efeitos estimulantes e sedativos da intoxicação alcoólica aumentam em pacientes que ingeriram semaglutida e tirzepatida.

Conforme relatado pelos autores, os participantes manifestaram uma redução no consumo de álcool, experimentaram menos efeitos adversos dessa substância e diminuíram as chances de consumo excessivo.

Diante dessas descobertas, os autores destacam a importância de realizar mais ensaios clínicos randomizados para explorar o potencial terapêutico desses medicamentos no tratamento do transtorno por uso de álcool.

Recentemente, observamos que a terapia genética pode surgir como uma nova ferramenta no combate ao alcoolismo: a liberação da proteína fator neurotrófico demonstrou potencial para impedir o retorno ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Outras recomendações

Enquanto os remédios para diabetes não são liberados para tratamento do vício em álcool, existem outras recomendações oficiais para lidar com essa situação.

Inicialmente, procurar a ajuda de um profissional de saúde especializado em dependência química, como um psicólogo ou psiquiatra, é fundamental. Eles podem oferecer orientação personalizada e estratégias específicas para enfrentar o vício.

Além disso, viciados devem definir metas alcançáveis ao reduzir o consumo de álcool. Isso pode envolver a diminuição gradual ao longo do tempo, permitindo que o corpo se ajuste de maneira mais suave.

Reconhecer situações, emoções ou ambientes que desencadeiam o desejo por álcool também é crucial. Isso porque evitar ou desenvolver estratégias para lidar com esses gatilhos pode ser uma parte vital do processo de recuperação.

Ainda, uma recomendação é encontrar passatempos e atividades que proporcionem prazer e satisfação sem envolver o consumo de álcool. Isso pode incluir exercícios físicos, hobbies, ou participar de grupos sociais saudáveis.

Via Freepik

Ter um grupo de apoio é importante no processo psicológico, que não envolve externos, como remédios para diabetes ou outro neuroestimulantes.

Por isso, compartilhar suas intenções com amigos e familiares pode fornecer um sistema sólido. Eles podem oferecer encorajamento, compreensão e até mesmo participar ativamente no seu processo de redução do consumo de álcool.

Também vale procurar terapias complementares, como a terapia cognitivo-comportamental (TCC) ou mindfulness, que podem ser eficazes para modificar padrões de pensamento e comportamento relacionados ao vício em álcool.

No cotidiano, lidar com o vício e admitir o problema é o primeiro passo para conseguir superá-lo. Posteriormente, realizar consultas com especialistas permitirá receber orientações médicas e, talvez, tornar-se um candidato para o tratamento com remédios para diabetes.

 

Fonte: Canaltech

Imagens: Freepik, Freepik

BBB 24: ‘Não teve pedido para o programa incluir alimentos veganos’

Artigo anterior

Saiba os truques escondidos no seu celular para proteger os apps de bancos

Próximo artigo