Curiosidades

The Doomway, a trilha mais mortal da Grã-Bretanha

0

De acordo com uma reportagem publicada pelo portal ODDITYCENTRAL, The Doomway, uma trilha que tem cerca de 600 anos e conecta a costa de Essex à Ilha Foulness, no Reino Unido, já ocasionou a morte de 100 pessoas. Por conta disso, a trilha, ao longo dos séculos, passou a ser conhecida como o caminho mais mortal da Grã-Bretanha.

Por muitos anos, The Doomway foi acesso à Ilha Foulness. Aqueles que desejavam chegar até a ilha só podiam percorrer o caminho a pé. Registrada em 1419, a trilha possui cerca de 10 km e corta vastas planícies de areia que, à primeira vista, parece ser extremamente fácil de trafegar, no entanto, certos pontos são mortais.

The Doomway

A trilha foi batizada com o nome de The Doomway por conta dos inúmeros feixes de galhos que eram usados pelos caminhantes para marcar o caminho. Atualmente, o trecho é equipado com um espécie de postes de madeira. No entanto, dependendo da quantidade de neblina e chuva, as hastes dificilmente podem ser vistas por aqueles que desejam realizar a travessia.

Por inúmeros motivos, o trajeto pode ser mortal. Quando a maré baixa, faixas de areia e lamaçais se revelam entre a Ilha Foulness e a costa de Essex. Por conta disso, os caminhantes que percorrem a trilha devem seguir o trecho sinalizado. Muitos que tentaram desviar o caminho acabaram morrendo.

A maioria dos desvios, que foram tomados pelos viajantes, reservam todos os tipos de perigos, como, por exemplo, buracos que podem estar cobertos por lama ou áreas com areia movediça.

Aqueles que sobreviveram, revelam que até o caminho sinalizado, é traiçoeiro. Os que lograram realizar toda a travessia fizeram a caminhada em um determinado horário do dia. O motivo? A maré.

Quando a maré começa subir, correr é uma tentativa em vão. Além daqueles que perderam a vida caindo em buracos profundos ou sendo engolidos pela areia movediça, muitos também perderam a vida por afogamento.

Vidas e mais vidas

Parte das vidas que se perderam em meio ao The Doomway foram registradas por vários escritores ao longo dos anos. Philip Benton, um historiador de Rochford, é um deles. De acordo com o Foulness Burial Register, 66 corpos já foram retirados da trilha pelas autoridades desde 1600, mas há dezenas de outros que nunca foram encontrados.

Por conta do número de mortes, as autoridades locais, em 1922, decidiram construir uma ponte sobre o Havengore Creek. Desde então, chegar a Ilha Foulness ficou mais fácil e, por isso, raramente ouve-se que alguém teve coragem de se aventurar na trilha The Doomway.

Ao que parece, somente membros do exército desbravam o caminho. Mesmo assim, vez ou outra, aparecem pessoas que desejam verificar a misteriosa reputação da trilha. Para que a responsabilidade não paire sobre as autoridades locais, sinais de alerta foram inseridos em partes de alguns trechos do trajeto.

“Aviso: parte da travessia não está sinalizada. O caminho é muito perigoso para os pedestres”, diz uma das placas. “Aviso: Não se aproxime!” e “Cuidado, perigo de explosão”, são outros alertas encontrados ao longo da The Doomway.

As placas que sinalizam risco de explosão estão relacionadas ao fato dos militares conduzir exercícios de artilharia na Ilha Foulness desde a Primeira Guerra Mundial. Muitos dos artefatos explosivos que não foram detonados se perderam em meio as areias.

Por todas as razões listadas acima, aqueles que desejam percorrer o caminho mais mortal do Reino Unido, além de precisarem de permissão, precisam realizar a travessia em dias específicos.

Mistério do pinguim totalmente branco achado em Galápagos é explicado por cientistas

Matéria anterior

Cyberpunk 2077 conta com referências à GTA San Andreas

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.