Saúde

Sangue doce: por que algumas pessoas são mais atacadas por mosquitos

0

Se você sente mais picadas de mosquitos do que outras pessoas, pode ter se perguntado se tem o sangue doce. Essa expressão popular é conhecida entre quem sofre mais com o ataque de pernilongos e outros insetos, além de ter mais coceira e reações alérgicas.

Pode parecer crença, mas, na verdade, existem diversas explicações para essa preferência, e a ciência está progredindo ao tentar explicar por que isso acontece.

No entanto, é importante saber que os mosquitos são atraídos por odores. E cada indivíduo possui odores corporais distintos, influenciados pelas secreções da pele, pelos produtos resultantes da atividade microbiana e até mesmo pela interação dos perfumes e das maquiagens com o aroma natural.

Embora ainda não se conheça completamente todos os odores que atraem os mosquitos, ácido láctico, ácido úrico e amônia são particularmente mais sedutores.

Se você é frequentemente alvo desses insetos, é provável que seu corpo exale uma maior quantidade dessas substâncias. Ou seja, você tem sangue doce.

Existe sangue doce?

Via Freepik

Algumas investigações anteriores sugeriram que pessoas com sangue tipo O podem ser mais propensas a serem picadas por mosquitos.

Pesquisadores da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul afirmaram em um guia informativo que essa preferência pode estar relacionada ao fato de que o sangue tipo O é predominante no sul da Ásia, local de origem desses insetos.

No entanto, pesquisas científicas mais recentes demonstraram que à medida que o mosquito se dispersou pelo mundo, essa preferência diminuiu ou até mesmo desapareceu.

Mosquitos sentem cheiro?

Sim, os mosquitos sentem cheiros, e, por isso, o papel dos repelentes é encobrir os odores naturais do corpo, especialmente o suor, com o objetivo de confundir os mosquitos.

No entanto, o cérebro desses insetos não apenas percebe aromas, mas também reconhece sabores, evitando os odores mais desagradáveis para eles, como o cítrico presente nos repelentes.

Os mosquitos possuem um sistema sensorial complexo, composto por três pares de “narizes”, duas antenas, dois palpos (órgão bucal com função sensorial) e dois labelos (regiões de neurônios na extremidade da tromba sugadora, conhecida como probóscide).

Christopher Potter, um neurocientista do Hospital Johns Hopkins, nos Estados Unidos, é um pesquisador do olfato desses insetos. Ele destaca que essa abordagem pode ser uma maneira eficaz de combater os mosquitos, impedindo a propagação de diversas doenças, desde a dengue até a malária.

Apenas as fêmeas se alimentam de sangue, pois precisam dele para produzir seus ovos. O olfato desempenha um papel crucial, permitindo à fêmea identificar a espécie do animal próximo e determinar se é possível picá-lo, sendo os humanos particularmente sensíveis devido à ausência de pelos.

Assim, se você é alvo comum dos pernilongos, saiba que a teoria do sangue doce possui mais comprovações do que nunca.

Isso vale para o mosquito da dengue?

Via Freepik

O assunto sobre picadas e sangue doce ficou mais popular após o aumento nos casos de dengue no Brasil e em outros países.

Nesse caso, vale reforçar que sim, os mosquitos transmissores do vírus também apresentam comportamento similar. Ou seja, determinadas essências podem atraí-lo mais.

A dengue é uma doença infecciosa disseminada através do mosquito Aedes aegypti. Ela se tornou mais comum durante o verão. No Brasil, a dengue é considerada um sério problema de saúde pública, podendo até resultar em óbito.

O Aedes aegypti é ativo durante o dia e é encontrado principalmente em ambientes urbanos, precisando de água parada para permitir o desenvolvimento das larvas até a fase adulta. Esse processo ocorre dentro de aproximadamente 10 dias após a eclosão dos ovos.

Geralmente, a dengue apresenta quatro sorotipos diferentes. Isso implica que um indivíduo pode ser infectado por cada um desses tipos de micro-organismos, desenvolvendo imunidade permanente para cada variante. Assim, é possível contrair a doença até mesmo em quatro ocasiões distintas.

Duração dos sintomas

No surto de dengue, vale ficar atento para as picadas e os primeiros sinais de uma possível dengue. Inicialmente, a dor e a febre se manifestam aproximadamente três dias após a picada do mosquito.

A duração típica é entre 2 e 7 dias, com dor de cabeça, dores corporais e articulares, fraqueza, dor nos olhos, erupções cutâneas, náuseas e vômitos.

Na fase em que a febre diminui ou desaparece, a maioria dos pacientes tende a se recuperar completamente da doença. Entretanto, em alguns casos, os sintomas podem se agravar, incluindo hemorragias, e podem levar ao óbito.

Em casos graves, os sintomas podem incluir vômitos persistentes, dor abdominal intensa e contínua, sensibilidade e perda dos movimentos. Pode existir também a presença de sangue na urina e aumento do volume do fígado.

Alguns pacientes também podem manifestar sintomas neurológicos, como convulsões e irritabilidade.

Caso tenha algum indício de dengue, mesmo que tenha apresentado a doença antes, procure um médico imediatamente. Ainda, passe por repouso e tenha muita ingestão de líquidos.

E para se prevenir, vale conhecer os padrões de picada do mosquito e evitar água parada.

 

Fonte: Metrópoles

Imagens: Freepik, Freepik, Freepik

Estudo sugere que Viagra pode reduzir risco de Alzheimer

Artigo anterior

Afinal, o que aconteceu com a nota de R$200 no Brasil?

Próximo artigo