Segundo pesquisa, esse é o traço de personalidade que cria famílias felizes
Tempo de leitura:2 Minutos, 31 Segundos

Segundo pesquisa, esse é o traço de personalidade que cria famílias felizes

Quando falamos de famílias, temos os mais variados cenários possíveis. Mas independente de qual seja a sua formação de família, uma coisa é quase unânime entre as pessoas. Todos queremos que a nossa vida familiar seja a mais feliz possível.

Felizmente, pesquisadores identificaram algumas características e habilidades pessoais que têm uma probabilidade maior para fazer com que um lar familiar seja mais harmonioso.

Esse traço é a flexibilidade psicológica. Ela é um dos principais fatores, quando o assunto é uma família saudável e relacionamentos românticos. Isso porque, quando os desafios e problemas surgem, essas flexibilidade pode impedir que os relacionamentos colapsem.

Essas conclusões foram feitas a partir de meta-análises, ou seja, um estudo feito analisando estudos anteriores. Nesse caso, a meta-análise foi feita com 174 pesquisas sobre relacionamentos. Tendo ao todo 43.952 pessoas.

“Simplificando, esta meta-análise ressalta que ser consciente e emocionalmente flexível em situações difíceis e desafiadoras não só melhora a vida dos indivíduos, mas também pode fortalecer e enriquecer seus relacionamentos íntimos”, disse o psicólogo, Ronald Rogge, da Universidade de Rochester.

Estudo

Ele e sua colega que também é psicóloga na mesma universidade, Jennifer Daks, descobriram que a flexibilidade consciente estava relacionada a uma dinâmica familiar e relacionamento gratificante. Além de também estar relacionado com conexões mais fortes entre as pessoas envolvidas.

Os pesquisadores então começaram a especificar algumas das habilidades pessoais necessárias, para a flexibilidade psicológica. Para isso, é preciso estar aberto a aceitar experiências, elas sendo boas ou más, e ter uma consciência atenta no decorrer da vida cotidiana.

Além disso, algumas outras habilidades são: experimentar pensamentos e sentimentos sem obcecar por eles, conseguir ver uma perspectiva ampla mesmo nos momentos difíceis, ficar em contato com os valores mais profundos e ser capaz de continuar indo na direção de um objetivo mesmo no meio de dificuldades.

No entanto, a inflexibilidade psicológica faz com que a pessoa evite ativamente pensamentos, sentimentos e experiências difíceis. Além de passar pela vida cotidiana distraído e ficar preso em pensamentos e sentimentos difíceis.

Outros comportamentos psicologicamente inflexível são: olhar pensamentos e sentimentos difíceis como um reflexo pessoal, permitir que o estresse do cotidiano e o caos da vida sejam maiores que as suas prioridades mais profundas e se desviar facilmente por conta de contratempos e experiências difíceis.

Felicidade

Por conta disso que a flexibilidade psicológica leva a uma maior coesão. Consequentemente, também a um uso maior de estratégias parentais adaptativas. Já nos relacionamentos românticos, ela leva a uma maior satisfação e menos conflitos.

Essa nova pesquisa vai de encontro com uma antiga feita por Rogge onde ele observou como o simples fato de estar mais atento ao relacionamento e manter a comunicação aberta fazia uma diferença significativa na duração do mesmo.

“Os resultados sugerem que maridos e esposas têm um bom senso do que podem estar fazendo certo e errado em seus relacionamentos. Você pode não precisar ensiná-los um monte de habilidades para reduzir a taxa de divórcio. Você só precisa fazê-los pensar sobre como estão se comportando atualmente”, concluiu.